Arquivo da tag: cristãos

Estado Islâmico volta a atacar cristãos e sequestra mais de 90 fiéis de povoado na Síria

estado-islamico2As ações terroristas do Estado Islâmico mais uma vez tiveram como alvo cristãos. A nova investida contra “o povo da Cruz” aconteceu no nordeste da Síria, onde pelo menos 90 fiéis foram sequestrados na última segunda-feira, 23 de fevereiro.

A informação foi anunciada nesta terça-feira pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Os jihadistas atacaram dois povoados com maioria cristã na província de Hasake. As duas localidades eram controladas por forças militares curdas, segundo informações do G1.

A OSDH, que é sediada na Inglaterra, informou que não há notícias do destino dos reféns: “Na segunda-feira, o EI atacou Tal Shamiran e Tal Hermuz, duas localidades assírias da província de Hasake, e levou 90 moradores”, afirmou Rami Abdel Rahman, diretor da OSDH, em entrevista à agência France Presse.

Os cristãos assírios sequestrados são fiéis nestorianos, uma corrente do cristianismo condenada pelo concílio de Éfeso no ano 431 por suas divergências sobre a natureza de Cristo. Essa corrente também possui seguidores no Iraque.

A província de Hasake vem sendo atacada pelo Estado Islâmico, que busca tomar o controle da região das mãos dos curdos. Alguns dos povoados já foram tomados pelos terroristas, apesar de as forças militares que apoiam o governo da Síria resistirem ao avanço dos extremistas muçulmanos.

Os curdos se organizaram em milícias, chamadas YPG, com o objetivo de manter a província de Hasake sob o domínio do governo sírio, e também com a intenção de expulsar o Estado Islâmico da cidade de Tal Hamis, que tem sido bombardeada pelos Estados Unidos. Até agora, a YPG já assumiu o controle de 43 povoados em duas províncias diferentes.

Fonte: Gospel +

Anúncios

Com maioria cristã, Brasil e México lideram ranking de adultérios em lista com 21 países

adulterioBrasil e México são países da América Latina formados por ampla maioria cristã e com características semelhantes além da religião. Além de terem, em sua sociedade, a presença de católicos e evangélicos, ambos compartilham a liderança no número de casos de adultério.

No Brasil, embora com quedas significativas nos últimos anos, os católicos são maioria (65%), seguidos pelos evangélicos, que atualmente equivalem a 23% da população. No México, a maioria católica é ainda mais ampla: 83% contra 7,5% dos evangélicos em geral.

Um levantamento feito por um site de encontros para pessoas casadas descobriu que em média, mexicanos e brasileiros que se relacionam fora do casamento mantém seis ou mais amantes por ano.

Para que o estudo tivesse uma abrangência ampla, foram ouvidas 83.598 pessoas usuárias do site Victoria Milan, em 21 países. Em 13 desses países, a média de amantes que as pessoas buscam gira em torno de dois a três por ano, segundo informações do Diário do Aço.

“Os resultados mostram que a maior parte das pessoas procurando algo fora de seu relacionamento estável gostam do mistério e paixão associados a novos namoricos. Elas gostam de apimentar suas vidas sem o compromisso de algo mais sério, explicando assim o descomprometimento para com um mesmo amante por um ano completo, sendo que a maior parte já encontra felicidade em seu relacionamento estável, embora haja sempre exceções, que neste caso são o Brasil e o México”, afirmou Sigurd Vedal, fundador e executivo site.

Entre os brasileiros que frequentam o site à busca de um relacionamento extraconjugal, 38% diz se envolver com 6 ou mais amantes ao longo de um ano; enquanto 29% relatam dois ou três; 21% estimam em quatro ou cinco; e 12% optam por se envolver com apenas uma pessoa fora do matrimônio.

O questionário foi enviado a usuários da Austrália, África do Sul, México, Peru, Brasil, Alemanha, Polônia, Suíça, França, Portugal, Nova Zelândia, Argentina, Espanha, Holanda, Irlanda, Grécia, Bélgica, Áustria, Inglaterra, Itália e República Checa.

A maioria religiosa na maior parte dos países listados acima é cristã, sendo fortíssima a presença da Igreja Católica em vários deles, como Espanha, Itália, Argentina, Irlanda, entre outros. Os protestantes possuem grande representação em locais como Austrália, Reino Unido e Holanda, por exemplo.

Fonte: Gospel +

Ator Kevin Sorbo, que interpretou o Hércules da TV, afirma que “cristãos são atacados em Hollywood”

kevin-sorboO ator norte-americano Kevin Sorbo, que é conhecido no Brasil por ter interpretado Hércules na famosa série de TV produzida nos anos 90, é sempre lembrado pela mídia nos Estados Unidos por seu lado cristão, e por suas fortes declarações sobre sua fé.

Recentemente, o ator causou polêmica em uma entrevista à CNSNews, na qual descreveu como que concilia o cristianismo com a fama, e afirmou no mundo dos famosos em Hollywood você pode sofrer preconceito por ser cristão.

– Eu acho que ser um conservador em Hollywood ou ser um cristão em Hollywood, você é atacado – destacou o ator, cujo mais recente papel que teve destaque no Brasil foi o do professor Jeffery Radisson, no filme “Deus Não Está Morto” (God’s Not Dead, no original em inglês).

Ele criticou a forma com que a mídia prioriza os assuntos, de uma forma que ele afirma não ser importante para a sociedade. Segundo Sorbo, a imprensa prefere abafar determinados assuntos para priorizar outros não tão relevantes.

– É tão estranho pra mim que a mídia se senta para proteger as coisas que protegem, ou ignorar as coisas que ignoram, e vão atrás de histórias como aquecimento global [por exemplo], tratando como mais importante do que está acontecendo no mundo agora com estes terroristas – afirmou o ator durante a entrevista.

Em outro momento de seu papo aberto com o site, Kevin Sorbo destacou que 6que o polo de filmes de Hollywood perde a oportunidade de investir em filmes cristãos, por existir um grande público interessado, e fica preocupado apenas com o show business.

– Se nós entregarmos uma mensagem elevada e clara o suficiente, e se as pessoas começarem a apoiar filmes como estes [cristãos], que têm uma boa mensagem, que toda a família pode assistir, pois não são bregas, que não são de quinta categoria, que tem uma boa história, atuação, roteiro, produção e fotografia, então esses filmes merecem apoio – afirmou.

Fonte: Gospel +

Grupo missionário envia 90 toneladas de suprimentos a cristãos refugiados do Iraque e Síria

tendas-refugiados-marca-do-nazarenoA perseguição perpetrada pelos terroristas do Estado Islâmico a cristãos do Iraque e da Síria resultou no êxodo de milhares de cristãos de suas casas, que agora vivem em condições sub-humanas como refugiados em países vizinhos.

Para amenizar o sofrimento dessas famílias, o grupo cristão Samaritan’s Purse (“bolsa dos samaritanos”, em tradução livre do inglês) enviará 90 toneladas de suprimentos às famílias cristãs refugiadas da perseguição religiosa.

O Samaritan’s Purse informou em comunicado que os suprimentos tem como objetivo proporcionar bens de subsistência mais urgentes àqueles que foram forçados a abandonarem suas casas e deixarem todas as suas posses para atrás.

Em alguns casos, foram registradas mortes por fome entre os cristãos que tiveram de sair às pressas de suas casas em Mosul, no norte do Iraque.

“Agora que o inverno está chegando na região, a situação se torna ainda pior para estas famílias”, diz trecho do comunicado. Nos kits enviados às famílias, há agasalhos e meias, cobertores, sacos de dormir e outros produtos para permitir o abrigo com o mínimo de conforto.

De acordo com informações do Christian Post, a iniciativa foi possível graças à uma força-tarefa montada com vários grupos humanitários dedicados a oferecer assistência social a civis em estado de calamidade.

Enquanto isso, os terroristas do Estado Islâmico prosseguem com suas ofensivas contra cristãos, ao mesmo tempo que se defendem da operação militar liderada pelos Estados Unidos e que tem bombardeado locais que os serviços de inteligência identificam como sendo abrigos dos extremistas.

Além da iniciativa de ajuda humanitária aos cristãos refugiados, o Samaritan’s Purse atua em diversos países, e tem se dedicado a combater a epidemia de ebola na África. Dois missionários do grupo foram infectados com o vírus na Libéria se tornaram símbolo da luta contra o ebola ao receberem tratamento experimental e se recuperarem da doença.

Fonte: Gospel +

Pastor Silas Malafaia comemora “recuo” de Marina Silva sobre “agenda gay” e provoca Jean Wyllys: “Avisa ele que os cristãos são maioria”

????????????????????????????????????????????O pastor Silas Malafaia comentou a mudança do capítulo que fala sobre os grupos LGBT no programa de governo de Marina Silva (PSB) e da irritação do deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL -RJ).

O programa da candidata ao Palácio do Planalto previa atender a muitas exigências dos ativistas LGBT, incluindo o chamado “casamento gay”. Uma reação em massa de internautas cristãos levou a coligação Unidos pelo Brasil a divulgar uma errata sobre o programa, e dizer que o trecho não era o que havia sido combinado entre Marina e o falecido Eduardo Campos.

Na versão final, muitas questões consideradas primárias pelos ativistas gays haviam sido alteradas, o que irritou Jean Wyllys. O candidato à reeleição como deputado federal criticou Marina, dizendo que ela havia cedido às pressões do pastor Silas Malafaia e frustrado “a esperança” de muitos homossexuais.

Silas Malafaia usou seu Twitter para responder a Wyllys: “Mais do que nunca não podemos abrir mão dos votos de dep. federal e estadual. Querem detonar nossos valores. Avisa ao Jean Wyllys que Marina não recuou por causa dos meus tuítes, e sim, devido à pressão dos cristãos que são maioria no Brasil”, provocou.

Na sequência, Malafaia ainda destacou que é legítimo lutar por aquilo em que se acredita: “Os gays não lutam pela sua agenda? Sim, isso é democrático. Já viram o recuo de Marina devido as posições do povo de Deus? É democrático. Se não tivesse o twitaço na sexta e no sábado o ativismo gay estaria rindo da nossa cara hoje. Mudaram parte [do] programa de Marina, estão revoltados. O ativismo gay está irado com Marina, começo a ficar satisfeito kkkk Valeu a pressão de todos,  não estamos aqui pra engolir agenda gay. O que estamos fazendo é perfeitamente democrático, lutar por nossas convicções e valores. É o que todos os grupos sociais fazem, sabemos fazer”, publicou o pastor.

Malafaia também aproveitou para reforçar as críticas ao PT, a forma como o governo Dilma Rousseff se relacionou com a comunidade evangélica e a perseguição feita a ele: “O PT procura os evangélicos de 4 em 4 anos,o restante do tempo, lutam contra nossos princípios e valores.Tenho acompanhado isso, verdade total. Estão tentando de todas as formas me tirar do ar na internet, e nós é que somos os intolerantes. São tão democráticos, só kkkkkkkk”, ironizou.

Por fim, destacou que as posturas defendidas por ele fazem parte da sociedade ocidental: “Somos a favor do estado laico, mas isso não exclui a ideologia cristã, como [não exclui] as demais. Não somos idiotas, temos o direito de nos posicionar. A malandragem do ativismo gay e dos esquerdopatas (sic) é dizer que a ideologia cristã é só religião e não um estilo de vida. E alguns acreditam. O cristianismo tem marcado o estilo de vida de bilhões de pessoas na sociedade influenciando em todos os aspectos da vida. Vamos calar? NÃO! Os petistas pensam que eu tenho memória curta, FORA DILMA! Não pensem que minhas desavenças com Marina é porque mudei, sei onde quero chegar”, finalizou o pastor.

Fonte: Gospel +

Apresentador de TV muçulmano lamenta situação de cristãos no Iraque e chora durante programa ao vivo; Assista

nahi-mahdi-apresentador-de-tv-muculmano-chora-por-cristaosA situação dos cristãos iraquianos, perseguidos de forma brutal pelos extremistas muçulmanos do grupo Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês), emocionou o apresentador de uma emissora de TV no país e o levou às lágrimas.

Durante um programa de entrevistas, o apresentador dizia que havia chorado em sua casa pela situação dos cristãos de seu país, quando não segurou as lágrimas e chorou ao vivo.

Nahi Mahdi lamentou a postura dos extremistas do ISIS e disse não compreender o motivo que os levou a agredir os cristãos. “Eles são a nossa própria carne e sangue”, afirmou. “Alguns deles foram para a Suécia ou a Alemanha… Quem é que [os extremistas do ISIS] pensam que são para expulsar nossos compatriotas?”, questionou o apresentador, demonstrando indignação.

As incursões do ISIS em Mosul, no norte do Iraque, forçaram milhões de cristãos a abandonarem suas casas e carros e fugirem à pé da região. Muitos que fugiram para uma região montanhosa acabaram encurralados e morreram de fome e sede.

Os extremistas têm divulgado que as opções dos cristãos que vivem na região são: se converter ao islamismo; ou pagar um imposto, abandonar tudo e fugir; ou ainda ficar e morrer.

O apresentador lamentou a situação dizendo que o Iraque é um país com diversidade, e essa crise poderia destruir a identidade da nação: “Nosso país é como uma rosa, e suas pétalas são os cristãos, os árabes, os curdos, os sabeus, as pessoas Shabak… Estes todos são os nossos compatriotas”, afirmou.

Um dos convidados do programa, também muçulmano, concordou com o apresentador: “Os cristãos têm feito nada de errado. Eles não ferem uma alma. Pelo contrário, são pessoas pacíficas, que amam todos os grupos religiosos. Eles são pessoas honradas, com altos valores morais e seu próprio senso de Justiça. Estamos 100% em solidariedade a eles”, concluiu.

Assista ao vídeo:

 

Fonte: Gospel +

 

Pesquisa mostra que americanos se sentem melhor em relação a cristãos e judeus e não tem boas relações com ateus e muçulmanos

pesquisa-1Uma pesquisa realizada recentemente nos Estados Unidos pelo Pew Research criou um “termômetro” das relações dos norte-americanos com pessoas de diferentes segmentos religiosos. Os resultados revelados pelos pesquisadores revelam que se sentem mais “calorosos” em relação a cristãos e judeus, enquanto são mais “frios” em relação a ateus e muçulmanos.

A pesquisa consistiu em levantar “como os americanos se sentem sobre grupos religiosos”, através de um termômetro onde os americanos deram pontuações entre 0 e 100 de acordo com como se sentem em relação a cada grupo.

Maiores notas foram dadas a judeus, católicos e evangélicos, que tiveram notas médias de 63, 62 e 61, respectivamente. Os grupos representados com as menores notas foram os ateus, com 41 pontos, e os muçulmanos com 40. No meio da tabela aparecem budistas, 53, Hindus, 50, e mórmons, 48.

De acordo com Greg Smith, diretor associado do Pew, a criação de um termômetro das religiões teve como base o conceito de que “a compreensão da questão de como os grupos religiosos veem uns aos outros é importante em um país onde a religião desempenha um papel importante na vida pública”.

Outro dado apontado pelo estudo, talvez sem muita surpresa, foi de que as pessoas avaliam melhor seus próprios grupos religiosos. Ainda assim, as médias gerais dos grupos são puxadas para baixo por aqueles que não compartilham de suas crenças. Católicos deram a si mesmos uma pontuação média de 80, enquanto os não católicos os avaliem com uma média de 58. Cristãos evangélicos receberam em média 79 pontos das pessoas de dentro de seu grupo religiosos, mas apenas 52, em média, dos demais.

A pesquisa foi realizada entre 30 de maio e 30 de junho com um total de 3.217 adultos selecionados aleatoriamente em todo o país. 2.849 pessoas responderam à pesquisa on-line e 368 responderam pelo correio. A margem de erro é de mais ou menos 2,2 pontos percentuais.

Fonte: Gospel +

Cristãos voltam a ser crucificados na Síria

cristao-crucificado-320x180Papa Francisco falou sobre o assunto na missa desta sexta.

Enquanto a guerra civil continua arrasando a Síria, multiplicam-se os relatos de ataques de muçulmanos jihadistas a cidades predominantemente cristãs. O país está vendo desde 2011 a tentativa de extermínio do cristianismo ser o alvo principal dos guerrilheiros rebeldes.

Cristãos da cidade de Maaloula contaram como tiveram de fugir de sua cidade no final de 2013 após a chegada de extremistas islâmicos no início do mês passado. “Os jihadistas gritavam: converta-se ao Islã ou vocês serão crucificados como Jesus”, afirmam os sobreviventes.

Além de crucificações, de tempos em tempos surgem relatos de cristãos decapitados. No não passado circularam muitas imagens de cristãos tendo suas cabeças cortadas publicamente na cidade de Keferghan. Os fotógrafos da revista Time trouxeram à tona várias dessas fotos.

Esta semana novamente surgiram imagens fortes do martírio de cristãos na Síria. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, uma entidade civil com sede em Londres, divulgou imagens de execuções públicas na cidade de Raqqa, ao norte da Síria.

Existem vários relatos contraditórios na imprensa internacional, sem haver consenso se os homens foram mortos antes ou durante a crucificação. Outros afirmam que se tratam de execuções com motivação política e não religiosa.

O fato é que, segundo o Observatório Sírio, os executores pertencem a um grupo radical chamado Estado Islâmico do Iraque e da Síria (abreviados como ISIS em inglês). O mesmo que publicou vídeos terríveis da morte de cristãos no passado. Uma das faixas colocadas sobre os corpos diz apenas “Este homem lutou contra os muçulmanos”. Sabe-se que desde o início deste ano, os cristãos moradores de Raqqa começaram a ser cobrados por uma espécie de “imposto de proteção”. Os cultos não muçulmanos foram proibidos, assim como o uso de símbolos religiosos cristãos.

 cristaos-cruficiados

Hoje, o papa Francisco afirmou durante a homilia da missa que realiza toda manhã em sua residência no Vaticano. “Eu chorei quando vi nos meios de comunicação a notícia de que cristãos tinham sido crucificados em certo país não cristão”. Ele citou passagens da Bíblia e lembrou a perseguição dos primeiros cristãos. O pontífice lembrou ainda que “existem países em que você pode ser preso apenas por levar o Evangelho”. A Rádio Vaticano vem dando espaço às declarações da freira Raghida, que vem denunciando a meses que cristãos são crucificados seguidamente nos povoados tomados por grupos de muçulmanos extremistas.

Fonte: Gospel Prime com informações Catholic Herald  e CNN.

 

Bispos católicos pedem que cristãos e muçulmanos se unam

papa-francisco2-299x200Falar da perseguição aos cristãos só “facilita o jogo dos extremistas”.

A visita do papa à Terra Santa no final de maio deve durar três dias e passar por lugares santos na Jordânia, Palestina e Israel.  A situação dos cristãos na região é um dos principais assuntos que Francisco tratará com os líderes israelenses, jordanianos e palestinos explica Wadi Abu-Nassar, porta-voz da instituição.

Por isso, os Bispos da Assembleia dos Ordinários Católicos da Terra Santa emitiu esta semana um documento oficial, onde pede a união de cristãos e muçulmanos em questões políticas.  “Perseguição! Em muitas partes do Ocidente esta palavra está na boca das pessoas. Diz-se que hoje, os cristãos no Oriente Médio são perseguidos. Mas o que está realmente acontecendo? Como podemos falar com verdade e sem censuras, como cristãos e como Igreja, dos sofrimentos e da violência que se perpetuam na região?”, questiona a nota.

Para os bispos, muitos cristãos e muçulmanos sofrem juntos. Ao abordar em particular a situação no Egito, Iraque e Síria, os bispos lembram que, sob os “regimes ditatoriais” anteriores, “os cristãos viveram em relativa segurança”.

Mas a tendência extremista que está por trás dos movimentos políticos na região mudou essa relação. “Cristãos e muçulmanos devem estar juntos contra estas novas forças de extremismo e destruição porque todos aqueles que buscam dignidade, democracia, liberdade e prosperidade estão sendo atacados”, justificam. Esse é, para eles, “o jogo dos extremistas”.

Embora reconheçam que o número de mortes de cristãos aumentou nos últimos anos, os bispos dizem que “é preciso levar em conta que os cristãos não são as únicas vítimas desta violência e brutalidade. Muitos muçulmanos não fanáticos, definidos “heréticos”, também pagam um alto preço. Nas áreas onde prevalecem extremistas sunitas, os muçulmanos xiitas são atacados e mortos, e vice-versa. Certas vezes, “os cristãos são perseguidos por serem cristãos”, e outras, são vítimas da mesma violência que atinge todos os outros”.

Repudiando o que chamam de “jogo”, explicam que ao falar somente na perseguição aos cristãos, a mídia ocidental acaba semeando ódio e preconceito contra povos e religiões. A seu ver, cristãos e muçulmanos devem resistir juntos contra as novas formas de extremismo e destruição sem esquecer que “as potências internacionais e regionais visam somente seus próprios interesses”.

Fonte: Gospel Prime com informações Patheos e News Vaticano.

 

Universidade recusa-se a oferecer trabalhos rentáveis a cristãos

cristaos-paquistanesesOs cristãos paquistaneses que trabalham nessa instituição recebem cargos que na cultura do país são considerados como degradantes.

Um político cristão paquistanês está denunciando uma universidade pública por se negar a oferecer trabalhos rentáveis aos cristãos.

Pela lei válida desde maio de 2009 o governo do Paquistão requer que 5% dos empregos devam ser distribuídos para minorias religiosas, mas a universidade está enganando as autoridades para não cumprir com a lei.

A denunciada é a Universidade de Sargodha, que fica na província de Punjab, onde reside a maior parte dos cristãos dos países, segundo o ministério Portas Abertas.

O denunciante é Chaudhry Mushtaq Gill, líder político Cristão da Pakistan Muslim League (Liga Muçulmana Paquistanesa), partido majoritário no país, que alega que desde 2010 a universidade contratou centenas de empregados, mas usa táticas burocráticas para evitar a contratação de não-muçulmanos.

Como medida ele entrou na Justiça contra a universidade e ganhou, mas um ano depois da decisão, a Universidade de Sargodha continua sem retificar suas irregularidades.

Dos 111 cristãos que trabalham na instituição, 102 atuam com trabalhos pouco remunerados como varredores de rua. Os outros nove atuam como recepcionistas e jardineiros.

O trabalho de varredor de rua é considerado como o serviço mais degradante no país segundo o sistema de castas indiano. Tornando os cristãos como “intocáveis”, de acordo com o sistema social-religioso do Paquistão, essas pessoas se tornam inferiores aos demais, e isso é o que o político cristão está condenando.

“Durante os procedimentos, antes do ombudsman, os funcionários da Universidade declararam que a cota não se aplica a empregos de alta colocação como o de professor, mas a notificação afirma claramente que se aplica a todos os postos do quadro de funções”, disse Gill à agência de notícias World Watch Monitor.

No Paquistão 95% da população é praticante do Islã, a legislação foi criada para proteger as minorias religiosas contra a injustiça, mas os empregados do Estado são os maiores obstáculos na hora de cumprir a lei.

 Fonte: Gospel Prime

Ataques da Irmandade Muçulmana a igrejas no Egito deixam 4 mortos; Cristã é linchada em público por extremistas

ataque-muculmano-contra-cristaos-cairo-200x123Um novo atentado da Irmandade Muçulmana deixou quatro cristãos mortos no subúrbio do Cairo, capital do Egito. Um grupo de extremistas abriu fogo contra duas igrejas localizadas na área, além de atear fogo a carros que estavam estacionados próximo aos templos.

De acordo com relatos dos sobreviventes, uma mulher foi atacada e abusada pelos extremistas por ter um crucifixo em seu carro.

“Uma vez que viram que ela era uma cristã [por causa do crucifixo pendurado em seu espelho retrovisor], eles pularam em cima do carro, até o ponto em que não era mais possível ver o veículo”, afirmou Mary Sameh George, uma das testemunhas.

“O teto do carro afundou. Quando eles perceberam que ela estava começando a morrer, eles a puxaram para fora do carro e começaram a bater nela e puxar seu cabelo, a ponto de que partes de seu cabelo e couro cabeludo foram arrancados. Eles continuaram a espancá-la, chutando-a e golpeando-a com qualquer objeto ou arma que encontravam pela frente”, disse a mulher em entrevista a um jornal local.

Outras pessoas que presenciaram os ataques disseram que as forças de segurança do governo assistiram a tudo sem intervir. O bispo Raphaeil, líder de uma igreja cristã copta na cidade, escreveu um artigo sobre o caso, e frisando que a vítima atacada pelos extremistas havia se tornado um mártir do cristianismo: “Oh quão sortuda és tu, Maria, tu que és amada de Cristo. Eles rasgaram o seu corpo por causa da cruz. No entanto, eles ofereceram-lhe o melhor serviço e deram-lhe um nome de honra como aquele que alcançou a coroa do martírio”.

Informações do Christian Headlines dão conta de que os cristãos aguardam uma série de ataques por parte dos muçulmanos na próxima sexta-feira, por conta das reuniões de orações que serão realizadas nas mesquitas.

Fonte: Gospel +

Cristãos e muçulmanos se unem contra o trabalho escravo

escravidao-306x200O encontro aconteceu no Vaticano onde planos para acabar com a escravidão moderna foram traçados.

Representantes da Igreja Católica Romana, da Igreja da Inglaterra e da Al-Azhar, instituição muçulmana sunita, se reuniram no Vaticano para assinarem um acordo contra a escravidão moderna.

O encontro aconteceu na segunda-feira (17) estabelecendo a criação da “Rede da Liberdade Global” que pretende lutar contra a exploração física, econômica e sexual de homens e mulheres.

Para os líderes religiosos é preciso agir de forma rápida para impedir que 30 milhões de pessoas continuem sendo exploradas no mundo. A ideia do grupo é acabar com a escravidão moderna em 20 anos.

Além de pensar em medidas para acabar com o trabalho escravo, o tráfico humano e a exploração sexual, os líderes também estabeleceram um dia mundial de oração pelas vítimas da escravidão.

Entre as ações eles sugerem a tomada de medidas corretivas para impedir o trabalho escravo em suas cadeias de suprimento e investimento e até pensam em pressionar governo e empresas a fazerem o mesmo.

Representando o Papa Francisco estava o bispo Marcelo Sánchez Sorondo que deixou claro a posição de seu líder sobre o tema. Francisco teria afirmado que o tráfico humano, o trabalho sexual forçado e o trabalho agrícola sem remuneração são “crimes contra a humanidade”.

Todos os representantes estavam esperançosos em relação ao trabalho, dispostos a deixarem as diferenças religiosas em prol do bem comum.

Fonte: Gospel Prime com informações Yahoo.

Papa envia mensagem a pentecostais pedindo união dos cristãos

papa-francisco-300x200Ele improvisou uma mensagem que foi exibida durante um encontro promovido pelo pastor Kenneth Copeland.

O Papa Francisco gravou um vídeo para uma comunidade pentecostal dos Estados Unidos falando da união dos cristãos dizendo que Deus irá fazer um milagre para unir católicos e protestantes.

“Nunca vi Deus iniciar um milagre que não concluísse bem e Ele vai concluir este milagre da unidade”, disse ele no vídeo publicado pela Agência Ecclesia, ligada ao Vaticano.

Francisco lembrou da história de José, que foi vendido por seus irmãos e se tornou copeiro de Faraó. Ele ligou essa história bíblica com a divisão dos cristãos dizendo que a separação das igrejas é fruto de um legado de pecado.

Ainda falando sobre José, o líder da Igreja Católica lembrou do reencontro da família com o irmão vendido que já era governador do Egito.

“Eles tinham dinheiro, mas não podiam comer o dinheiro. Foram ao Egito comprar comida, mas encontraram mais que comida, encontraram o irmão. Nós também temos dinheiro, o dinheiro da cultura, o dinheiro da nossa história, tantas riquezas culturais, riquezas religiosas, e temos diversas tradições. Mas temos de nos encontrar como irmãos. Temos de chorar juntos, como fez José. Estas lágrimas unir-nos-ão, as lágrimas do amor.”

O vídeo foi gravado para a igreja Kenneth Copeland Ministeries, liderado pelo pastor Kenneth Copeland, que realizava um encontro com a participação do bispo anglicano Tony Palmer, um grande amigo do Papa.

Francisco foi gravado de forma amadora e o discurso feito por ele foi improviso, como ele mesmo citou. Depois de verem o vídeo os evangélicos que estavam na igreja oraram pelo Papa e pela unidade dos cristãos.

Fonte: Gospel Prime

Judeus, muçulmanos e cristãos se unem pela paz no Oriente Médio

judeus-e-palestinos-150x120Grupo de 45 pessoas passará pela Palestina, Israel, Jordânia e Roma mostrando que é possível viverem juntos sem guerras.

Representantes argentinos das três maiores religiões monoteístas do mundo se uniram e foram até o Oriente Médio mostrar que é possível conviver pacificamente.

A delegação formada por 15 judeus, 15 muçulmanos e 15 cristãos deixou a Argentina e chegou nesta quinta-feira (19) na Palestina para mostrar o modelo de respeito e convivência pacífica entre as religiões.

O primeiro-ministro palestino, Rami Hamdala, recebeu a delegação e destacou a presença das três religiões em seu território. “Palestina é a terra das três religiões: cristianismo, judaísmo e islã. E, para mim, a religião é tolerância”.

Ele também citou a paz dizendo que o acordo com Israel é o destino das nações. “Somos vizinhos, temos que viver juntos um ao lado do outro em paz e harmonia”, completou Hamdala.

Em entrevista à agência EFE Claudio Epelman, diretor-executivo do ‘Congreso Judío Latinoamericano’, explicou que além da Palestina a delegação, organizada por ele, ainda passará por Israel, Jordânia e Roma. “Em vez de chamar atenção para o conflito do Oriente Médio, queremos mostrar que cristãos, muçulmanos e judeus podem viver juntos”, disse.

As reuniões com os líderes de cada estado já estão marcadas. Em Israel eles serão recebidos pelo presidente Shimon Peres, na Jordânia por um membro da dinastia hachemita, pois o Rei Abdullah II não poderá recebê-los e em Roma serão recebidos pelo próprio Papa Francisco no dia 27 deste mês.

O líder católico, que é natural da Argentina, é considerado como um grande exemplo para os líderes religiosos. Epelman chegou a dizer que Francisco teve “um papel muito significativo como arcebispo de Buenos Aires” ao criar um diálogo entre as religiões.
“O motivo da viagem não é apenas estar na terra palestina, mas também mostrar uma realidade que existe em uma parte do mundo, onde o diálogo religioso é uma construção”, disse Omar Ahmed Abboud, co-fundador e presidente do Instituto do Diálogo inter-religioso da Argentina.

Quem também faz parte dessa delegação é o rabino Sergio Bergman, deputado por Buenos Aires, que acredita na mensagem de coexistência entre as três religiões.

Fonte: Gospel Prime

Cristãos evangelizam durante as Olimpíadas de Inverno na Rússia

jogos-olimpicos-de-inverno-em-sochi-320x180Voluntários preparam diversas atividades de entretenimento para chamar a atenção de turistas, trabalhadores e moradores de Sochi.

O grupo SOAR International, formado por cristãos do Alasca, resolveu enviar alguns voluntários para evangelizarem durante os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, na Rússia.

O líder do SOAR, Greg Mangione, afirmou ao Christian Post que eles usarão estratégias criativas para chamar a atenção dos turistas para a mensagem do Evangelho.

Para isso eles prepararam shows de mágica, pinturas no rosto, exibição de vídeo e outras atividades de entretenimento que servirão de convite para receberem a mensagem e uma oração.

“Queremos estabelecer um relacionamento. Estamos à procura de pessoas que queiram se perguntar ‘Por que eu estou aqui?’. Esperamos que abram a porta para compartilhar um testemunho pessoal e dizer que ‘Estou aqui porque eu amo Cristo’”, resume Mangione.

Além do SOAR o grupo Engage Sochi, formado pela International Mission Board e pela convenção Batista do Sul, dos Estados Unidos, também estará realizando atividades evangelísticas durante os jogos olímpicos atraindo turistas, trabalhadores e moradores do local.

“Eu acho que é importante para as Convenções levarem a Palavra além do ministério olímpico. A iniciativa nos permite alcançar o mundo de uma forma muito mais responsável”, avaliou Marty Youngblood, membro do Engage Sochi.

As Olimpíadas de Inverno começaram no dia 7 de fevereiro e durarão até o dia 23 deste mês.

Fonte: Gospel Prime

 

Estudo mostra a vulnerabilidade ao estresse de líderes cristãos

pastor-stress-300x200O trabalho é um dos fatores sociais que pode gerar estresse, no caso de padres e pastores isso acontece por se tratar de um trabalho emocional.

Uma pesquisa realizada pela pós-graduanda Fernanda Siqueira Baptista mostra que pastores e padres também são vulneráveis ao estresse.

Para chegar a essa conclusão foram ouvidos 80 líderes cristãos, sendo 40 padres e 40 pastores que vivem nas cidades do Oeste Paulista.

O resultado foi apresentado pelo estudo que recebeu o nome de ‘Vulnerabilidade ao Stress e estratégias de enfrentamento de Líderes religiosos cristãos’ assinado por Siqueira que é aluna do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Faculdade de Ciências (FC) da Unesp.

Os entrevistados responderam a um questionário sociodemográfico e a análise dos dados recolhidos foi feitas através dos testes estatísticos Mann-Whitney e correlação de Sperarman mostrando que 35% dos pastores e 37,5% dos padres obtiveram índice médio superior em pressão no trabalho.

Mesmo não sendo estatisticamente significativos, os resultados mostram que padres e pastores possuem fontes de estresse diferentes. Enquanto para os padres o ministério é mais estressante, para os pastores a fonte de estresse é a família.

“A análise correlacional indicou que as crenças influíram sobre o enfrentamento religioso espiritual, sendo que os pastores fizeram maior uso de enfrentamento negativo, enquanto os padres maior uso de enfrentamento religioso total”, diz o resumo da pesquisa.

Com essa pesquisa foi possível mostrar a necessidade de outros estudos que avaliem esses casos e a criação de programas com foco na saúde emocional de líderes religiosos, além de programa de intervenção e prevenção que consiga auxiliá-los no enfrentamento dessas fontes de estresse.

Fonte: Gospel Prime

“Jesus” aparece em vídeo pró-aborto e irrita cristãos

jesus-aparece-em-video-pro-aborto-e-irrita-cristaos-266x200Se no Brasil o canal Porta dos Fundos causa confusão toda vez que inclui uma referência religiosa, nos Estados Unidos.

Se no Brasil o canal Porta dos Fundos causa confusão toda vez que inclui uma referência religiosa, nos Estados Unidos a imagem de Jesus é usada em um vídeo de uma campanha online pró-aborto. A grande repercussão do assunto mostra que o debate sobre como e quando pode se fazer piadas com o nome de Jesus é parecido em todos os países de maioria cristã.

Com quase um milhão de visualizações, a atriz e comediante Sarah Silverman publicou em seu canal um esquete de cinco minutos onde mostra como recebeu uma visita de Jesus Cristo em sua casa. O inusitado da conversa é que Jesus pede a ela que leve sua “palavra”, no caso, o apoio à legislação americana sobre o aborto.

Michael Weatherly, ator que interpreta Jesus, mostra o Salvador como uma pessoa “bem humorada”, mas que afirma estar “muito chateado” ao ver como as pessoas estão usando seu nome para espalhar a intolerância e a opressão. Depois, senta no sofá com a atriz para assistir ao seriado “NCIS: Investigação Policial” e comer pipoca. Uma referência ao seriado que Weatherly participa. Há uma cena onde ele faz massagens nas costas dela. Então Sarah pergunta como ele sabe do que ela gosta.

Em determinado momento, Sarah pergunta a “Quando a vida começa?”, a resposta, dada por Jesus, entre risadas é “A vida começa aos 40”. Mas depois acrescenta “Óvulos fertilizados não são pessoas. As pessoas é que são pessoas”.

Essa é a deixa para Silverman, que é de uma influente família judia mas se declara ateísta, reclamar de como o governo mistura direitos civis com religião na hora de legislar. Defendendo um Estado laico e o direito de as mulheres abortarem como uma “questão de saúde”, critica a nova legislação que exige que as abortistas passem por uma sonda vaginal e sejam forçadas a olhar para o ultrassom do feto”.

O vídeo termina com ela defendendo uma campanha de nome impublicável e pedindo que as pessoas não deixem a religião atrapalhar as decisões políticas do país.

A influente revista Charisma classificou o vídeo como “o discurso cômico com mais blasfemas que eu já vi”. Políticos conservadores também emitiram notas de repúdio. Outros grupos cristãos pedem um boicote ao canal Comedy Central, onde Sarah tem um programa semanal e que também postou o vídeo em seu canal do Youtube. Surpreendentemente grupos judeus antiaborto também se manifestaram contrários ao material divulgado por ela.

 

 Fonte: Gospel Prime com informações Christian Post e Charisma News.