Arquivo da tag: TV Record

A Terra Prometida: Record se inspira em Game of Thrones e promete repetir novela no cinema

josue-terra-prometida-continuacao-os-dez-mandamentosA TV Record aposta suas fichas na novela A Terra Prometida para repetir o sucesso alcançado no último ano com a exibição de Os Dez Mandamentos.

A nova “novela bíblica” da emissora estreia hoje, 05 de julho, na mesma faixa horária de sua antecessora, dando sequência imediata àhistória encerrada ontem, 04 de julho, com grande índice de audiência e críticas pontuais da mídia especializada.

O investimento que a Record está fazendo para a nova produção esbarra na casa dos R$ 100 milhões, e envolve produção de novos cenários, gravações em locações no exterior e efeitos especiais. Os 30 primeiros capítulos da novela terão cenas gravadas no deserto da Namíbia, na África, que servirão para ambientar o público sobre o contexto da história.

De acordo com a Folha Universal, a emissora aposta em “um elenco renovado e formato de série”, para surpreender o público “com os efeitos especiais das cenas, como as das batalhas entre os povos, a travessia do rio Jordão entre outros momentos importantes da trama”.

A referência ao “formato de série” se dá pela inspiração da produção na premiada Game Of Thrones (HBO), com cenas de batalhas mais intensas e trilha sonora de impacto, de acordo com informações do Correio 24 Horas.

Sobre a audiência, a Record quer repetir e ampliar o sucesso: “A audiência de Os Dez Mandamentos foi o reflexo imediato da aceitação popular que prova que esse novo conceito de teledramaturgia deu certo. A história resgata valores morais, espirituais e familiares em uma época conturbada em nosso país”, comentou Alexandre Avancini, diretor de ambas as novelas.

Vacina

Calejada com as críticas à maquiagem e cenários, a Record decidiu terceirizar a produção de A Terra Prometida. Os elementos produzidos pela equipe da emissora na primeira temporada de Os Dez Mandamentos chegaram a ser elogiados por mostrarem evolução de acabamento e detalhes em relação a produções anteriores, mas na segunda temporada, com capítulos adicionais inicialmente não planejados, a qualidade caiu muito, e a mídia não perdoou, chegando a compará-los com “carros alegóricos de escola de samba do grupo de acesso”.

Dessa forma, a emissora se preveniu e decidiu terceirizar os trabalhos, contratando a produtora Casablanca, responsável pela elogiada Escrava Mãe. O resultado, de acordo com os jornalistas que assistiram às primeiras cenas, foi satisfatório.

“A terceirização da produção para a Casablanca parece ter feito bem ao produto final”, comentou a jornalista Cristina Padiglione, do Estadão Conteúdo.

“Pesa agora, também a olho nu, uma lista mais extensa de bons atores. Como numa partida de futebol, são elementos relevantes para contagiar os inexperientes e fazer a jogada funcionar. Temos Beth Goulart, Milhem Cortaz, Luciana Braga, Raymundo de Souza, André Ramiro, Elizangela, Yacanã Martins, Ernani Moraes, Valéria Alencar e Marcos Winter – irreconhecível sob o make up que lhe deu longas madeixas”, acrescentou, elogiando a maquiagem, um dos itens que mais foram criticados na segunda temporada de Os Dez Mandamentos.

Grandiosidade

As perucas ajudarão os atores Kadu Moliterno, Castrinho, Paulo César Grande, Igor Rickli, Fábio Villa Verde, Rodrigo Phavanello, Leonardo Miggiorin e Felipe Folgosi, Nívea Stelman, Cristiana Oliveira, Paloma Bernardi, Miriam Freeland e Maytê Piragibe, dentre outros, a caracterizarem os hebreus que conquistaram Jericó e, posteriormente, Canaã.

“Nada de elenco enxuto e o número de figurantes normalmente é alto, para encarar as batalhas e travessias para a Terra Prometida. O texto está nas mãos de Renato Modesto, com colaboração de Aimar Labaki, Ecila Pedroso, Stephanie Mendes, Jaqueline Vargas e Marcos Lazarini”, informou Padiglione.

Cinema

Os elogios à produção de A Terra Prometida vão além às questões de maquiagem e figurino, e dão a entender que a Record já se planejou para transformar sua novela em um filme, seguindo o mesmo caminho de Os Dez Mandamentos.

A diferença agora é que com planejamento, Alexandre Avancini já trabalha prevendo que cada cena é candidata a estar no corte de duas horas que irá para as telonas.

“Queremos que essa novela renda também uma série de produtos”, disse Avancini. “A gente criou uma legião de fãs, como eu nunca vi acontecer com uma novela”, acrescentou.

O autor Renato Modesto prometeu uma nova novela, mantendo os acertos da antecessora, mas corrigindo os erros. É provável, então, que além das mudanças técnicas, o público perceba diálogos com dinâmica diferente.

Modesto admitiu a inspiração na série da HBO: “Game of Thrones foi uma entre muitas influências que naturalmente acontecem. Eu gosto muito de assistir a séries e a filmes, e essas influências são naturais. E eu gosto muito de Game of Thrones”, afirmou, em entrevista ao E+, do jornal O Estado de S. Paulo.

Jericó

A queda das Muralhas de Jericó, que está prevista para ir ao ar entre o capítulo 50 e 60, já começou a ser gravada, porque existe grande trabalho de pós-produção para o incremento dos efeitos especiais.

A Terra Prometida foi planejada para ter 130 capítulos, mas se sabe que o número pode aumentar, e muito: “O Renato teve o cuidado de colocar alguns flashes de Os Dez mandamentos”, explicou Avancini, como uma prevenção para ambientar possíveis novos telespectadores.

Apocalipse?

“Depois que Josué se for, ao final desta produção, a Record não dará seguimento à narrativa cronológica da Bíblia, mas tem propósito de continuar no ramo. O Apocalipse é a ideia mais cotada para manter esse público sintonizado”, informou a jornalista Cristiana Padiglione.

Sobre a possibilidade, Alexandre Avancini aprova a ideia de dar um salto temporal para refrescar as ideias, mas sem impedir que, posteriormente, a Record volte a dar sequência à narrativa bíblica, amarrando os conceitos do Velho Testamento.

“Acho que nem seria bom dar seguimento cronológico ao que virá a seguir, as pessoas podem se cansar desse fio tão longo, pode ser mais interessante partir para outro momento bíblico”, comentou Avancini.

Veja uma chamada para a nova “novela bíblica” da Record:

Fonte: Gospel +

Anúncios

Final da novela Os Dez Mandamentos é fortemente criticado pela mídia especializada; Entenda

moises-guilherme-winter-velho-apos-passagem-de-tempo-na-segunda-temporada-de-os-dez-mandamentos-1467648686974_680x320O final da segunda temporada da novela Os Dez Mandamentos foi levado ao ar ontem, 04 de julho, pela TV Record, e se tornou alvo de olhares não muito amistosos da mídia especializada, que criticou o improviso da emissora na caracterização dos atores para representa-los 40 anos mais velhos.

Todos os críticos destacaram o fato de que, o público, inebriado pela história do êxodo, não se importou com os detalhes técnicos ou com os diálogos melodramáticos – ferramentas usadas para fazer a narrativa bíblica se encaixar no tempo que a Record precisava para aprontar a sucessora, A Terra Prometida – e acompanhou a nova temporada com o mesmo ímpeto até o final.

A morte de Moisés e o estabelecimento de Josué como novo líder do povo foram os principais acontecimentos do último capítulo de Os Dez Mandamentos, que deixou a história preparada para a nova saga dos hebreus.

Para o crítico Tony Goes, do F5, no último capítulo da novela a direção manteve os erros cometidos ao longo de toda a segunda temporada: “Excesso de câmera lenta, efeitos cafonas, texto grandiloquente e interpretações canhestras deram o tom. E nenhuma foi pior do que a voz de Deus feita por César Willian —que pelo menos tem a desculpa de ser apenas locutor, não ator”, comentou o jornalista.

“Sem falar que o nítido esforço em cenários e figurinos praticamente foi posto a perder pela pífia caracterização dos personagens como velhos. Barbas obviamente postiças e maquiagens rudimentares deixaram o elenco com cara de estudantes no espetáculo de fim de ano do colégio”, criticou.

Michael Godoy, comentarista especializado do portal N10, usou outra novela da emissora para comparar a qualidade de cenários, figurinos e maquiagens de Os Dez Mandamentos: “Diferentemente do que ocorre com Escrava Mãe, uma belíssima produção de época da Record, engavetada por 8 meses, a emissora, mais uma vez, não foi feliz com a realização de sua produção. Assim como ocorreu nas produções bíblicas anteriores, seja a novela ou as minisséries, a Record parece não ter aprendido, ainda, a caracterizar seus personagens”, disse.

“Tudo ali foi artificial, desde o texto absurdamente melodramático de Vivian de Oliveira, que transformou uma história bíblica em uma trama infanto-juvenil sem precedentes, passando pelos cenários, e pela maquiagem mal feita dos atores. Totalmente trash”, disparou.

O investimento inicial feito pela Record na primeira temporada de Os Dez Mandamentos superou a casa dos R$ 100 milhões, valor também dedicado à nova “novela bíblica”, A Terra Prometida. Talvez esteja nesse detalhe o segredo para a baixa qualidade técnica para a segunda temporada de Os Dez Mandamentos, já que esta foi criada para ser uma ponte entre a primeira e sua sucessora, e provavelmente não estava no planejamento inicial da emissora.

Fonte: Gospel +

TV Record é condenada a produzir e exibir programas especiais falando bem de religiões afro

ED0909239504   BSB  23/09/09   TERREIROS/LAVAGEM/PROGRESSO   NACIONAL  Representantes de religioes afro-brasileiras participam de lavagem da rampa do Congresso,na Primeira Caminhada de Comunidades de Terreiro do DF e Entorno.FOTO ED FERREIRA/AE.

FOTO ED FERREIRA/AE.

A Justiça determinou que a TV Record e a Rede Mulher produzam e exibam quatro programas especiais sobre religiões afro-brasileiras, com teor explicativo. Ambas as emissoras foram condenadas a conceder o direito de resposta a essas religiões por terem exibido matérias que foram consideradas ofensivas.

A ação que resultou na sentença foi ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), em conjunto com o Instituto Nacional de Tradição e Cultura Afro-Brasileira (INTECAB) e o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e da Desigualdade (CEERT).

Em uma decisão liminar, a juíza federal Marisa Cláudia Gonçalves Cucio entendeu que a exibição de relatos de pessoas que se converteram à Igreja Universal, mas antes eram adeptas às religiões afro-brasileiras, sendo tratadas como “ex-bruxa”, “ex-mãe de encosto” e acusadas de terem servido aos “espíritos do mal” era um desserviço à população.

“Este tipo de mensagem desrespeitosa, com cunho de preconceito […] tem impacto poderoso sobre a população, principalmente a de baixa escolaridade, porque é acessada por centenas de milhares de pessoas que podem recebe-la como uma verdade”, explicou a juíza Marisa Cucio na ocasião.

As emissoras recorreram, mas o juiz Djalma Moreira Gomes, da 25ª Vara Federal Cível em São Paulo (SP) decidiu que as emissoras incorreram em ofensa às religiões afro-brasileiras. “Os fatos imputados na inicial estão comprovados e são, ademais, incontroversos”, afirmou o juiz na sentença, acrescentando que as rés sequer negaram as acusações, procurando extrair a “conotação de ofensivos” que foram atribuídos pelos autores.

Na sentença, Gomes menciona trechos Constituição Federal que tratam dos serviços a que as emissoras de TV são incumbidas, e frisa que estes devem ser “prestados visando à consecução dos fins da República Federativa do Brasil, entre eles a promoção do bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.

O juiz destaca que como concessão pública, as emissoras são “longa manus [termo em latim que significa executor de ordens] do Estado no desempenho dessa atividade, e como o próprio Estado deve se comportar no cumprimento das regras e princípios constitucionais legais”.

A decisão obriga a Record e a Rede Mulher a produzirem quatro programas com duração mínima de uma hora cada, usando seus próprios espaços físicos, equipamentos e pessoal técnico. Cada programa deverá ser exibido duas vezes, nos horários que as ofensas foram veiculadas, com três chamadas para a exibição no dia ou na véspera.

Fonte: Gospel +

Record prevê gravações em Israel para sua nova “novela bíblica”, Josué e a Terra Prometida

os-dez-mandamentos1A próxima “novela bíblica” da TV Record será Josué e a Terra Prometida, projeto que seria uma sequência de Os Dez Mandamentos, retratando a história dos hebreus após a condução do povo a Canaã por Moisés.

Novos detalhes da produção já foram definidos pela emissora, que resolveu novamente apostar numa novela histórica depois que a atual, Os Dez Mandamentos, vem conquistando bons índices de audiência e inúmeros elogios do público e da crítica.

“Alguns detalhes já podem ser antecipados sobre a história que dá sequência ao trabalho de Moisés. Enquanto a atual ‘Os Dez Mandamentos’ consumirá quatro fases, ‘Josué’, também com 150 capítulos, terá apenas uma”, informou o jornalista Flávio Ricco, do portal Uol.

A Record já teria definido que a trama de Josué e a Terra Prometida vai contar fatos ocorridos durante sete anos, e escalou um grupo de 60 atores para o projeto, 20 a menos do que Os Dez Mandamentos. Em contrapartida, haverá diversas participações especiais.

“A novela toda vai se passar em sete anos e só no final haverá uma passagem de tempo grande, mas que poderá ser resolvida com maquiagem, sem a necessidade de troca de atores”, informou Ricco.

As filmagens serão realizadas em locações de países da América Latina e em Israel, segundo o jornalista, além é claro da construção de uma cidade cenográfica no RECNOV, central de produções da Record semelhante ao PROJAC, da Globo.

Os valores de custo da nova “novela bíblica” da Record ainda não foram estimados pelos especialistas, mas deverá seguir uma faixa próxima à de Os Dez Mandamentos, que consome R$ 700 mil a cada capítulo, devido ao uso de efeitos especiais produzidos em Hollywood e da riqueza de detalhes dos cenários construídos para as filmagens.

Fonte: Gospel +

Bispo Edir Macedo teria ordenado a nomeação de Andressa Urach como bispa na Igreja Universal

andressa-urachA modelo Andressa Urach deverá ser nomeada bispa na Igreja Universal do Reino de Deus a pedido do fundador da denominação, Edir Macedo.

A informação sobre a nomeação de Andressa como primeira bispa da Universal vem sendo disseminada por blogs mantidos por frequentadoras da denominação, como o Mulheres Sábias, por exemplo.

Andressa se converteu ao Evangelho e foi batizada na Igreja Universal logo após receber alta hospitalar do tratamento a que foi submetida para combater uma infecção em suas pernas devido à injeção de hidrogel para fins estéticos.

Em sua carreira de modelo, Andressa ficou conhecida nacionalmente ao ficar em segundo lugar no concurso Miss Bumbum, e posteriormente, em seu emprego na RedeTV!, por suas aparições seminuas em reportagens.

Contratada pela TV Record após romper o contrato com a RedeTV!, Andressa deverá receber um salário de aproximadamente R$ 20 mil livres de impostos, aproximadamente o dobro do que recebia na emissora concorrente.

Na Igreja Universal, diz-se que a nomeação de Andressa como bispa causará um grande impacto entre os fiéis e também nas redes sociais: “É pra matar o cão de inveja”, teria dito o bispo auxiliar Evaldo Martins. A própria modelo já havia afirmado anteriormente seu desejo de se tornar pastora.

Entre os planos da denominação para a nova bispa, estão um programa de TV – que seria chamado Cristo Salva e Liberta e teria formato de talk-show, com entrevistas de cantores gospel e pregadores – e também a apresentação à exaustão de seu testemunho aos fiéis.

Na direção da denominação, a opinião é que Andressa não precisa esperar uma maior capacitação bíblica para pregar, porque Jesus, em seu ministério, dizia aos que recebiam milagres de cura que anunciasse a boa nova aos amigos e familiares.

O blog Mulheres Sábias também destacou que, antes de optar pela Igreja Universal, Andressa teria visitado diversas denominações à busca de espaço, como a Assembleia de Deus, Igreja do Evangelho Quadrangular e algumas igrejas Batistas, mas nem sequer foi apresentada.

Fonte: Gospel +

Justiça condena Globo a indenizar ex-mulher de pastor demitido da Igreja Universal; Entenda

justicaA ex-mulher de um ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus processou a Editora Globo por conta de uma reportagem da revista Época e a justiça a concedeu ganho de causa em segunda instância, com indenização no valor de R$ 10 mil.

O processo foi movido Jacira Aparecida da Silva, divorciada de Gustavo Alves da Rocha, por causa de uma matéria que a colocava como fonte de algumas informações e declarações contra a Igreja Universal do Reino de Deus.

Na reportagem, o ex-marido de Jacira fazia acusações contra a Universal, e atribuía a ela falsas declarações sobre supostas irregularidades praticadas por representantes da denominação.

Jacira e Gustavo teriam se conhecido na mansão do bispo Edir Macedo em Nova York, onde ela seria empregada doméstica. Após o casamento “orientado por Macedo”, ele se tornou o pastor responsável pelo recolhimento, contagem e depósito dos dízimos dos fiéis nova-iorquinos da Igreja Universal.

A matéria da revista Época, intitulada “Aprendi a Extorquir o Povo”, de 18 de setembro de 2009, trazia uma série de acusações do ex-pastor, que havia sido demitido poucos meses antes. A denominação rebateu as declarações, negando as acusações do ex-pastor.

O desembargador Alexandre Alves Lazzarini deu ganho de causa a Jacira, dizendo que a postura da revista foi antiética: “Tal conduta, por certo, extrapola o mero exercício do direito de liberdade de informação, já que a reportagem ultrapassa os limites da função jornalística, que é de informar à coletividade fatos e acontecimentos, de maneira objetiva, sem alteração da verdade, resvalando nos direitos de personalidade da autora”, argumentou o juiz.

A revista Época, que alegava ter obtido a confirmação de Jacira sobre as declarações do ex-pastor, pode recorrer da decisão, segundo informações do Brasil Post.

Record

O caso recebeu destaque na emissora do bispo Edir Macedo, e foi tema de uma reportagem onde Jacira negou as afirmações feitas por seu ex-marido.

Fonte: Gospel +

Com boa audiência, Record anuncia encerramento da minissérie bíblica Milagres de Jesus

record-milagres-de-jesusA TV Record está exibindo neste mês a última temporada da minissérie bíblica Milagres de Jesus. O último episódio irá ao ar no próximo dia 24 de fevereiro, com os acontecimentos que culminaram na crucificação.

A estreia dessa temporada aconteceu no dia 02 de fevereiro, com a exibição do episódio “O Endemoniado de Cafarnaum”, cujo personagem principal foi interpretado por Ângelo Paes Leme.

Para o ator, o tema da minissérie permite explorar artisticamente certas características do comportamento humano: “São histórias que comovem a gente, pois mostram como o homem se sente diante do mundo. É deslumbrante poder investigar a alma humana. Neste trabalho, temos um jogo de dilemas, como o amor de pai para filha, ambição, ira, traição e inveja”, comentou ao portal R7.

Milagres de Jesus adotou uma estratégia diferente das demais produções que contam histórias bíblicas e mostrou as histórias do Filho de Deus operando milagres a partir da visão de quem recebia a benção. Dessa forma, em nenhum momento o rosto de Jesus foi mostrado na série.

Dirigida por João Camargo, a minissérie terá, ao total, 35 episódios, relatando a maior parte dos milagres operados por Jesus em seu ministério. A audiência média dos episódios vem ficando na casa dos 9 pontos, garantindo o segundo lugar para a Record.

Jornalistas especializados em teledramaturgia elogiaram a produção e a qualidade da minissérie em relação a cenários, iluminação, maquiagem, figurino e fotografia. O elenco de atores, que contou com Luciano Szafir, Gisele Itié, Cássio Scapin (conhecido pelo papel do Nino, no Castelo Rá-Tim-Bum), Caio Junqueira e Iran Malfitano estiveram no elenco, que ao todo, somou cerca de 400 atores.

A minissérie segue um modelo muito comum a seriados internacionais, apresentando um milagre de Jesus por semana, e construindo ao longo dos episódios os pontos em comum entre cada um dos agraciados: a fé. A Record veicula a série de segunda a quinta-feira, às 22h30.

Fonte: Gospel +

Convertido, Maguila fala sobre sua saúde debilitada: “A luta só para quando a gente morre”

maguilaO ex pugilista Adilson Rodrigues, o Maguila, 56 anos, falou sobre sua luta contra o Alzheimer e a importância que a fé tem em sua caminhada de vida.

A esposa de Maguila, Irani Pinheiro, resolveu falar sobre o estado de saúde do antigo boxeador após meses de sua internação. “Foi o momento que Deus escolheu, e a gente vai abrir isso para todo o público, e mostrar para o povo brasileiro continuar orando, porque essa força vem de Deus e o impossível é para Ele, não é para nós. E eu tenho certeza que Ele vai fazer o melhor”, disse Irani ao programa Domingo Show, da TV Record.

O apresentador Geraldo Luís fez uma homenagem ao ex atleta durante o programa, classificando como um dos “grandes heróis” do esporte brasileiro.

Além do Alzheimer, Maguila sofre com uma doença apelidada de “demência pugilística”, causada pelos incontáveis socos sofridos durante os combates e treinamentos.

Maguila afirmou que a inspiração para continuar lutando contra a doença vem de sua trajetória no esporte: “A luta só para quando a gente morre. Enquanto eu estiver vivo, eu estou lutando. Quero viver muito. Campeão é campeão, eu não paro de lutar”. Assista aqui.

O Evangelho

Sua esposa destacou que tem, ao lado dele, buscado entender os propósitos de Deus: “Cada um tem que passar por uma coisa nessa terra. Sei que o Maguila foi escolhido por Deus, e venceu. Algum sinal Deus está mostrando pra gente através dessa fase que estamos passando”, disse Irani.

A conversão de Maguila aconteceu em 2004, quando o ex pugilista passou a frequentar a Congregação Cristã no Brasil e lá foi batizado. O contato com o Evangelho veio através da esposa.

Numa entrevista concedida em 2011, o ex atleta contou que tinha uma visão preconceituosa da comunidade evangélica. “A primeira pessoa da família a ir em uma igreja evangélica foi minha esposa, isso há muito tempo. Depois foi meu filho Adilson Jr. Eu até nem gostava muito de crente, achava que eles eram muito arrogantes, muito certinhos e cheio de pose, mas um dia fui à igreja, vi, ouvi, fiquei e me batizei. E estou lá até hoje”, disse ao Jornal Palavra.

Na ocasião, disse que busca a Deus e lê a Bíblia Sagrada, mas tenta se manter longe da embriaguez da religião: “Olha não sou fanático. Não quero servir de exemplo para ninguém. Jesus é quem garante a salvação. Ele é quem deve ser o maior exemplo. Eu sou o mesmo Maguilão”.

Em abril do ano passado, a esposa do ex pugilista fez um apelo público pedindo orações pelo estado de saúde do marido, pois seu estado de saúde estava muito debilitado.

Fonte: Gospel +

 

Após processar Igreja Universal, Xuxa deixa a Globo e assina com a Record; Acordo virou piada na internet

xuxaA TV Record acertou a contratação da apresentadora Xuxa Meneghel, 51 anos, e deverá pagar à “rainha dos baixinhos” a bagatela de R$ 1 milhão por mês, segundo especulado por especialistas em televisão. O contrato, com duração de três anos, será válido até o fim de 2017.

Com o acordo, Xuxa deixa a TV Globo após 30 anos, e se prepara para estrear na emissora do bispo Edir Macedo. A curiosidade é que Xuxa e a Igreja Universal do Reino de Deus já se enfrentaram nos tribunais, com vitória da apresentadora.

O processo havia sido movido por Xuxa porque o jornal Folha Universal havia publicado uma matéria acusando a apresentadora de ter vendido sua alma ao diabo. Em 2011, a Justiça deu ganho de causa a Xuxa e condenou a denominação de Edir Macedo a indenizá-la em R$ 150 mil.

De acordo com informações do jornalista Ricardo Feltrin, do portal Uol, Xuxa tinha contrato com a Globo até 2017, porém haviam cláusulas que permitiam o rompimento do acordo sem multa.

Atualmente fora do ar, Xuxa teria um salário de aproximadamente R$ 200 mil mensais da emissora da família Marinho, que tentou segurar a apresentadora, mas não encontrou espaço na grade de programação.

A Record – que tem boa parte de sua receita oriunda dos horários que aluga para a Igreja Universal – deverá expor sua nova contratada ao máximo. Segundo Feltrin, a emissora prepara um programa diário para Xuxa, e também um semanal. “Trata-se da maior contratação também da gestão de Marcelo Silva, que substitui [o bispo] Honorilton Gonçalves na vice-presidência artística da casa”, escreveu Feltrin.

Retaliação

Recentemente Xuxa assinou novo contrato com a gravadora Som Livre, gravadora do Grupo Globo. De acordo com Lauro Jardim, a empresa poderá retaliar a “rainha dos baixinhos” por conta da mudança de emissora. “A Som Livre não se compromete a divulgar mais artistas que fecham com concorrentes. Foi assim, por exemplo, quando a dupla de palhaços Patati Patatá fechou com o SBT no passado”, publicou o colunista da revista Veja.

Piadas

Assim que a notícia de que Xuxa e Record haviam chegado a um acordo, várias piadas surgiram nas redes sociais. Em uma delas, as famosas paquitas dapresentadora aparecem vestida com a camisa do “Exército de Jesus”. Confira abaixo:


Novo uniforme das Paquitas na Record! #XuxaNaRecord pic.twitter.com/WSBRHcbKlW

— Cleycianne (@Cleycianne3 fevereiro 2015


 

2015 não anda nada fácil para Satanás, em apenas 3 dias ele perdeu Andressa Urach e Xuxa para o Senhor! Manda mas que ta pouco Deus!

 

— Cleycianne (@Cleycianne3 fevereiro 2015


 

CHORA SATANÁS!! pic.twitter.com/4U7wsW98Qo

— Cleycianne (@Cleycianne3 fevereiro 2015


Vazou a capa do novo CD da Xuxa na Record pic.twitter.com/KIxM3lUtMB

— Tia Simone Sexóloga (@SimoneSexologa) 4 fevereiro 2015


 

Fonte: Gospel +

Produtores da série “A Bíblia” anunciam novo projeto para contar a história da Igreja Primitiva

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????Uma nova série baseada na vida e ministério de Jesus será produzida pelos mesmos idealizadores da aclamada “A Bíblia”, que no Brasil foi transmitida pela TV Record.

Mark Burnett e sua esposa, Roma Downey, anunciaram a série “AD”, que se baseará na história da igreja cristã primitiva, narrando “toda a sua garra e glória.”

“A Bíblia”, produzida originalmente pelo The History Channel nos Estados Unidos, obteve mais de 100 milhões de espectadores ao redor do mundo. Aproveitando o sucesso do projeto, o casal de produtores resolveu usar um elenco diferente, com atores de 10 países diferentes.

Roma Downey afirmou que ela e seu marido tinham a intenção de criar um elenco “tão diverso e belo como a igreja é em todo o mundo”, e assim, responder às críticas de que os papéis positivos em “A Bíblia” eram dados a atores brancos, enquanto os atores de pele escura recebiam papéis “maus”.

Alguns espectadores também disseram que o homem escolhido para interpretar satanás na série, o ator Mohamen Mehdi Ouazzani, tinha uma impressionante semelhança com o presidente Barack Obama. Por isso, a cena com satanás foi excluída do filme “O Filho de Deus”, uma adaptação da série.

“Estamos ansiosos para compartilhar essas performances incríveis com o nosso público, e neles nós esperamos que as pessoas se vejam”, disse Downey, em comunicado de imprensa. O intérprete de Jesus também mudou. O ator português Diogo Morgado não tinha agenda livre para participar das gravações e foi substituído pelo argentino Juan Pablo di Pace.

 “AD” terá 12 episódios e irá ilustrar como os 11 discípulos remanescentes de Cristo continuaram o ministério após a morte de seu líder para iniciar um movimento internacional que atualmente tem 2,2 bilhões de seguidores.

Os líderes cristãos Rick Warren, Joel Osteen, Joshua DuBois e Max Lucado se posicionaram favoravelmente ao projeto. A emissora NBC prevê a estreia da série no domingo de Páscoa, dia 05 de abril de 2015.

Fonte: Gospel +

Nada a Perder 3: último volume da biografia de Edir Macedo arrecadou R$ 3,7 milhões em uma semana

Nada a Perder 3O bispo Edir Macedo se tornou um dos campeões de vendas de livros no Brasil, e o terceiro livro de sua biografia alcançou uma arrecadação de R$ 3,7 milhões na semana retrasada.

Esse valor foi alcançado em apenas uma semana de vendas e representa 15% do total de R$ 24,6 milhões arrecadados pelas livrarias com as vendas no período, de acordo com informações do Instituto Nielsen.

Os números superlativos da venda do terceiro volume da biografia do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, escrito pelo jornalista Douglas Tavolaro, diretor de jornalismo da TV Record, colocaram o bispo como o primeiro colocado na lista de títulos de não-ficção.

“Nada a Perder 3, de Edir Macedo, ocupa o primeiro lugar da lista dos mais vendidos de não-ficção de VEJA, mas quem for investigar mais a fundo perceberá que o terceiro volume da autobiografia do bispo é muito mais do que isso em termos de números. De acordo com uma pesquisa do instituto Nielsen, na semana retrasada os 113 000 exemplares vendidos de Nada a Perder 3 representaram 15% do total faturado pelas livrarias brasileiras. Dos 24,6 milhões de reais de vendas totais, o livro do bispo faturou 3,7 milhões de reais”, noticiou o jornalista Lauro Jardim, em sua coluna Radar Online.

Edir Macedo já vendeu, ao todo, 4 milhões de exemplares de seus livros, e em 2014, o bispo ocupa a lista dos 20 títulos mais vendidos com dois títulos: o segundo episódio da série Nada a Perder, “Meus Desafios Diante do Impossível”, que somam mais de 85 mil exemplares vendidos ao longo dos dez primeiros meses do ano; e o recente lançamento do capítulo final da trilogia biográfica já ultrapassa a casa dos 200 mil exemplares vendidos.

Segundo o jornalista Euler de França Belém, colunista do Jornal Opção, Macedo vem disputando com o escritor Paulo Coelho o título de maior vendedor de livros do país, embora a “disputa” e o “título” são informais, e a medição é realizada através dos números consolidados pelas editoras.

Fonte: Gospel +

Bispo Macedo disputa com escritor Paulo Coelho o título de maior vendedor de livros no Brasil

nada-a-perder-3O bispo Edir Macedo lançou o terceiro capítulo de sua biografia, “Nada a Perder 3 – Do coreto ao Templo de Salomão”, e a tiragem inicial de 50 mil unidades foi vendida na semana do lançamento.

Segundo o jornalista Euler de França Belém, colunista do Jornal Opção, o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus vai disputar com o escritor Paulo Coelho o título de maior vendedor de livros do Brasil. A “disputa” e o “título” são informais, e a medição é realizada através dos números consolidados pelas editoras.

Ao todo, Macedo já vendeu 4 milhões de exemplares de seus livros, e em 2014, o bispo ocupa a lista dos 20 títulos mais vendidos com dois títulos: o segundo episódio da série Nada a Perder, “Meus Desafios Diante do Impossível”, somam mais de 85 mil exemplares vendidos ao longo dos dez primeiros meses do ano; e o recente lançamento do capítulo final da trilogia biográfica já soma 184 mil exemplares vendidos.

Os três livros da série Nada a Perder foram escritos pelo jornalista Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da TV Record, e lançados pela editora Planeta do Brasil.

Uma curiosidade dos lançamentos dos livros é que o bispo Edir Macedo quase nunca comparece aos eventos. No dia 30 de outubro, quando o livro foi lançado em Goiânia (GO) numa livraria do shopping Flamboyant, os representantes do fundador da Universal foram os bispos Fernando Vassoler, Fernando Mendes e Paulo Pereira.

Mesmo sem a presença de Edir Macedo nos lançamentos, os eventos são sempre muito concorridos, e em alguns países, a quantidade de pessoas que se reuniram para ter acesso em primeira mão aos livros era tão grande que os exemplares esgotavam.

Na África do Sul, mais de 100 mil exemplares foram vendidos somente no dia do lançamento, em um evento que reuniu mais de 55 mil fiéis, que rendeu o recorde mundial de vendas de um livro em sua estreia. Cientes da mobilização dos fiéis, os assessores do bispo planejaram reunir 160 mil pessoas no Rio de Janeiro, o que acabou não se concretizando.

Fonte: Gospel +

Silvio Santos pede homenagem ao bispo Edir Macedo no Conexão Repórter, diz jornalista

silvio-santosO bispo Edir Macedo será homenageado pelo SBT a pedido do empresário e apresentador Silvio Santos, dono da emissora.

O líder da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record será o tema de uma reportagem do programa jornalístico Conexão Repórter, apresentado por Roberto Cabrini.

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco publicadas no jornal Diário de S. Paulo, o pedido para homenagear o bispo da Universal foi feito por Silvio Santos diretamente a Cabrini. Numa ligação telefônica, Silvio teria pedido ao apresentador que fizesse uma reportagem sobre o líder religioso abordando toda sua trajetória de vida até a inauguração do Templo de Salomão.

Silvio Santos  também teria pedido a Cabrini para produzir outras duas matérias especiais no mesmo teor: uma sobre a biografia de Roberto Marinho, fundador do Grupo Globo e já falecido; e uma sobre Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes, e seu pai, João Jorge Saad, fundador da emissora paulista e falecido em 1999.

O apresentador teria dito ao jornalista Roberto Cabrini que nutre grande admiração por esses empresários, que foram um dos pioneiros no ramo da comunicação no Brasil e que são seus concorrentes.

Templo de Salomão

Silvio Santos é judeu e fez reiterados elogios a Edir Macedo pela iniciativa de construir uma réplica em escala aumentada do Templo de Salomão em São Paulo. Para o proprietário do SBT, a ideia de construir o megatemplo pode ser considerada “única”.

A obra durou pouco mais de quatro anos e teve um custo total de R$ 685 milhões, que foram arrecadados a partir de doações de fiéis da Igreja Universal.

O Templo de Salomão tem capacidade para 10 mil pessoas sentadas, e as pedras usadas no revestimento da fachada foram importadas de Israel, para emprestar semelhança arquitetônica das edificações erguidas no país ao megatemplo da Universal.

Fonte: Gospel +

Em dois meses, Templo de Salomão já atraiu mais de 1 milhão de visitantes, diz Igreja Universal

templo-de-salomao2O plano da Igreja Universal do Reino de Deus de transformar o Templo de Salomão em um ponto turístico na capital paulista vem se concretizando, visto que em menos de dois meses de sua inauguração, mais de 1 milhão de visitantes já compareceram às reuniões da denominação no local.

De acordo com a TV Record, os visitantes vem de diversas partes do país e do mundo, e não são apenas evangélicos que demonstram interesse em conhecer o megatemplo que tem capacidade para 10 mil pessoas sentadas.

Entre os que visitam a réplica do Templo de Salomão, existem pessoas sem religião e católicos, além de fiéis evangélicos que pertencem a outras denominações.

“Acho a arquitetura muito fantástica. Isso me chama muito a atenção”, diz um senhor chamado Pedro, entrevistado pela reportagem da Record e que afirma ter viajado o mundo e visitado templos de diversas religiões.

O guia turístico dentro do megatemplo é feito por pastores da denominação que se vestem como os antigos sacerdotes do templo original, erguido por Salomão, a partir da planta que Deus deu a seu pai, o rei Davi.

 “O que a gente está ensinando aqui não é religião, então todas as pessoas – até pessoas que não são de religiões – vêm aqui. Elas podem vir, [o Templo de Salomão] está de portas abertas pra elas”, diz o pastor Daniel Lopes, um dos guias turísticos que explicam os detalhes da construção e da tradição judaica.

O tour especial pelo megatemplo é acompanhado por pelo menos, 400 pessoas por dia, diz a Igreja Universal. Nessa visita, de aproximadamente 1 hora, os visitantes conhecem um memorial e uma réplica em tamanho real do Tabernáculo, que foi erguido pelo povo judeu para guardar a Arca da Aliança, que era o depósito das tábuas da lei dadas por Deus a Moisés.

Fonte: Gospel +

Marcelo Rezende afirma que, no começo de seu ministério, o bispo Macedo evitou que o cantor Latino passasse fome; Assista

Latino-Marcelo-RezendeO apresentador Marcelo Rezende contou no programa Cidade Alerta uma história de vida do cantor Latino, conhecido por suas letras e clipes que fazem apologia ao sexo fácil.

De acordo com Rezende, a infância de Latino foi bastante humilde, e durante muito tempo, morou na rua. Nessa fase, ele teria sido ajudado pelo líder da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Edir Macedo.

Marcelo Rezende afirmou que, durante a conversa, se deu conta de que as aparências enganam: “Conversei com o Latino. Impressionante. Primeiro, que ele está casado. A moça com quem ele está casado cantou lá umas duas músicas pra mim. Música gospel. Uma linda moça. Linda de rosto, mas eu gostei, realmente, de como ela é linda por dentro. E esse [Latino] começou a falar dos sofrimentos e me contou uma história”, introduziu o apresentador da TV Record.

No começo do ministério do bispo Edir Macedo, seu púlpito era um coreto num bairro simples da capital fluminense, e lá, dentre os espectadores, estava Latino, ainda criança, lavando carros e pedindo esmolas para se alimentar.

“O Latino era um garoto e não tinha onde morar. No Rio de Janeiro, tem um bairro na zona norte chamado Méier e tem uma praça que fica em frente ao Corpo de Bombeiros […] Ele vivia como menino de rua. Lavava carro e depois dormia debaixo de um viaduto. Ele me contou essa história ontem chorando, me pedindo pra ver se eu conseguia – eu não tenho esse poder de conseguir o que ele me pediu. Ele disse assim: ‘Marcelo, muitas vezes eu não tinha o que comer, e um moço, bem novinho, ia lá naquela pracinha, tinha um coreto, e aquele homem fazia uma pregação, tentando reunir gente, e falava de Deus. Eu pequenininho Marcelo, esperava aquele moço acabar de falar e dizia assim: Moço, já que o senhor fala tanto de Deus, de que um tem que ajudar o outro, me dá um dinheirinho pra eu comer? E aquele homem dava. Até que o tempo foi passando, e o homem que ia lá falar de Deus, já dava um dinheirinho para aquele menino magrinho. Marcelo, será que você consegue que um dia eu fale com teu chefe, o bispo Macedo? Aquele moço, Marcelo, que me matou a fome várias vezes é hoje o poderoso bispo Macedo. Eu vi ele começando, pregando naquele coreto. E eu queria agradecer a ele as muitas vezes que ele matou a minha fome’”, narrou o apresentador.

Assista:

Fonte: Gospel +

 

No debate da Record, Levy Fidelix afirma que “dois iguais não fazem filhos”; Pastor Silas Malafaia comenta: “Verdade absoluta”; Assista

levy-fidelix-debate-recordO penúltimo debate entre os principais candidatos à presidência da República foi realizado ontem, 28 de setembro, pela TV Record, e uma declaração de Levy Fidelix (PRTB) causou rebuliço nas redes sociais.

Perguntado por Luciana Genro (PSOL) sobre a prevenção contra a morte de homossexuais, Fidelix disse abertamente ser contra a prática homossexual e criticou o uso político do tema que muitos ativistas gays fazem.

“Olha minha filha, tenho 62 anos e pelo que eu vi na vida, dois iguais não fazem filho. E digo mais: desculpe, mas aparelho excretor não reproduz. É feio dizer isso, mas não podemos jamais gente – eu que sou um pai de família, um avô – deixar que tenhamos, esses que aí estão, achacando a gente no dia a dia, querendo escorar essa minoria na maioria do povo brasileiro. Como é que pode, um pai de família, um avô, ficar aqui escorado porque tem medo de perder voto. Prefiro não ter esses votos, mas ser um pai, um avô, que tem vergonha na cara, que instrua seu filho, seu neto”, disse o candidato.

O pastor Silas Malafaia repercutiu a declaração do candidato e demonstrou ter se divertido com as afirmações: “Levy Fidelix no debate da Record: 2 iguais não fazem filhos, e digo mais, aparelho excretor não reproduz kkk Estão reclamando? Verdade absoluta […] Kkkkk verdade virou homofobia kkkkkk muito kkkkkk […] Vou dormir rindo, esse Levy Fidelix kkkkkkkkkkk bom sono a todos kkkkkk Vida longa aos meus inimigos para assistirem minhas vitórias kkkkkk”, escreveu o pastor no Twitter.

Um dos principais aliados de Luciana Genro e também um dos principais inimigos públicos de Malafaia, o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys, também comentou a fala de Fidelix e prometeu que estudará se pode processá-lo.

“Discurso de ódio contra LGBTs proferido por Levy Fidélix e motivado por uma mistura nauseante de estupidez, homofobia e demagogia vulgar! Vou avaliar se é possível representar contra Levy Fidélix por sua ofensa a uma coletividade e por estimular a violência contra esta. Como pode um sujeito como esse (que também se referiu aos usuários recreativos de maconha como ‘drogados’) ser candidato presidencial? Acho que Luciana ficou perplexa e os demais, ainda que constrangidos, silenciaram. Isso, mais o riso da plateia, mostram bem uma coisa: Os fatos ocorridos durante o debate entre os presidenciáveis mostram bem como esse tipo de violência contra LGBTs é socialmente aceito! Levy Fidélix não se dá conta de que a sua existência contraria sua tese de que ‘aparelho excretor não reproduz’”, atacou o ex-BBB.

Assista:

Fonte: Gospel +

 

Record adia lançamento da segunda temporada da minissérie bíblica “Milagres de Jesus”

milagres-de-jesusA segunda temporada da minissérie bíblica Milagres de Jesus, produzida pela TV Record, deve ter sua estreia adiada para janeiro de 2015 por causa de ajustes na programação da emissora.

Segundo o portal R7, a estreia da segunda temporada estava prevista para acontecer esse mês, mas a mudança irá ocorrer para contemplar “ajustes de programação” na grade da emissora, que ganhou outras duas estreias: uma com A Fazenda, no último dia 14; e Plano Alto, no próximo dia 30.

Apesar do adiamento, o site ligado à emissora afirma que a produção da série está adiantada, e que dez episódios já foram gravados. A primeira temporada da minissérie teve 18 episódios, que contaram a história de vida das pessoas que foram alcançadas pelo poder de Jesus durante seu ministério. Essa será também a temática da nova temporada da produção.

A primeira temporada da série teve um custo de R$ 16,2 milhões, com um custo médio de R$ 900 mil por episódio, cifras que devem ser repetir nessa segunda temporada. O diretor de teledramaturgia da Record, Anderson Souza, comentou sobre os custos da produção antes da estreia da primeira temporada, explicando sobre a complexidade de realizar uma produção épica.

– É um alto investimento porque uma minissérie bíblica, por ser épica, tem um custo muito maior que uma novela com história contemporânea. Tem uma maior complexidade, tem mais gente envolvida, tem um nível de acabamento de figurino muito maior. É uma série de fatores que tornam o custo de produção mais alto. É o que custa um produto desta natureza. Por isso foi muito bem investido – afirmou Souza, que também falou sobre a aceitação do público em relação às produções feitas pela Record com base em histórias bíblicas.

– O público aceitou muito esse nosso produto, até porque as pessoas têm curiosidade em viajar em outros tempos através da televisão, conhecer lugares, culturas e hábito diferentes. A minissérie bíblica, além de levar uma mensagem de paz e alegria, leva as pessoas a conhecerem esses outros ambientes – afirmou o executivo.

Confira os títulos dos 10 episódios que já estão gravados, e do que está entrando em produção:

“O Endemoniado Cego e Mudo”
“A Mulher da Cananéia”
“Um Cego em Betsaida”
“O Publicano Jovem e Rico”
“A Multiplicação de Pães e Peixes”
“A Mulher Samaritana”
“O Endemoniado de Cafarnaum”
“A Mulher Adúltera”
“Barrabás”
“A Ressurreição de Lázaro”
“A Cura do Servo do Sumo Sacerdote – Malco e Anás”

Fonte: Gospel +