Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Lideranças evangélicas comemoram impeachment de Dilma Rousseff; Ariovaldo Ramos lamenta

tchau queridaMuitos líderes evangélicos comentaram a decisão do Senado de remover Dilma Rousseff (PT) do cargo de presidente da República, e a maioria dos que se manifestaram comemoraram a decisão, com exceção do pastor Ariovaldo Ramos.

No Twitter, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) pediu que os cristãos intercedam pela nação nesse momento de crise: “Vamos orar pelo nosso país, pedindo misericórdias a Deus”.

Já na tribuna da Câmara dos Deputados, Feliciano disse que vê no impeachment de Dilma Rousseff “um golpe de sorte” para o país, e destacou que é hora de enfrentar a crise: “Ninguém está acima da lei, nossa jovem democracia mostra sua força, voltamos a respirar a esperança. Nosso país quebrou e medidas duras precisarão ser tomadas. O PSC não irá se esquivar desta responsabilidade. Vamos ajudar a reconstruir o Brasil!”.

O pastor Silas Malafaia, barulhento opositor dos governos petistas, comemorou a deposição de Dilma e o resultado próximo ao seu palpite: “Estou bom de prognóstico. Errei por 1, Dilma afastada por 61 votos. Deus abençoe o Brasil! O Brasil é do Senhor Jesus!”.

A psicóloga Marisa Lobo (SD-PR), candidata a vereadora em Curitiba, comemorou economizando nas palavras: “Acabou… 61 x 20… #ForaPT”.

O senador Magno Malta (PR-ES), que votou pelo afastamento definitivo de Dilma Rousseff, criticou a decisão de não inabilitar a ex-presidente para a função pública: “Está cassada! Ridículo tentar não tirar os direitos políticos dela! Aliás, acordo de safadeza”, disparou.

O pastor e deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), também comemorou: “Viva o Brasil! Viva o povo brasileiro! Acabooooou! #TchauQuerida”.

Renato Vargens, escritor e pastor da Igreja Cristã da Aliança, comemorou a queda do modelo político adotado pelos governos exercidos pelo PT: “Acabou! Fim do lulopetismo no BRASIL. #TCHAUQUERIDA”.

O deputado federal Ezequiel Texeira (PTN-RJ), lembrou de parte da crise causada pelo governo da ex-presidente: “Dilma se junta aos 12 milhões de desempregados que o seu governo criou”.

Defensor ferrenho do governo petista, Ariovaldo Ramos lamentou o impeachment e disse que defender a ex-presidente foi sua maneira de honrar a Cristo diante de supostos traidores: “Não sei o que será, espero que a democracia triunfe sobre a tentativa de golpe. Estou grato a Deus por ter lutado pela democracia ao lado de Dilma Rousseff. De ter honrado ao Cristo, em meio a tantos Iscariotes que tomaram de assalto o movimento evangélico!”, escreveu no Facebook. Posteriormente, acrescentou no Twitter: “Vamos em frente! Não vamos desistir do Brasil! A luta pela democracia não pode parar!”.

Fonte: Gospel +

Anúncios
Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Impeachment! Dilma Rousseff é cassada pelo Senado

Dilma Rousseff foi afastada definitivamente pelo Senado nesta quarta-feira, mas manteve seus direitos políticos - Leo Correa / AP
Dilma Rousseff foi afastada definitivamente pelo Senado nesta quarta-feira, mas manteve seus direitos políticos – Leo Correa / AP

31 de agosto de 2016 é a data em que, pela segunda vez em 24 anos, a República Federativa do Brasil afastou definitivamente um ocupante da Presidência. Dilma Vana Rousseff (PT) foi afastada definitivamente na tarde dessa quarta-feira.

Às 13h35, Dilma foi cassada por 61 votos a favor e 20 contra, o Senado julgou o processo de impeachment decidindo pela cassação do mandato da, agora, ex-presidente Dilma por crime de responsabilidade.

Na sessão presidida pelo ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), os parlamentares julgaram a acusação elaborada pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, que apontaram uma conduta de atentado à legislação brasileira no episódio apelidado pela imprensa de “pedaladas fiscais”.

O processo de impeachment de Dilma Rousseff durou quase nove meses. Foi iniciado no dia 02 de dezembro de 2015, quando o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acolheu o pedido elaborado pelos juristas,

“Recebi com indignação a decisão do senhor presidente da Câmara dos Deputados de processar pedido de impeachment contra mandato democraticamente conferido a mim pelo povo brasileiro. São inconsistentes e improcedentes as razões que fundamentam este pedido. Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim”, disse Dilma, à época.

Ao longo das discussões que se seguiram, o PT e seus aliados se empenharam em tachar o processo como um “golpe”, indiferentes à constatação de incoerência de sua postura, uma vez que a mesma legenda havia atuado de forma intensa no primeiro processo de impeachment sob a Constituição Federal de 1988, em 1992, quando o então presidente Fernando Collor perdeu o mandato.

No dia 17 de abril de 2016, a Câmara votou em plenário a aceitação do processo contra Dilma, e o pedido foi aprovado por 367 votos, contra 137. Quase quatro meses depois, no dia 10 de agosto, o Senado aceitou a abertura do processo de impeachment contra Dilma, por 59 votos a 21.

Detalhes

Na sessão de julgamento desta quarta-feira, 31 de agosto, houve discussões sobre a votação em separado da perda de mandato de Dilma e da inabilitação da ex-presidente para ocupação de funções públicas por oito anos.

Lewandowski optou por aceitar submeter ao plenário a decisão se as duas questões seriam votadas juntamente ou em separado. Os senadores votaram a cassação e a inabilitação separadamente, com a segunda tendo resultado favorável à ex-presidente. Assim, Dilma Rousseff não foi proibida de se candidatar a cargos públicos eletivos e também de assumir funções públicas através de nomeações.

Confira a íntegra da sessão:

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Evento, Política

Insatisfação aumenta e 1 milhão confirmam presença em manifestações por impeachment de Dilma

dilma-rousseffA insatisfação dos brasileiros com sua presidente começa a ganhar contornos mais definidos nesse começo de 2015, quando a popularidade de Dilma Rousseff (PT) despencou, poucos meses após sua apertada reeleição.

Um protesto que pede o impeachment de Dilma, marcado para o próximo dia 15 de março, ganha força nas redes sociais, e de acordo com um levantamento feito por uma consultoria, 1 milhão de usuários do Facebook confirmou presença nos eventos que acontecerão, nessa data, em diversas cidades do Brasil.

A empresa Bites conseguiu identificar 37 manifestações pela remoção da presidente agendadas na rede social para o dia 15 de março, de acordo com informações do jornalista Felipe Patury.

“Cinquenta dias depois de começar o segundo mandato, a  presidente Dilma Rousseff enfrenta uma onda pró-impeachment na internet. A consultoria Bites encontrou no Facebook 37 manifestações pela interrupção do mandato de Dilma, todas marcadas para o fatídico 15 de março. Mais de 1 milhão de pessoas confirmaram presença. A Bites checou seus perfis para evitar dupla contagem”, escreveu o jornalista em sua coluna no site da revista Época.

O pedido popular pelo impeachment de Dilma Rousseff é motivado pela descrença de que a presidente não tinha conhecimento dos casos de corrupção na Petrobrás, já considerado o maior escândalo da história do país se for levado em consideração o montante desviado dos cofres da empresa para financiar projetos políticos do PT e seus aliados.

A mesma empresa fez um levantamento da quantidade de publicações no Twitter que contém a palavra impeachment associada ao nome da presidente. A descoberta causa espanto: somente nos primeiros 20 dias de fevereiro o tema se repetiu 97 mil vezes.

Uma petição pelo impeachment no site da Avaaz, entidade que se dedica à divulgação de petições públicas, conta mais de 2 milhões de assinaturas.

No começo deste mês, pesquisas realizadas junto ao eleitorado demonstraram que os brasileiros consideram a presidente mentirosa e desonesta, com 44% desaprovando sua administração. O Instituto Paraná Pesquisas averiguou que se o segundo turno da eleição presidencial tivesse acontecido em janeiro, Dilma não seria reeleita.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Política

Malafaia comemora vitória de Cunha na Câmara e diz que governo vai ter que “aturar” evangélicos

eduardo-cunha-presidente-da-camaraO pastor Silas Malafaia comemorou a eleição do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara dos Deputados, e revelou que um de seus aliados ajudou o conterrâneo na campanha.

No Twitter, Malafaia disse que o pastor Sóstentes Cavalcante (PSD-RJ), membro da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) fez campanha a favor de Cunha. O gesto foi contrário à ordem da executiva nacional do PSD, presidido pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, que apoiou o petista Arlindo Chinaglia.

“Parabéns ao deputado Sóstenes Cavalcante que trabalhou como leão para ajudar a eleger Eduardo Cunha presidente da Câmara. Valeu!”, escreveu o pastor.

Silas Malafaia também destacou que, com a eleição de um parlamentar da bancada evangélica para comandar a Câmara dos Deputados, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) terá que “aturar” as lideranças evangélicas.


Parabéns ao novo presidente da câmara,DEP evangélico Eduardo Cunha,uma vitoria espetacular humilhou o governo e o PT.Vão ter q nos aturar.

— Silas Malafaia (@PastorMalafaia) 2 fevereiro 2015


“Parabéns ao novo presidente da Câmara, deputado evangélico Eduardo Cunha. Uma vitória espetacular humilhou o governo e o PT. Vão ter que nos aturar”, escreveu, antes de acrescentar que, a seu ver, o parlamentar não tem dívidas políticas com outras forças do Congresso: “A vitória de Eduardo Cunha para presidência da Câmara foi tão espetacular que ficou sem dever à oposição e à situação”.

Eduardo Cunha é membro da Igreja Sara Nossa Terra no Rio de Janeiro, e foi líder do PMDB no ano passado. Eleito com 267 votos, 10 a mais que o mínimo necessário para encerrar o pleito no primeiro turno, Cunha derrotou o candidato do governo e se tornou o segundo na linha de sucessão presidencial. Caso Dilma Rousseff renuncie ou seja destituída, e seu vice, Michel Temer (PMDB) não possa ocupar o cargo ou abra ou abra mão, é Cunha quem assume o posto.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil

PL 122 é arquivado no Senado, mas já tem substituto na Câmara

bandeira_gayDilma Rousseff se comprometeu em aprovar uma lei para criminaliza a homofobia.

O projeto de lei 122/2006 foi arquivado no Senado nesta terça-feira (13) depois de circular pelo Congresso por oito anos gerando inúmeros debates e muita polêmica na sociedade brasileira.

A proposta da deputada Iara Bernardi (PT-SP) tentava definir o crime de homofobia colocando a discriminação de escolha sexual ao lado do racismo, discriminação de pessoas idosas e deficientes físicos.

O texto tinha trechos que caracterizava como crime a opinião contrária ao homossexualismo, o que poderia levar uma pessoa a ficar de um a cinco anos na prisão.

Religiosos se manifestaram contra o texto, dizendo que tal proposta impediria a pregação da Bíblia que condena as relações homoafetivas tanto no Antigo, como no Novo Testamento.

Parlamentares evangélicos como o senador Magno Malta (PR-ES) tiveram participação ativa na derrubada da proposta que foi feita em dezembro de 2013, quando foi apensada a discussão do novo código penal.

Novo texto prevê criminalizar a homofobia

Mas antes mesmo do Congresso debater a mudança do Código Penal a deputada Maria do Rosário (PT-RS) apresentou uma nova proposta na Câmara para criminalizar a homofobia.

O texto tem o aval do governo de Dilma Rousseff que se comprometeu com movimentos LGBT a aprovar o PL 7582/2014. A proposta tenta ser mais abrangente falando tanto de opção sexual como de identidade de gênero, um termo polêmico que tenta acabar com as barreiras entre feminino e masculino.

No artigo 3º o PL 7582 constitui como crime de ódio “a ofensa a vida, a integridade corporal, ou a saúde de outrem motivada por preconceito ou discriminação em razão de classe e origem social, condição de migrante, refugiado ou deslocado interno, orientação sexual, identidade e expressão de gênero, idade, religião, situação de rua e deficiência.”

Apesar da troca de nome e autores, há trechos muito semelhantes entre o PL 122 e o 7582, entre eles se torna crime impedir ou restringir a expressão e manifestação de afetividade. Sendo o único diferencial a proteção dos locais de culto.

Conheça o texto no link www.camara.gov.br.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Política

Novo mandato da presidente Dilma Rouseff vai priorizar a criação de lei contra a homofobia

presidente-dilma-rousseff-homofobiaDurante o primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, uma das grandes polêmicas que circulou o Congresso Nacional foi a tentativa de aprovar uma lei para criminalizar a homofobia, a PLC 122. No fim de 2013 a proposta foi “sepultada”, mas a ideia em torno do projeto voltou com mais força no início do segundo mandato de Dilma, que a tornou uma das prioridades de seu governo.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a presidente cedeu às pressões que vem sofrendo de movimentos sociais e pretende priorizar em seu segundo mandato uma mudança na legislação atual de forma a criminalizar a homofobia, e também para tornar obrigatória a investigação para mortes decorrentes de ações policiais.

Ministros do atual governo afirmaram que a intenção de Dilma Rousseff é criar uma lei específica para a homofobia, nos moldes da legislação atual criada para combater a violência contra a mulher, conhecida como Lei Maria da Penha.

Entidades pró-LGBT, como a ABGLT e o Grupo Gay da Bahia, classificam o arquivamento do atual projeto sobre o tema como um “desastre”, e luta para que a homofobia seja equiparada ao crime de racismo.

Apesar de ceder às pressões dos militantes, o Governo teria como objetivo, segundo os ministros, apoiar o projeto da deputada Maria do Rosário (PT-RS), que trata o tema de maneira mais abrangente e tipifica crimes de ódio e intolerância contra vários grupos “minoritários”.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Política, Televisão

Pastor Silas Malafaia comenta ataque terrorista na França e manda “recado” para presidente Dilma

silas-malafaia-vitoria-em-cristoO ataque terrorista contra o escritório da publicação francesa “Charlie Hebdo” chocou o mundo inteiro na última quarta-feira (07) e motivou uma série de críticas contra os extremistas islâmicos responsáveis pelo ataque. O pastor Silas Malafaia, líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, comentou o ocorrido e ironizou a presidente Dilma Rousseff pelas declarações feitas por ela condenado os ataques das tropas norte-americanas e europeias contra o Estado Islâmico (ISIS) meses atrás.

– São esses terroristas assassinos que Dilma propôs diálogo ano passado. Gente que comete barbárie como esta na França… Vai lá dialogar com eles! – afirmou o pastor, criticando a presidente, que havia pedido “mais diálogo” no procedimento contra o terrorismo.

Malafaia direcionou suas críticas também à forma com que os extremistas islâmicos lidam com críticas como as feitas pelo “Charlie Hebdo” aos muçulmanos, e a outras religiões. Ele afirmou que os cristãos tratam este tipo de “blasfema” de forma diferente, porque acreditam não ser necessário defender um Deus que está vivo.

– Para nós evangélicos, podem xingar, blasfemar de Jesus Cristo, ele esta vivo pode se defender sozinho. Ele não precisa desse tipo de defesa – publicou o pastor, em seu perfil na rede social.

– Outros podem blasfemar de Cristo, acerta com ele, vive e reina para sempre, nós o adoramos e bendizemos, ELE É O SENHOR,O DEUS TODO PODEROSO (sic) – completou Malafaia.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Política

Políticos ligados à Igreja Universal vão comandar o esporte em grande parte do país

George-discursa-no-plenárioApós o recente anúncio do pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) George Hilton (PRB-MG) como o novo ministro do Esporte, parlamentares do PRB, partido que é formado majoritariamente por integrantes da IURD, assumiram a pasta do esporte também em vários estados pelo país.

Além da polêmica indicação de Hilton, que chegou a afirmar publicamente que não tem conhecimentos sobre a matéria da pasta que irá liderar, o partido emplacou nomes nas secretarias do esporte de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Ceará. Segundo o jornal Estado de Pernambuco, o PRB está usando mesma estratégia do PC do B, que comandou o Esporte na Esplanada dos Ministérios nos últimos 12 anos, e pretende se “especializar” no setor e ocupar esse espaço nas três esferas de poder.

Em São Paulo, o nome do vereador e também pastor da Universal Jean Madeira (PRB) já foi anunciado oficialmente para o cargo pelo governador reeleito, Geraldo Alckmin (PSDB). Em Minas Gerais, o esporte será desmembrado da pasta de Turismo e terá no comando o deputado estadual, e também pastor da Universal, Carlos Henrique (PRB). A legenda emplacou ainda o nome do pastor e deputado estadual eleito David Durand para o cargo no Ceará, e da ex-jogadora de vôlei da Seleção Brasileira Leila Barros para o Distrito Federal, a única a não pertencer também à denominação religiosa.

Neste novo mandato da presidente petista, a pasta dos esportes ganha especial relevância com as Olimpíadas de 2016 que contará com orçamento de R$ 1,3 bilhão em 2015, um aumento de 166% em relação aos valores alocados em 2014. A proposta orçamentária para os ministérios ainda não foi aprovada e só será analisada em fevereiro, mas a estimativa é que a pasta deverá manejar recursos da ordem de R$ 2,5 bilhões.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Televisão

Silvio Santos teme retaliação de Dilma e mantém Rachel Scheherazade sob censura, diz jornalista

Rachel-Sheherazade-1A jornalista Rachel Scheherazade continua proibida de emitir suas opiniões nos telejornais do SBT e o principal motivo seria a vitória de Dilma Rousseff (PT) nas últimas eleições. Silvio Santos, dono da emissora, teria tomado a iniciativa para evitar desgastes com a presidente.

De acordo com informações do jornalista Daniel Castro, do Uol, Rachel teria procurado Silvio Santos após o segundo turno das eleições, no dia 28 de outubro, para pedir que ele a autorizasse a voltar a opinar, mas ouviu uma resposta negativa do apresentador e empresário.

“Se o Aécio [Neves] tivesse vencido, tudo bem. Mas como a Dilma ganhou, é melhor você continuar calada”, teria dito Silvio Santos, de acordo com o relato de testemunhas da conversa.

Em abril deste ano, quando Rachel Scheherazade disse ser “compreensível” que cidadãos desesperados com a falta de segurança tomassem atitudes de “justiceiros”, partidos de esquerda – entre eles o PT – ensaiaram uma retaliação à emissora de Silvio Santos, e chegaram a falar publicamente sobre o desejo de ver o governo federal suspender a verba de publicidade que é destinada ao SBT anualmente.

Desde então, Rachel não tem mais opinado na emissora. A jornalista chegou a ser colocada de férias para que a poeira abaixasse, e posteriormente voltou à bancada do SBT Brasil, mas já sem a autonomia para opinar. Mais recentemente, ela chegou a ler editoriais aprovados pela direção de jornalismo do SBT, mas sem incluir posições pessoais.

No entanto, Scheherazade está buscando meios alternativos para deixar suas opiniões visíveis. Nas redes sociais, durante a campanha eleitoral, a jornalista se posicionou claramente contra Dilma Rousseff, e no segundo turno, demonstrou simpatia às propostas de Aécio Neves. Agora, a jornalista está fechando contrato com a rádio Jovem Pan para emitir suas opiniões nos programas jornalísticos da emissora, que já conta com o polêmico Reinaldo Azevedo, e os radialistas Joseval Peixoto (ex-apresentador do SBT) e José Nêumanne Pinto, atualmente articulista da TV Gazeta em São Paulo.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Política

Marina diz que pediu a Deus que “perdesse as eleições ganhando” para não abrir mão de crenças

marina silvaA ex-senadora Marina Silva (PSB/Rede), terceira colocada nas eleições presidenciais este ano, afirmou no último domingo, 02 de novembro, que pediu a Deus que a mantivesse firme em seus princípios.

“Eu queria ganhar se fosse pra ganhar ganhando. Se fosse para perder, pedi para Deus para que perdesse ganhando”, afirmou Marina durante um culto em Brasília (DF), de acordo com informações do R7.

A frase da missionária assembleiana explica os pensamentos e posturas adotados por ela durante a campanha. Marina passou a encabeçar a chapa da coligação Unidos Pelo Brasil após a trágica morte de Eduardo Campos, no dia 13 de agosto.

Assim que foi confirmada, Marina deu um salto nas pesquisas de intenção de voto, e nas simulações de segundo turno, chegou a estar à frente da então candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT).

Durante a campanha, Marina se recusou a responder os ataques recebidos por parte do PT, e mesmo tendo pouquíssimo tempo de televisão e rádio, usou o espaço para fazer propostas.

Dentre os ataques feitos à ela, estavam questionamentos sobre o fato de ser evangélica, e Marina destacou que defende o Estado laico, um conceito criado pela Reforma Protestante numa época em que a Igreja Católica interferia diretamente no Estado.

Citando referências bíblicas sobre a necessidade de manter separação da conduta cidadã das crenças espirituais, Marina também disse durante o culto do último domingo que se esforçou para não transformar púlpitos em palanques, e muito menos palanques em púlpitos.

No dia 05 de outubro, Marina recebeu mais de 22 milhões de votos, superando o próprio recorde obtido em 2010, quando havia se tornado a terceira colocada numa eleição presidencial mais bem votada na história do Brasil.

Se tivesse avançado ao segundo turno, Marina receberia o apoio de líderes evangélicos que ficaram ao lado do pastor Everaldo Pereira (PSC) no primeiro turno. O apoio desses líderes migrou para Aécio Neves (PSDB), assim como seu próprio apoio.

Fonte: Gospel +

Publicado em Missões, Mundo

Estado Islâmico leiloa meninas cristãs como “escravas sexuais”

meninas cristãsRotineiramente, as notícias relacionadas à organização extremista muçulmana Estado Islâmico (EI) geram horror no mundo ocidental. O principal motivo para isso é que seus membros tentam impor a lei sharia para todos os que vivem dentro de seus domínios.

Invasão de cidades, massacre de moradores, crucificação e decapitação de cristãos já foram manchetes em diversos órgãos de imprensa e até o momento nenhum posicionamento oficial da Organização das Nações Unidas (ONU).

Pelo contrário, quando os Estados Unidos e uma coalização de outros países começaram a bombardear as posições do EI no Iraque, foram criticados na plenária da ONU pela presidente Dilma Rousseff. Em seu discurso, ela disse que deveria ser procurado “o diálogo, o acordo” e condenou os ataques.

Hoje, o influente jornal inglês Daily Mail publicou uma reportagem que mostra mais de perto um aspecto amplamente ignorado fora do mundo islâmico: o mercado de escravas sexuais.

Previsto pelo Alcorão na Sura 4:24, a prática é explicitada em tempos de guerra – como a que os soldados do EI acreditam estar lutando. Eles não podem, contudo, usar muçulmanas para isso, portanto atualmente o leilão entre eles é com prisioneiras cristãs e yazidies, uma minoria religiosa do Curdistão.

Um vídeo encontrado no celular de um miliciano mostra um pouco como funciona a venda de mulheres capturadas pelos fundamentalistas. Outros relatos, como os da organização não governamental Humans Rights Watch, mostram testemunhos de mulheres que serviram como escravas contando que crianças também são compradas e vendidas.

Uma das edições da revista online Dabiq, publicada em inglês pelo EI justifica o uso de mulheres “infiéis” como escravas sexuais. O artigo intitulado de “A recuperação da escravidão antes da hora” afirma que o EI restabeleceu a escravidão em seu califado. Nos leilões, o preço varia. Quanto mais nova, maior o valor pedido.

Segundo o Daily Mail, existe uma espécie de tabela. Os valores são aproximados, considerando o câmbio desta semana.

tabela-preco-escravas-do-ei

Um documento apresentado pelo site IraqiNews mostra que o valor de venda das mulheres e dos despojos de guerra vem tendo uma diminuição significativa. Mas o EI impôs um controle dos preços, ameaçando executar quem viola as diretrizes.

O vídeo que está sendo mostrado na mídia global foi filmado em Mosul, a segunda maior cidade do Iraque, de acordo com a Al Aan TV – que traduziu as falas para o inglês.

“Hoje é dia de mercado de escravas sexuais”, afirma diante da câmara um homem barbudo não identificado, cercado por vários outros combatentes. “Hoje é dia da entrega”, acrescenta. “Com a permissão de Alá, cada um de nós terá a sua parte”, garante.

Em pouco mais de dois minutos, eles riem e fazem piadas sobre as mulheres. Embora nenhuma delas seja mostrada, há menções que muitas têm apenas 15 anos de idade. Quando falam sobre o preço, um deles compara com o valor de uma pistola Glock usada. Outro diz que o negócio só será fechado depois que ele olhar os dentes da prisioneira.

Explica-se ainda que mulheres bonitas e de olhos azuis ou verdes custam mais caro. Um dos combatentes explica que “está escrito”, numa referência ao Alcorão. Outro esclarece que está procurando uma “menina”. Há inclusive um adolescente no vídeo, que parece familiarizado com o processo. No final, eles parecem olhar fotos em um celular, mas sem esclarecer onde elas estão. Ao demonstrar interesse por uma delas, ouve que aquela já morreu. Ele apenas ri.

Segundo dados de especialistas da Universidade de Oklahoma, o número de mulheres capturadas por milicianos do Estado Islâmico pode atingir 7000.

Em pouco menos de um mês, este é o segundo vídeo mostrando como o EI trata as crianças. O primeiro revela como os extremistas muçulmanos “estabeleceram campos de treinamento para recrutar crianças para a luta armada sob o pretexto de educação religiosa”.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Acusações contra Dilma no Petrolão podem gerar impeachment, diz jurista Ives Gandra

dilma-rousseff-impeachmentAs denúncias feitas contra a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Lula, do mesmo partido, pelo doleiro Alberto Youssef em depoimento à Polícia Federal durante as investigações do escândalo de desvio de fundos da Petrobrás podem gerar um processo de impeachment.

A notícia foi veiculada pela revista Veja numa edição antecipada às vésperas da eleição presidencial, ocorrida no último domingo, 26 de outubro. No exemplar que causou alvoroço entre os eleitores, a revista reproduz trecho do depoimento de Youssef – principal responsável por movimentar o esquema de corrupção enviando os recursos em dólares para contas no exterior -, que afirma que os dois líderes petistas tinham conhecimento do esquema.

No trecho do depoimento, Alberto Youssef é questionado pelo delegado sobre quem seriam as pessoas com conhecimento do esquema de corrupção, e o doleiro resume:

-O Planalto sabia de tudo!

– Mas quem no Planalto? – perguntou o delegado.

– Lula e Dilma – respondeu o doleiro.

Imediatamente após a divulgação da notícia, diversos internautas começaram a clamar por mais investigações e falar em impeachment da presidente, que poderia ser implicada por improbidade administrativa segundo o artigo 85 da Constituição Federal.

O jurista Ives Gandra da Silva Martins concedeu uma entrevista à rádio Jovem Pan e endossou o pensamento no caso de haverem provas contra Dilma Rousseff: “A denúncia é muito grave e chega a ser provável que nós vamos ter pelo menos a abertura de um processo de impeachment. O fato é gravíssimo. Foi utilizada a maior empresa do Brasil para gerar recursos ao partido dos presidentes da República”, frisou.

Ives Gandra destaca que as afirmações do doleiro devem ser olhadas com atenção, afinal ele está depondo em um processo de delação premiada, que tem como regra inegociável a exigência de que ele não minta e apresente provas de suas afirmações, sob pena de, em caso contrário, perder o direito à redução da pena e sofrer um acréscimo de quatro anos à sua condenação.

“Quem pede delação premiada não pode mentir”, explicou Ives. “Se fosse apenas uma mera alegação, essa alegação viria a prejudicá-lo, não beneficiá-lo, porque ele teria que responder pelo crime de difamação”, acrescentou o jurista.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

 “Desde os tempos de Cristo, o povo prefere ladrão”, diz Malafaia sobre vitória de Dilma

pastor-Silas-MalafaiaO religioso se posicionou contra o PT e passou a ser alvo de investigações por órgãos federais.

O pastor Silas Malafaia lamentou a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e escreveu um texto em seu perfil do Facebook fazendo uma ligação com a escolha do povo judeu em soltar Barrabás e condenar Jesus.

“Lamento dizer que, desde os tempos de Cristo, o povo prefere ladrão. Soltaram Barrabás e condenaram Jesus. Hoje, não é diferente!”, escreveu o pastor.

Durante todo o período eleitoral Malafaia se posicionou contra o PT e fez alertas à população sobre as ameaças que o governo petista representa à democracia, para os cofres públicos, para os bons costumes e para a fé cristã.

No Twitter o pastor evangélico acompanhava a apuração dos votos e comentou a escolha de 52% da população brasileira em três mensagens: “Dilma venceu! Preparem-se porque os corruptos vão continuar reinando no Brasil!”, “Dilma venceu. Quem perdeu foi o Brasil!” e “Dilma venceu. Que Deus tenha misericórdia do Brasil!”.

Por conta de sua posição política Malafaia tem sido investigado por órgãos federais, investigações que em sua opinião são uma forma de tentar impedir que ele continue alertando a população contra o governo.

Tanto a Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo como a Associação Vitória em Cristo foram investigadas pela Receita Federal e Polícia Federal, Silas Malafaia é presidente das duas instituições.

“Deus me levantou como uma voz profética no Brasil, não sou o único, existe outros homens e mulheres de Deus, por isso tenho sido perseguido”, escreveu ele no microblog.

Foi também pelo Twitter que o pastor assembleiano comentou sobre o fechamento de templos da Igreja Universal do Reino de Deus no Rio de Janeiro. “O TRE vasculhou a igreja que sou pastor, sala por sala, nada encontraram, aqui não é comitê eleitoral, diferente do que Crivella fez com a IURD”.

No segundo turno das eleições para o Governo do Rio Malafaia apoiou o candidato Luiz Fernando Pezão (PMDB), chegando a gravar um vídeo criticando a Igreja Universal por ter comprado os horários da CNT, cancelando o programa que ele mantinha na emissora há mais de 30 anos.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Música, Política

André Valadão grava música em apoio a Aécio Neves

andre valadãoO vídeo com vários cantores brasileiros foi postado no Facebook do candidato tucano.

O cantor André Valadão participou de um vídeo em apoio ao candidato à Presidência do Brasil Aécio Neves (PSDB). O evangélico gravou ao lado de grandes nomes da música brasileira como Sandra de Sá, Zezé Di Camargo, César Menotti e Fabiano e outros.

Juntos eles cantaram a versão da música “Festa”, gravada por Ivete Sangalo, mas com uma letra que fala sobre o Brasil mudar com a eleição do candidato tucano. “Agora é Aécio, vamos lá, é o Brasil inteiro querendo mudar”, diz o refrão.

No último dia 15 de dezembro o cantor escreveu um texto em sua página do Facebook criticando o governo de Dilma Rousseff, falando sobre o assistencialismo oferecido pelo Partido dos Trabalhadores, além de citar a corrupção. O pastor da Igreja Batista da Lagoinha também mencionou as mentiras que o partido tem inventando para impedir que os eleitores escolham o candidato do PSDB.

“As mentiras do PT, o número de ações corruptas e a ilusão de um Brasil que não existe fazem deles os maiores mentirosos da história da política nacional.”

Valadão também comentou que os planos sociais devem levar a sociedade a ganhar seu próprio sustento no lugar de continuar vivendo da renda oferecida pelos programas como o Bolsa Família.

“Um plano de ajuda social deve levar a sociedade a evoluir e não a estagnação. Deve levar o indivíduo à dignidade e ao trabalho e não a buscas de benefícios inconseqüentes e impagáveis.
PT vai perder esta eleição, e muito trabalho #Aecio45 ainda terá por estar herdando uma política social e econômica tão corrupta e inconsequente. Acredito que Deus está despertando nossa nação! Fora Dilma e fora PT com suas mentiras”.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Política

Marina Silva fala em programa eleitoral de Aécio Neves

Foto: Paulo Whitaker/Reuters
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A candidata do PSB afirmou que o tucano está sendo vítima das mesmas mentiras lançadas contra ela e contra Eduardo Campos.

No programa eleitoral desta quarta-feira (22) o candidato Aécio Neves contou com a participação da candidata derrotada Marina Silva que falou ao povo brasileiro pedindo votos ao tucano.

Marina listou alguns pontos importantes para que os eleitores clamem por mudanças, tirando o poder do atual governo. Um desses pontos é a inflação que tem elevado o preço dos produtos básicos e impactado de forma negativa a vida dos brasileiros.

“Domingo é um dia muito importante, o dia que a gente pode mudar de verdade o Brasil, com o seu voto. E por que mudar? Estamos diante da volta da inflação que corrói o salário dos trabalhadores”, disse ela.

A ex-senadora também falou dos casos de corrupção envolvendo pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores e aliados, dinheiro desviado dos cofres públicos, juntados através de impostos que levam anualmente quase cinco meses de salário dos trabalhadores.

Os ataques pessoais, dos quais foi vítima, também foram citados por Marina Silva. A candidata do PSB afirmou que atacar é a forma de fazer política do PT, que prefere desqualificar seus concorrentes ao invés de debater projetos e soluções para o Brasil.

“Eduardo e eu fomos vítimas dessa estratégia destrutiva e agora a mesma coisa está acontecendo com o Aécio”, disse.

Pedindo que os eleitores se manifestem nas urnas, Marina pediu para que a população não se sinta intimidada com as mentiras publicadas contra o candidato tucano que assumiu compromissos importantes para beneficiar os brasileiros. “Não se deixe intimidar pelas acusações sem fundamento que a campanha da candidata Dilma vem fazendo a Aécio”.

Assista aqui

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Lula compara o PT a Jesus Cristo

Lula_ag-Estado1-460x313Ex-presidente volta a usar metáforas religiosas em campanha.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva parece gostar de usar metáforas religiosas em seus discursos. Embora nem sempre as faça com propriedade. Em 2009, por exemplo, afirmou que se Jesus Cristo fosse candidato por um partido numa eleição aqui no Brasil, teria de se aliar a Judas.

No ano seguinte, durante um comício em Garanhuns (PE), comparou a então candidata Dilma Rousseff a Jesus: “Essa mulher foi barbaramente torturada. Não existe nada mais grave que o ser humano possa fazer com o outro do que torturar. Vocês sabem porque Jesus Cristo foi torturado”. Poucos meses depois, comparou a si mesmo com Jesus.

Quatro anos depois, durante comício no Recife, Lula atacou os aliados de Aécio Neves (PSDB). “Parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediram na Segunda Guerra. Eles são intolerantes. Outro dia eu falei para eles: vocês são mais intolerantes que Herodes, que mandaram matar Jesus Cristo com medo de ele se tornar o que virou”, afirmou o ex-presidente diante de uma multidão na praça do Diário, na capital pernambucana.

O tom do discurso subiu justamente no único Estado do Nordeste em que Dilma não ganhou, perdendo para Marina Silva. Ao final do comício, asseverou: “Essa moça, com apenas 20 anos de idade. Estava colocando a vida em risco para lutar pela liberdade do nosso País”.

Convenientemente, esqueceu de mencionar que nessa época Dilma foi presa por causa do seu envolvimento na luta armada contra o governo, tendo feito parte da Vanguarda Armada Revolucionária e participado de assaltos.

Fonte: Gospel Prime com informações Estadão.

Publicado em Brasil, Política

Garotinho e Crivella fazem carreata com Dilma Rousseff no RJ

xdilma-garotinho-e-crivella-320x167.jpg.pagespeed.ic._0iN6rZ2akOs candidatos andaram por Nova Iguaçu apoiando a reeleição da candidata petista.

Nesta segunda-feira (20) Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, esteve participando de uma carreata em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, sendo acompanhada pelo candidato ao governo Marcelo Crivella (PRB) e pelo candidato derrotado Anthony Garotinho (PR).

Mais de 300 pessoas participaram do ato político que faz parte da campanha eleitoral. Dilma, que teve 35,6% dos votos do Rio, contou com o apoio político dos dois candidatos evangélicos.

O candidato derrotado do PT, Lindberg Farias, também participou da carreata já que tem grande ligação com a população de Nova Iguaçu, cidade onde foi prefeito durante os anos de 2005 e 2010.

Durante o evento Dilma fez críticas ao candidato tucano, Aécio Neves, dizendo que votar nele significa um retrocesso. “Nós não somos aqueles que só pensam nos banqueiros e nos juros. Queremos fazer cada vez mais, melhorar a vida de cada família”, disse ela tentando ganhar a confiança dos mais pobres.

Dilma também contou com o apoio do candidato Luiz Fernando Pezão (PMDB), que ao lado do atual governador do Rio, Sérgio Cabral, pediu votos para a petista. Apesar da batalha pelo cargo de governador, os dois candidatos do segundo turno apoiam Dilma. Com informações Estadão.

Fonte: Gospel Prime