Arquivo da tag: Religião

Estudiosos apontam para o declínio das religiões e avanço do ateísmo em todo o mundo

estudiosos-apontam-declínio-religiõesUma tendência mundial que tem chamado a atenção de estudiosos da sociologia e ciências da religião é o número cada vez maior de pessoas que se afastam da religião, e que se declaram abertamente como ateus.

Uma pesquisa realizada pelo instituto Gallup International, que entrevistou mais de 50 mil pessoas em 57 países, mostra que o número de indivíduos que se dizem religiosos caiu de 77% para 68% entre 2005 e 2011, enquanto o número daqueles que se identificaram como ateus subiu 3%, elevando para 13% a proporção da população sem religião.

– Há muito mais ateus no mundo hoje do que jamais houve, tanto em números absolutos quanto em porcentagem da humanidade – relata Phil Zuckerman, professor de sociologia e estudos seculares no Pitzer College, na Califórnia, e autor de “Living the Secular Life” (“Vivendo uma vida secular”, em tradução livre).

Zuckerman afirma que o capitalismo e o acesso à tecnologia e à educação parecem ter relação direta com o declínio da religiosidade em algumas populações, e ressalta que nações que registram maiores taxas de ateísmo tendem a ser aquelas que oferecem a seus cidadãos uma estabilidade econômica, política e existencial relativamente alta.

Porém, mesmo com a redução do número de religiosos em muitos países, os estudiosos afirmam que “declínio, no entanto, não quer dizer desaparecimento”, como argumenta Ara Norenzayan, psicólogo social da Universidade da Columbia Britânica em Vancouver, no Canadá, e autor de Big Gods (“Grandes Deuses”, em tradução livre).

– Por alguma razão, a religião parece dar um sentido ao sofrimento, muito mais do que qualquer ideal secular – ressalta Norenzayan, que acredita que, mesmo se os problemas do mundo fossem milagrosamente resolvidos e todos nós vivêssemos em paz e igualdade, as religiões ainda estariam entre nós.

De acordo com a BBC, os acadêmicos apontam dois motivos principais pelos quais acreditam que as religiões sempre vão existir, apesar do seu aparente declínio. O primeiro deles é o que a neuropsicologia chama de “buraco na forma de Deus”, uma suposta falha evolucionária que nos torna “vulneráveis” a acreditar em forças intangíveis. Outro fator é que a religião promove coesão e cooperação em grupo, muitas vezes pelo medo ou pela adoração a um ser superior, o que ajudou a manter a ordem em muitas sociedades, o que, segundo os especialistas, ainda colabora para a continuidade da presença de religião em inúmeras culturas.

Fonte: Gospel +

 

Anúncios

Viúva condenada por esconder o corpo do marido morto durante 6 meses enquanto orava por ressurreição

kaling-waldUm caso de devoção incondicional terminou de uma maneira chocante: uma mulher evangélica foi acusada, julgada e sentenciada por manter o corpo de seu marido em um quarto mais de seis meses após sua morte enquanto ela e os filhos oravam por sua ressurreição.

O caso foi registrado na cidade de Hamilton, no Canadá, e só foi descoberto graças a uma ação de despejo. O xerife foi ao local com o mandado e enquanto inspecionava os cômodos, pediu à viúva que abrisse um quarto que estava “selado”.

Ao abrir a porta, o cheiro do corpo em decomposição chamou a atenção do xerife, que encontrou o corpo de Peter Wald irreconhecível, coberto por mantas presas com fitas a seu corpo.

De acordo com informações do Daily Mail, o processo de decomposição ocorrido ao longo de seis meses atraiu ratos, apesar de a viúva ter providenciado o fechamento das saídas de ar do cômodo e trancado portas e janelas para evitar que o cheiro do corpo se espalhasse para outros ambientes.

Kaling Wald, 50 anos, se declarou culpada no tribunal por não notificar as autoridades sobre a morte do marido, e afirmou que durante todo o tempo ela e os filhos oravam pela ressurreição do patriarca.

Peter Wald morreu aos 51 anos depois de ter infeccionado o pé esquerdo e se recusado a procurar um médico, pois acreditava que a oração seria suficiente para alcançar a cura. Como era portador de diabetes, a infecção se agravou e ele caiu em coma.

Durante o período em que ele estava inconsciente, Kaling chegou a dormir ao seu lado, mas dias depois notou que havia rigidez cadavérica, e então tomou a providência de “selar” o quarto e orar por sua ressurreição.

“É um caso extremamente triste… Ela realmente acreditava que seu marido seria ressuscitado dentre os mortos, mesmo depois de seis meses”, afirmou a subprocuradora Janet Booy.

A subprocuradora disse ainda que a devoção cristã de Kaling havia chegado a um ponto que “maculou e entortou seu melhor julgamento”, pois ela “orava diariamente para Peter voltar à vida”.

O Superior Tribunal de Justiça determinou uma pena suspensa a Kaling, ordenando-a que realize serviços comunitários durante 18 meses e procure aconselhamento. “Sua crença de que seu marido iria ressuscitar não é um problema. Isto não é sobre suas crenças religiosas. Trata-se de sua segurança, a segurança de seus filhos e a segurança da comunidade em geral”, disse o juiz  Marjoh Agro.

O site CBC relata que os proprietários do imóvel notaram uma mudança no comportamento da família na época em que Peter morreu. O vizinho Brian Dennis diz que viu a família dançando e cantando no quintal vestidos de preto, e também havia visto moscas na janela do quarto e pássaros bicando a tela.

Ele e sua esposa Brenda perguntaram a Kaling sobre a saúde de Peter, e ela limitou-se a responder que “ele estava nas mãos de Deus agora”. Apesar do susto, os vizinhos lamentaram não poder se despedir de Peter apropriadamente: “Ele consertava as bicicletas das crianças e cortava a grama dos vizinhos. Agora ninguém poderá dizer adeus a ele”, disse Brenda.

Fonte: Gospel +

Cientistas revelam estudos que comprovariam equívocos de Darwin na Teoria da Evolução

marcos-eberlinContra a Teoria da Evolução, um grupo de cientistas respeitados se juntou para propagar a Teoria do Design Inteligente (TDI), e assim, quebrar o paradigma da biologia evolutiva criado por Charles Darwin no século XIX.

No Brasil, o grupo é liderado pelo evangélico Marcos Eberlin, bioquímico professor do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e autor de mais de 650 artigos científicos. Eberlin também coleciona mais de dez mil citações em trabalhos acadêmicos de outros pesquisadores, além de ser comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.

De acordo com a TDI, a vida não se desenvolveu na Terra de forma natural, mas projetada por uma mente inteligente: “Conhecimentos científicos em bioquímica e biologia molecular cada vez mais apurados nos permitiram abrir a caixa preta chamada célula e enxergar nela um conjunto imenso de máquinas moleculares dotado de uma complexidade irredutível”, argumenta Marcos Eberlin.

Essas características descobertas no estudo ao longo de décadas nas células permite, segundo Eberlin, contrapor a Teoria da Evolução: “Não dá para pensar num motor desse tipo produzido por forças naturais. Foi decisão de uma inteligência que existe no universo”, diz o cientista.

No Brasil, Eberlin e outros pesquisadores brasileiros fundaram a Sociedade Brasileira do Design Inteligente (SBDI), entidade que reúne ex-defensores da Teoria da Evolução. De acordo com a revista IstoÉ, a SBDI organizou recentemente o 1º Congresso Brasileiro do Design Inteligente, em Campinas, no interior de São Paulo.

Engana-se quem pensa que a adesão à TDI seja feita apenas por pesquisadores brasileiros. O grupo que aderiu a essa linha de pensamento científico no país se juntou a um coletivo bem maior existente nos Estados Unidos desde a década de 1980.

Entre os principais nomes dos adeptos à TDI nos Estados Unidos está o filósofo Paul Nelson, especializado em biologia evolucionária. Ele palestrou no Congresso da SBDI e ajudou a entidade a difundir o princípio da teoria entre os pesquisadores que compareceram ao evento.

“Não somos inimigos de Darwin, mas amigos da ciência. Queremos restabelecer a verdade científica”, diz Marcos Eberlin, que também é membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

No entanto, no meio acadêmico há críticas às bases da TDI e seus adeptos: “Eles não são da área para a qual pretendem contribuir. São químicos, pessoas que atuam na biologia molecular, bioquímica, e não trabalham com a evolução, diversidade biológica ou genética”, afirma Diogo Meyer , biólogo do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP). “É como se eu, que trabalho com evolução, argumentasse contra as interpretações mais convencionais da Revolução Francesa”, critica.

Infográfico da revista IstoÉ comparando as duas teorias

Infográfico da revista IstoÉ comparando as duas teorias

Fonte: Gospel +

 

Bruna Marquezine nega que tenha se tornado evangélica, mas ressalta: “Acredito em Jesus”

bmhj-540x292A atriz Bruna Marquezine negou que tenha se tornado evangélica, apesar de suas frequentes visitas à Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ).

Bruna afirmou recentemente, em entrevista coletiva antes do prêmio Profissionais do Ano – do qual era apresentadora – que não se prende à religião, mas acredita em Jesus Cristo.

“Sempre fui cristã, acredito em Jesus Cristo, fui criada na igreja católica, minha família toda é católica, mas não gosto de me prender a religião. Hoje é muito complicado falar sobre isso, então tento não me prender”.

Os boatos de que teria se tornado evangélica começaram durante seu namoro com o jogador Neymar, que é evangélico e cresceu numa Igreja Batista no litoral paulista. Durante a Copa do Mundo 2014, quando o atacante se machucou, Bruna publicou uma mensagem de apoio dizendo que confiava no “Deus milagroso” e que Ele o “curaria”.

Além disso, fotos e vídeos publicados pela atriz em seu perfil no Instagram durante uma visita à filial da megaigreja Hillsong, em Los Angeles (EUA), ao lado da modelo Stephannie Oliveira – filha do ex-jogador Bebeto e também evangélica – fizeram com que os boatos se tornassem ainda mais fortes.

Esse mês, um site de celebridades publicou a notícia de que Bruna frequenta cultos na Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, onde a cantora Fernanda Brum é uma das pastoras, e “é querida por lá”, além de impressionar “por saber cantar todos os louvores”.

A atriz de 19 anos foi eleita pela revista VIP a “Mulher Mais Sexy do Mundo”, com 314 mil votos, e comentou que não se esforça pra isso: “Não me considero a mulher mais sexy, de verdade. Acho que toda mulher tem um lado sensual e explora isso de uma maneira diferente. Tem mulheres que são mais sensuais, mas acho que a sensualidade mais bonita é aquela espontânea e acho que sou sensual assim, espontaneamente, não é planejado”

Fonte: Gospel +

Estudo mostra aumento no número de pessoas que querem mais presença da religião na política

religião-políticaUm estudo publicado recentemente pelo “Pew Research Forum’s Religion & Public Life Project”, nos Estados Unidos, revelou um numero crescente de pessoas que defendem que a religião deve desempenhar um papel mais importante nas decisões políticas.

Segundo o estudo, 72% da população norte americana acreditam que a influência da religião está em declínio na política nos últimos 10 anos. O estudo mostrou ainda que grande parte da população vê essa queda da influência da religião como algo ruim.

Entre os números mostrados na pesquisa, cerca de metade dos americanos defende que4 igrejas e outras instituições religiosas devem expressar abertamente suas opiniões sobre questões sociais e políticas, um aumento de 6% desde 2010.

As conclusões do estudo do Pew contradiz o que parecia ser uma tendência no aumento da secularização na vida social e política americana, surpreendendo especialistas como Seth Dowland, professor assistente de história religiosa americana na Universidade Luterana do Pacífico no estado de Washington.

Segundo o professor, os cristãos evangélicos têm uma “nostalgia de uma época em que a sociedade não era tão grosseira e onde os cristãos protestantes tinha o controle moral que eles sentem estar perdido”. Dowland afirma que este sentimento pode ter contribuído para o aumento do apoio a líderes religiosos que discutem política no púlpito de suas igrejas.

O pastor Jim Garlow da Skyline Church, na Califórnia, comentou o assunto apontando para a atual situação política, dizendo que o presidente Obama e outros líderes de esquerda teriam “exagerado na mão” ao promulgar leis que vão contra os desejos do povo, ou pelo menos dos evangélicos americanos.

O pastor citou a aprovação do casamento gay em muitos estados por ordem judicial, em vez de através de uma votação por parte dos cidadãos.

Fonte: Gospel +

Barbie vestida de santa e Ken como Jesus Cristo irrita cristãos

ken-boneco-barbie-jesus-cristoCriação de artistas argentinas gera polêmica.

As artistas Piscina Paolini e Marianela Perelli estão gerando revolta na Argentina por causa de suas novas obras. Elas criaram versões religiosas da Barbie e de seu companheiro Ken. A boneca aparece nas “versões” Virgem Maria, Maria Madelana e Nossa Senhora Aparecida. Por sua vez, o Ken ganha forma de São Caetano, São Roque, mas a imagem de Jesus Cristo crucificado foi a que mais irritou os religiosos.

“Utilizamos o humor para ressaltar a desconexão com o universo histórico, político e religioso, que é uma ficção”, afirmam as artistas. Contudo, católicos e evangélicos argentinos reclamaram que as “obras” dessas artistas fazem piada das imagens sagradas.

Os bonecos não serão vendidos, pois as criadoras não tem autorização da Mattel, dona da marca Barbie e Ken. Elas reconheceram que sabiam que gerariam polêmica. Contam ainda que não foram procuradas pela Mattel, mas sofreram ameaças de processo da igreja católica de San Juan, pois elas usaram sem permissão a imagem das santas que são patenteadas.

650x445xbarbie-aparecida1.jpg.pagespeed.ic.m_uhrpAsO2

Contam ainda que no passado fizeram versões de bonecas retratando personagens famosos na Argentina, como o jogador de futebol Diego Maradona, o ex-presidente Juan Domingo Perón e a esposa Evita, até mesmo do Papa Francisco. Nunca tiveram problemas por causa disso. Piscina declarou ainda que elas “nada têm contra as religiões” e que não pretendem fazer outras representações, como do profeta Maomé, pois sabem que o Islã as considera ofensivas ao profeta.

650x346xbarbie-providencia.jpg.pagespeed.ic.S_xCOC3IU6

Por causa da repercussão, as duas artistas plásticas foram procuradas por diferentes galerias de arte, interessadas em fazer mostras com as bonecas e outras obras de sua autoria. Com informações BBC.

Fonte: Gospel Prime

Pesquisa do Datafolha mostra intenções de voto à Presidência da República por religião

pesquisa-votos-religiãoA pesquisa mais recente publicada pelo Datafolha sobre as intenções de voto para a Presidência da República detalhou o desempenho dos candidatos dentro de vários setores da sociedade. Entre detalhamentos por região, idade, escolaridade e renda, a pesquisa mostrou também o desempenho de cada candidato por religião.

Comparados com os resultados das últimas pesquisas, os dados divulgados pelo Datafolha mostrou que Marina Silva lidera as intenções de votos entre os evangélicos, com 39% das intenções de voto entre pentecostais e entre não pentecostais, porém, tendo uma queda entre ambos os grupos desde a última pesquisa (divulgada no dia 08/09). Já Dilma Rousseff, lidera entre os católicos.

O quadro geral da pesquisa mostra Dilma Rousseff (PT) com 37% das intenções de voto, Marina Silva (PSB) com 30% e Aécio Neves (PSDB) com 17%. Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) ambos com 1%. Os demais candidatos não alcançaram 1%.

Dilma Rousseff

A atual presidente, e candidata à reeleição, lidera as pesquisas entre os católicos, com 40% das intenções de voto desse eleitorado, contra 25% de Marina Silva e 20% de Aécio Neves. O desempenho da candidata entre os católicos permanece o mesmo desde a última pesquisa. Dilma Rousseff lidera também entre os adeptos da Umbanda, com 32% das intenções de voto entre esse eleitorado, uma queda de 7 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior.

Entre os evangélicos, Dilma teve um pequeno aumento nas intenções de voto, passando de 32% a 33% entre os pentecostais e de 26% para 29% entre os não pentecostais.

Porém, a candidata perdeu eleitores entre os espíritas e espiritualistas, caindo de 29% para 28%, e entre os sem religião, passando de 31% das intenções de voto para 28%.

Marina Silva

A candidata do PSB lidera as pesquisas entre quase todos os grupos religiosos ouvidos pela pesquisa, ficando atrás de Dilma Rousseff apenas entre os católicos e umbandistas. Marina Silva detém 39% das intenções de votos entre evangélicos, apresentando uma ligeira queda nesse segmento em relação à última pesquisa, que mostrava 41% e 44% das intenções de voto entre os pentecostais e os não pentecostais, respectivamente.

Marina lidera as pesquisas também entre os espíritas e os espiritualistas, com 41% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, ela detinha 32% das intenções desse grupo. Já entre os sem religião, Marina Silva subiu de 33% para 38%, continuando à frente dos outros candidatos. Entre os umbandistas, a candidata do PSB tem 28% das intenções de voto.

Aécio Neves

Em terceiro lugar geral nas pesquisas, o candidato do PSDB mantém também a terceira colocação entre todos os grupos religiosos, com 20% das intenções de votos dos católicos 11% dos evangélicos pentecostais, 16% entre os evangélicos não pentecostais, 17% entre espíritas e espiritualistas, 15% entre umbandistas e 14% entre os sem religião.

Veja o infográfico do G1 com o desempenho dos candidatos entre representantes das principais religiões:

extrato_datafolha_religiao

Fonte: Gospel +

Estudo revela que jovens evangélicos tendem a ser mais liberais que seus pais

jovens-orandoUma pesquisa feita com jovens evangélicos detectou que esse público, formado pela chamada “geração milênio”, é menos conservador que as pessoas mais velhas e que professam a mesma fé.

A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos pelo Instituto Público de Pesquisas da Religião (PRRI, na sigla em inglês) com jovens evangélicos que utilizam redes sociais.

O levantamento foi feito em duas partes, analisando primeiramente os jovens que utilizam as redes sociais mais voltadas a esse público, e posteriormente analisando os usuários de redes sociais mais populares, como o Facebook, por exemplo.

O relatório do estudo chegou a conclusão de que o primeiro grupo tem maior tendência a nutrir pensamentos mais liberais e distanciado dos valores culturais mantidos pelos mais velhos. Já o segundo grupo tende a ser mais propenso a enxergar as situações da mesma maneira que os mais velhos.

De acordo com o Christian Post, o segundo grupo de jovens evangélicos estavam imersos no que os estudiosos conveniaram chamar de “subcultura evangélica”, e portanto, interagindo menos com os não crentes.

No entanto, mesmo com essa tendência, eles demonstraram não absorver por completo as opiniões dos mais velhos, demonstrando algumas atitudes diferentes dos mais velhos.

O PRRI é uma organização liberal e apartidária que se dedica a estudar a relação entre a religião e a vida em sociedade. O relatório desse estudo foi apresentado no final de agosto durante o encontro anual da Associação de Ciência Política.

 “Reunimos algumas evidências que são sugestivas sobre o porquê de jovens evangélicos serem diferentes dos seus antecessores – eles estão reagindo negativamente à conturbada subcultura política de seus pais”, resumiram os responsáveis pelo estudo.

O efeito prático dessas divergências a curto prazo deve ser mínimo, dizem os pesquisadores, que ponderam que a longo prazo, isso pode significar uma mudança de comportamento significativa e que influencie a forma como votam e se relacionam com pessoas de fora de seu grupo religioso.

Fonte: Gospel +

 “PT pratica preconceito religioso boçal contra a fé de Marina Silva”, escreve jornalista

Foto: Tereza Hezim

Foto: Tereza Hezim

O jornalista Reinaldo Azevedo criticou o que chamou de “preconceito religioso boçal” que a campanha petista e parte da imprensa tem praticado contra a candidatura de Marina Silva (PSB).

Num artigo publicado em sua coluna no site da revista Veja, Azevedo afirmou que é correto propor o debate na campanha, e confrontar a ex-senadora com seu passado e suas propostas atuais, e que a própria Marina deve lidar com isso da melhor maneira possível.

“Marina tem de aprender a ser confrontada. Afinal, a vida pública é distinta da militância numa ONG, em que todos partilham do mesmo propósito. É forçoso lidar com o contraditório”, escreveu Azevedo.

O texto do jornalista reforça que é obrigação dos demais candidatos expor os pontos que acham frágeis ou incongruentes nas propostas do programa de governo do PSB: “Dilma e Aécio têm o dever de confrontar Marina, porque não é menos verdade que Marina os confronta, dizendo por que tem de ser ela, não eles, a assumir a Presidência da República em 2015”, ponderou.

Porém, o jornalista – que é católico praticante – afirmou ser uma “baixaria” os questionamentos e ataques feitos a Marina por ela ser uma evangélica, membro da Assembleia de Deus Plano Piloto, em Brasília (DF).

 “Uma coisa é o debate político, outra, distinta, é a baixaria em que petistas e parte da imprensa engajada no petismo tentam enredar a candidata do PSB. Mais uma vez, tira-se do armário eleitoral a causa gay para colar na candidata a pecha de homofóbica. Isso, com efeito, não é campanha política, mas oportunismo da pior espécie. O programa de Dilma defende o casamento gay, com essas palavras? O programa de Aécio defende o casamento gay, com essas palavras? Por que tentam fazer com que tal defesa vire uma imposição moral para Marina? Porque ela é cristã? Porque ela é evangélica? Então se cobra dela que vá além dos outros justamente porque se desconfia que tal proposição possa se constituir, para ela, numa cláusula de consciência? Ora, vão plantar batatas!”, disparou Azevedo.

Em sua conclusão, o jornalista – que é um notório crítico do governo petista – diz que os militantes do Partido dos Trabalhdores dizem combater o preconceito usando outro pensamento simplista e pejorativo: “Tenta-se fazer blague com ela [Marina}, ridicularizá-la, porque leria a Bíblia antes de tomar decisões. Se ela lesse bula de remédio, seria melhor? E se lesse os Diários de Che Guevara ou alguma obra sobre budismo? Aí poderia ser incensada ou por esquerdistas ou por cultores de orientalismos? Qual será o paradigma do PT? Combater o suposto preconceito contra gays com o preconceito contra evangélicos?”, questionou.

Fonte: Gospel +

 

Candidato a vice na chapa de Marina Silva, Beto Albuquerque defende separação entre religião e Estado

(Zanone Fraissat/Folhapress)

(Zanone Fraissat/Folhapress)

Desde que Marina Silva assumiu a disputa à Presidência pela chapa liderada pelo PSB, um dos assuntos que constantemente vêm à tona é o fato de a candidata ser evangélica. Em um esforço de desvincular a candidatura da Marina de uma suposta relação com grupos religiosos, o vice da chapa, Beto Albuquerque, veio a público defender a laicidade do estado, e afirmar que o governo do PSB não irá privilegiar nenhuma religião.

As afirmações de Albuquerque foram feitas durante ato de campanha no Parque Farroupilha, em Porto Alegre, no último domingo (31).

– Não podemos fazer um governo desta ou daquela religião. Precisamos fazer um governo para os brasileiros. Nem a política deve mandar na religião, nem a religião na política. Temos que ser laicos – afirmou o candidato.

Segundo o portal R7, a defesa do candidato a vice ao estado laico seria uma resposta às criticas que a coligação vem recebendo de uma possível dependência da candidata em relação a grupos evangélicos mais conservadores. Tais críticas se tornaram ainda mais intensas após Marina Silva ter anunciado uma correção em trechos de seu programa de governo em relação aos direitos da comunidade LGBT.

Um dos principais motivos das críticas contra a candidata foi o fato de as mudanças em seu programa de governos terem sido anunciadas após ela ser duramente confrontada nas redes sociais por políticos da bancada evangélica e pastores como Silas Malafaia, que afirmou que “a candidata membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus”, estava fazendo “uma defesa vergonhosa da agenda gay”.

O comitê LGBT da campanha de Marina Silva também saiu em defesa da candidata, afirmando em nota oficial que realmente houve um erro na editoração do capítulo do que trata dos direitos dos homossexuais.

– Não vamos aceitar que uma falha de diagramação desqualifique nosso debate pela construção de uma nova política. Nossa luta é pela defesa do Estado laico e por um Brasil que respeite a todos – afirma o texto da nota.

Fonte: Gospel +

Estudo afirma que crianças “religiosas” tem dificuldades em distinguir o que é real

crianças-religiosasUm estudo recém-publicado pela revista Cognitive Science, que tratou da relação entre as crianças e o ambiente religioso, concluiu que as crianças que são educadas próximas à religião têm maiores dificuldades em distinguir a realidade da ficção. As conclusões da pesquisa apontam que as crianças religiosas têm mais probabilidade de acreditar que elementos sobrenaturais podem ser reais.

O estudo teve como base um grupo de 66 crianças, sendo que metade frequentava escolas religiosas e a outra metade frequentava escola laica. Segundo o Huffington Post, essas crianças foram expostas a três tipos de histórias – religiosas, fantásticas e realistas – em um esforço para medir o quão bem eles poderiam identificar narrativas com elementos “impossíveis” como ficcionais.

Com base nesse grupo de crianças, os pesquisadores identificaram que o as crianças que iam à igreja com uma frequência maior tinham mais dificuldades para identificar elementos sobrenaturais, como animais falantes, como ficção.

Segundo os pesquisadores responsáveis pelo estudo, as crianças expostas de maneira mais constante à religiosidade confiavam em elementos da religião para justificar esse tipo de crença.

– A exposição a histórias sobre milagres faz com que crianças tenham uma receptividade mais genérica para o impossível, uma aceitação maior de que coisas podem desafiar a realidade, sem relações causais – afirmam os responsáveis pelo estudo, defendendo que estes resultados refutam as hipóteses anteriores de que as crianças nascem predispostas à fé.

Fonte: Gospel +

Guarani retira imagem de índio do uniforme a pedido de cristãos

guaraniA decisão foi tomada depois que atletas católicos e evangélicos reclamaram do símbolo que foi colocado na camiseta no mês de maio.

A imagem do índio caboclo nos uniformes do Guarani fez com que atletas católicos e evangélicos ficassem incomodados e solicitassem à diretoria que removesse o símbolo da camiseta.

Segundo o site do Globo Esporte, por estar associado a crenças da umbanda e espiritismo, a imagem do índio caboclo provocou um racha ideológico entre os jogadores.

Na primeira partida com o símbolo da camisa, o Guarani perdeu de 5 a 1 para o Guaratinguetá. Disputando na Série C do Campeonato Brasileiro, o time não vence há quatro rodadas e em uma reunião com o time, a questão sobre o símbolo foi discutida.

O técnico Evaristo Piza chegou a chamar dois amigos pastores para conversar com os atletas, um deles é Marcos Grava, presidente dos Atletas de Cristo. Os jogadores pediram e a imagem do índio caboclo deixará de fazer parte do uniforme e também será retirada dos vestiários do Brinco de Ouro.

“O pedido dos jogadores foi para tirar. Isso foi atendido. Estamos fazendo de tudo para que os jogadores fiquem confortáveis”, disse o técnico.

“Para uns, incomoda. Para outros, não. O evangélico não acredita na imagem, é insignificante. O católico já acha que é um símbolo do candomblé”, explicou Piza.

O índio caboclo é o protetor do clube desde a inauguração do Brinco de Ouro, na década de 50, quando o time era administrado por Jayme Silva.

O atual diretor do Guarani é Álvaro Negrão que é espírita. Para ele o índio foi o grande responsável pelo resultado positivo do time no mês de maio, antes da Copa, quando depois de 71 dias o time venceu um jogo.

Depois de incluir o símbolo no uniforme, o time passou a ter momentos complicados, em seis jogos, o Guarani teve apenas uma vitória, três empates e duas derrotas. O próximo jogo o time já entrará em campo sem o índio caboclo para enfrentar o time Madureira.

Fonte: Gospel Prime

Superior Tribunal de Justiça decide que mortes por recusa à transfusão de sangue devido a questões religiosas não são crime

transfusao-de-sangueO Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que as convicções religiosas que impedem o socorro médico adequado a pessoas com problemas de saúde não é crime. Dois ministros da 6ª Turma julgaram um caso que se arrastava desde 1993 e decidiram absolver os envolvidos.

O caso da menina Juliana Bonfim da Silva, que em 1993 tinha 13 anos e precisava de uma transfusão de sangue para tratar de uma anemia falciforme, doença que deforma as hemoglobinas.

Como os pais eram fiéis da denominação Testemunhas de Jeová, não permitiram que o médico fizesse a transfusão, pois de acordo com a doutrina da igreja, a Bíblia ordena a abstenção de sangue. Em sermões nos salões das Testemunhas de Jeová é comum ouvir que “o sangue para Deus representa a vida”.

No dia 22 de julho de 1993 os médicos do Hospital São José que atendiam a menina explicaram para os pais que era extremamente necessário uma transfusão de sangue para que ela sobrevivesse, pois os vasos sanguíneos estavam obstruídos. Em resposta, ouviram da mãe que ela preferia ver sua filha morta a vê-la recebendo uma transfusão, de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Em 1997, o Ministério Público entrou com uma ação pedindo a condenação dos pais por homicídio doloso, pois “apesar dos esclarecimentos feitos por médicos, recusaram-se a permitir a transfusão, invocando preceitos religiosos da seita Testemunhas de Jeová”.

O processo se arrastou por anos, e o advogado de defesa da família, Alberto Zacharias Toron, usou um caso semelhante ocorrido na Espanha como precedente para pedir a absolvição dos pais.

No entanto, de acordo com o jornalista Ricardo Boechat, da rádio Band News FM, o STJ determinou também que em casos semelhantes, a decisão sobre as ações médicas deverão caber única e exclusivamente aos médicos, evitando assim que novas mortes aconteçam por conta de restrições religiosas.

 Fonte: Gospel +

Casas de recuperação não poderão forçar o usuário a aceitar uma religião

casa de recuperaçãoAs instituições religiosas terão que se comprometer a seguir o tratamento do dependente químico sem impor uma crença.

O Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas deve publicar nas próximas semanas uma resolução para regular o funcionamento de comunidades terapêuticas que usam a religião para auxiliar na recuperação de dependentes químicos.

Segundo o jornal Folha de São Paulo as instituições religiosas terão que se comprometer a não forçar os pacientes a aderirem a fé para continuarem o tratamento.

O secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Vitore Maximiano, confirmou esta informação. “A pessoa não pode ser compelida a aderir a uma fé. Ela pode seguir o tratamento sem esse componente”, disse ele.

Outra norma da resolução é que a liberdade dos usuários não poderá ser restrita, nem formalizar relações de trabalho com a própria comunidade. Sobre o imóvel onde as casas de recuperação funcionam será necessário ter alvará de funcionamento, um laudo sanitário e um projeto terapêutico consistente.

Em todo o Brasil há aproximadamente 1.800 comunidades terapêuticas para o tratamento de usuários de drogas, o Governo Federal tem gasto R$ 85 milhões por ano em parcerias com os estados para ampliar as vagas nos centros de atendimento, a ideia é que até o final do ano o país tenha 10 mil vagas para atender dependentes químicos.

Fonte: Gospel Prime

Pastor afirma que redes sociais são inimigas da religião

henry-g.-britonEle propõe que as pessoas saiam do mundo online para se conectar com Deus e com seus vizinhos.

Para o pastor americano Henry G. Briton as redes sociais podem minar as religiões. Foi isto que ele afirmou em um artigo escrito no Huffington Post se mostrando preocupado com as relações virtuais.

“Estou ficando cada vez mais convencido de que a mídia social pode minar religião por mensagens de ‘generalistas’, colocando o valor no ‘curtir’ e ‘seguidores’ e distraindo as pessoas de um relacionamento com Deus e com seus vizinhos mais próximos”, afirmou.

Briton é pastor sênior da Igreja Presbiteriana de Fairfaz, em Virginia, e lembrou que há muitos líderes religiosos se valendo dessas ferramentas para evangelizar.

Entre os líderes citados por ele está o Papa Francisco que posta mensagens no Twitter, mas outros religiosos e igrejas que usam redes como o Facebook e o LinkedIn.

Na visão do pastor Briton, as redes sociais são “tentadoras”, mas o tempo gasto com elas deveria ser usado para criar relações com Deus e com os próximos.

“Todos nós podemos nos beneficiar ao ‘desplugar’ do mundo online por um dia ou uma temporada, e achar serenidade e crescimento espiritual em uma conexão mais forte com Deus e as pessoas perto de nós”, incentivou o presbiteriano.

Fonte: Gospel Prime com informações Terra.

Mesmo evangélico, Naldo vai lançar “clipe mais sensual de todos”

naldo1-320x180Cantor afirma que “trabalho é trabalho e religião é religião”.

Há quem duvide quando uma celebridade diz ter se tornado evangélico, mas continua vivendo exatamente da mesma maneira. Mais ainda, quando afirma ser seguidor de Jesus desde criança e mesmo assim seu estilo de vida contradiz o que a maioria das igrejas ensina.

Nessa categoria poderia se incluir o nome de Ronaldo Jorge Silva, mais conhecido pelo nome artístico de Naldo Benny. Nascido em lar evangélico, o cantor já afirmou que pensa em se tornar pastor.

“Se amanhã eu não quiser mais cantar e for me dedicar à igreja, como meu pai, minha mãe, minha irmã e meu cunhado, pode ser que aconteça”, disse ele em entrevista ao jornal Extra. “Tenho muita vontade de ser pastor”.

Mas ele sabe que para chegar a ser pastor é preciso estudar. “O dom da palavra é um lance que necessita de estudo, mas acho bom falar de Deus através da música”.

Enquanto não se decide sobre sua vocação, ele está promovendo seu novo DVD e, ao mesmo tempo, participa da gravação do primeiro CD e DVD de Thalles Roberto pela Universal Music. O disco será gravado ao vivo em São Paulo amanhã (30). Eles gravaram juntos recentemente a música “Quero sua vida em mim”.

Os pais de Naldo são da igreja Assembleia de Deus e ele já contou que mantém contato com vários pastores da igreja. Mesmo sendo religiosos, os pais do cantor não recriminam suas canções. “Eles sabem que é o meu trabalho, que estou conseguindo o meu sustento com o suor do meu rosto. Isso é bíblico, isso é de Deus”.

Em meados do ano passado, o autor do hit “Amor de chocolate” contou que suas músicas são sexuais porque ele é assim. “Sou sexual por natureza”, disse. A declaração não repercutiu muito bem junto aos evangélicos na época.

Durante uma passagem por Porto Alegre esta semana, Naldo deu uma entrevista a um jornal local afirmando que não pretende seguir carreira gospel.

Entre as várias questões abordadas por ele, ressaltou que a imprensa o persegue, inventando calúnias por que ele não dá motivo. “Não vou pra noite. Não uso droga. Eu não bebo… Não tenho essa de ficar na night… ”. Mostrou sua mágoa com a maneira que a imprensa lidou quando ele recentemente perdeu o filho que sua mulher esperava.

Ao falar sobre sua fé, ele diz que transmite para seus fãs aquilo que ele crê. Contou que participará da Marcha para Jesus no próximo mês. Mesmo assim, ressaltou que cantar é sua profissão. Ele separa o Naldo do funk do Naldo evangélico. “Sou evangélico por convicção. É o que acredito como Deus. Pra mim trabalho é trabalho e religião é religião. Eu vou lançar um clipe agora que é o mais sensual de todos”. Para ele não existe contradição nenhuma nisso.

Fonte: Gospel Prime

 

 

 

 

Fãs criam seita para adoração da cantora Beyoncé: “Uma deusa que fala e respira”; Veja vídeo

Beyonce-200x120A cantora Beyoncé se tornou alvo de culto de um grupo de fãs que se organizou numa “igreja” para adorá-la. A cantora pop não é a primeira celebridade que se torna tema de uma religião: o ex-jogador Maradona é visto como “santo” por religiosos argentinos.

A Igreja Nacional de Bey – que prega o beyism, a fé na cantora e atriz – foi fundada em Atlanta, na Geórgia (EUA), e reúne fiéis aos domingos, em cultos de adoração com a trilha sonora de Beoyoncé.

De acordo com o Christian Today, a cantora não faz parte do grupo e nunca se pronunciou sobre o assunto. Beyoncé é considerada pela mídia especializada em celebridades como a artista que tem os fãs mais aficionados do mundo.

A denominação de adoração a Beyoncé tem recebido muitas críticas da opinião pública, e a fundadora do grupo, Pauline John Andrews, conhecida como “Ministra Diva”, rebate as avaliações negativas: “Estamos muito decepcionados com a opinião pública por não reconhecerem a existência de uma divindade caminhando entre eles. Divindades, muitas vezes, andam na Terra em carne e osso. Beyoncé transcenderá e voltará a ser espírito quando seu trabalho estiver finalizado aqui na Terra”, disse a fã.

A “Ministra Diva” ainda ironizou o cristianismo: “Pedimos que considerem o que é mais real: um espírito invisível em cima, ou uma deusa que fala e respira, mostrando sua verdadeira forma diariamente? Não acreditamos que Beyoncé seja o Criador, nós reconhecemos que Ele ainda está entre o trono dos deuses . Humildemente pedimos que respeitem nossas crenças pois queremos respeitar as suas. Abra sua mente para novas possibilidades e, como nós, veja que Bey é um verdadeiro poder superior “, disse.

Fonte: Gospel +