Publicado em Ciência

Dieta da Bíblia Promete Emagrecer 4kg em 11 dias

Sim, há quem diga que ter fé pode ajudar a perder peso. È que já invetaram a dieta da Bíblia, voltada para pessoas religiosas, e uma boa pedida na semana santa. Sem incluir ovos de páscoa, essa dieta é fruto de uma pesquisa do Dr Edson Ramuth, fundador do Emagrecentro, que buscou passagens e alimentos da bíblia para criar um cardápio. A dieta tem duração de 11 dias e, segundo ele, é possível perder até 4 Kg. A recomendação é que seja feita apenas uma vez por mês e que seja iniciada na segunda-feira.

“No sexto dia será preciso permanecer em jejum, no café, almoço e lanche. Nesta data não se deve tomar medicação para emagrecer, nem praticar atividades físicas. É permitido ingerir uma pequena quantidade de vinho e adoçar bebidas com mel”, sugere o Dr.

Mas êpa, não basta rezar. O tratamento é recheado de regras:

1. As carnes ingeridas devem ser somente de animais ruminantes com casco dividido em dois e unha fendida, como o boi, ovelha, carneiro e cabra.

2. A carne de porco é proibida assim como os outros animais que não ruminam.

3. A ingestão de sangue de animais é proibida; as carnes não podem ser consumidas cruas ou mal passadas. Devem ser muito bem cozidas, assadas ou grelhadas.

4. O leite e seus derivados (queijo, coalhada, creme de leite, etc) são permitidos, mas nunca podem ser ingeridos na mesma refeição com derivados da carne, como: filé a parmegiana, estrogonofe. Ou seja, derivados do leite e da carne devem ser consumidos em refeições separadas.

5. As aves são permitidas assim como seus ovos, desde que não estejam fecundados.

6. Frutos do mar são proibidos: Camarão, marisco, lagosta, ostra, etc.

7. Os peixes com escamas são permitidos. Como a pescada, sardinha, tainha, etc.

8. Os peixes sem escamas são proibidos, como o cação, pintado,atum, etc.

Quer conferir o cardápio?!

1º e 8º dia

Manhã – 1 fatia de pão de centeio / 1 xícara de iogurte com 1 col.(sopa) aveia

Almoço – 1 filé de peixe / 1 prato de salada de pepino com cebola com 3 col.(sopa) de milho em conserva

Lanche – 1 fatia de melão

Jantar – 1 prato de lentilha cozida

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

2º e 9º dia

Manhã – 1 fatia de pão de centeio / 1 xícara de leite com 1 col.(sopa) de aveia

Almoço – 1 bife médio de carne / 1 pepino grande cru com 3 col.(sopa) milho em conserva

Lanche – 1 maça

Jantar – 1 prato de fava ( vagem) cozida e 1 ovo cozido

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

3º e 10º dia

Manhã – 1 copo de suco de melão e 2 fatias de queijo

Almoço – 1 filé de peito de ave / 1 salada de pepino com cebola e 3 col.(sopa) de milho em conserva

Lanche – 5 ameixas pretas

Jantar – 1 ovo cozido e 1 prato de lentilha cozida

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

4º e 11º dia

Manhã – 1 fatia de pão de centeio / 1 xícara de leite com 1 col.(sopa) de aveia

Almoço – 1 bife bovino médio / 1 prato de fava ( vagem) cozida com 3 col.(sopa) milho em conserva

Lanche – 1 cacho de uvas

Jantar – 1 prato de lentilha cozida

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

5º dia

Manhã – 1 fatia de pão de centeio / 1 xícara de iogurte com 1 col.(sopa) aveia

Almoço – 1 filé de peito de ave / 1 prato de salada de pepino com cebola e 3 col.(sopa) milho em conserva

Lanche – 1 maça ou/10 amêndoas / 10 azeitonas

Jantar – JEJUM – somente ingerir água

6º dia

Manhã – JEJUM – somente ingerir água

Almoço – JEJUM – somente ingerir água

Lanche – JEJUM – somente ingerir água

Jantar – 1 prato de lentilha cozida + 1 prato de salada de pepino com cebola + 3 col.(sopa) milho em conserva

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

7º dia

Manhã – 1 copo de suco de melão + 2 fatias de queijo

Almoço – 1 filé de peixe grelhado + 1 prato de lentilha cozida

Lanche – 5 ameixas pretas

Jantar – 1 ovo cozido + 1 prato de fava (vagem) cozida e 3 col.(sopa) milho em conserva

Ceia – 1 xícara de Chá de Zimbro

Fonte: Extra

Anúncios
Publicado em Brasil

Dieta de Jesus – Reeducação Alimentar


Por Ulrica D’Orey

A dieta de Jesus desta vez, a receita de bem-estar vem literalmente dos céus: inspirada na alimentação de Cristo, uma dieta que promete energia, saúde e, de quebra, a perda de alguns quilos está dando o que falar. Para você decidir se quer ou não se converter a ela, CLAUDIA conversou com seu idealizador, o americano Don Colbert, e especialistas brasileiros.As chamadas “dietas da Bíblia”, que ganham cada vez mais fama, têm como base os alimentos citados no Velho e no Novo Testamento. O médico nutrólogo e pastor americano Don Colbert, 49 anos, foi o primeiro a buscar a inspiração divina: em 2002, lançou What Would Jesus Eat? (no Brasil, O que Jesus comeria?), que virou best-seller. Don garante aos leitores que é possível seguir os exemplos de Cristo – inclusive na alimentação para controlar o peso. “A publicação não tem intenções religiosas. Nela, provo cientificamente que os alimentos daquela época fazem bem à saúde e mostro como tirar proveito deles”, diz.Mais do que dieta, o autor afirma propor um programa de reeducação alimentar. “É uma questão de estilo de vida. A perda de peso, de até 1 quilo por semana, é apenas conseqüência.” Dois exemplos de Jesus que o autor nos incentiva a seguir: medir bem as porções (lembre-se de que a gula é pecado) e comer com calma, aproveitando a refeição. E quanto à dieta em si? Para o endocrinologista Ricardo Botticini Peres, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o programa nada mais é do que uma mistura da dieta mediterrânea com a segunda fase da dieta de South Beach. O médico nutrólogo Edson Credidio, diretor da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), em São Paulo, concorda e acrescenta: “O diferencial está em usar um mito como Jesus para fazer uma releitura dessas dietas”. Com a lista dos alimentos permitidos na mão, pedimos a eles e a outros especialistas que analisassem com mais detalhes o que Colbert prega:


Peixes

A alimentação de Jesus baseava-se praticamente em peixe. Camarões e moluscos, porém, eram considerados impuros. Para o endocrinologista Tércio Rocha, da Academia Brasileira Antienvelhecimento, os peixes, de preferência os de água fria, podem ser ingeridos todos os dias. “Sua gordura é poliinsaturada e rica em ômega 3, o que aumenta o colesterol bom e diminui o ruim”, diz. Com frutos do mar, a coisa muda de figura. “Camarões, ostras e moluscos se alimentam de dejetos, têm alto teor de ácido úrico e aumentam o colesterol ruim.”

Carne

Mais que carne de vaca, Jesus comia as de cordeiro, cabra e aves. Mesmo assim, só em dias de festas e comemorações. Carne de porco não fazia parte do seu cardápio. “A carne – branca e vermelha – contém proteína de alto teor biológico, ferro, zinco e vitamina B, além de fornecer aminoácidos essenciais”, afirma Edson Credidio. “Se abrirmos mão dela totalmente, ficamos mais sujeitos a doenças e perdemos massa magra do tecido muscular. Acredito que os povos antigos não comiam certos alimentos mais pela dificuldade em obtê-los.” Tércio Rocha lembra que a carne suína é considerada impura e proibida até hoje por quem segue a religião judaica. Crua ou pouco cozida, pode transmitir tênia. “O problema é minimizado quando os porcos são criados em granjas grandes e limpas. Mas, como sua carne é gordurosa, deve ser consumida com moderação”, aconselha.

Pão

Marca registrada da alimentação de Cristo, era feito com grãos de trigo integral, água e azeite de oliva. O pão de grãos integrais de trigo, milho e cevada não conduz à compulsão alimentar, que os médicos garantem ser gerada pela farinha branca, processada. “O pão de Jesus não levava bromato ou gordura hidrogenada, que não são nada saudáveis. Era feito com azeite e manteiga de leite de cabra”, diz Tércio Rocha. Hoje, é importante consumir alimentos integrais. Três ou quatro fatias de pão ou três ou quatro xícaras de outros carboidratos integrais por dia não pesam na balança.

Bebidas de grãos de clorofila

Jesus tomava sucos com grãos integrais amassados e extrato de folhas, tirando proveito da clorofila. “O extrato de plantas verdes é rico em ferro, minerais, cálcio e vitamina C, o que ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Os sucos continham ainda sementes de uva e azeite de oliva. Para fazer uma bebida com poder semelhante, bata folhas escuras (rúcula, agrião, espinafre) com suco de laranja ou tangerina. Tome pela manhã para ajudar o intestino a funcionar”, sugere Tércio.

Laticínios

Nos tempos bíblicos, só os bebês tomavam leite, de ovelha e de cabra. Os adultos ingeriam mais queijo e principalmente iogurte. Segundo Tércio, o  homem é o único mamífero que toma leite depois do desmame. “O alto consumo de leite de vaca está relacionado ao aumento da obesidade e do diabetes. O queijo fresco é a mesma coisa, pois tem muito soro. Se não quiser dispensá-los, por causa do cálcio e das proteínas, prefira as versões desnatadas.” Já o iogurte é importante para recompor a flora intestinal. “Recomendo iogurte desnatado com frutas frescas feito em casa. É um elixir da juventude”, assegura Edson.

Lentilhas, cebola e alho

Além do feijão e das ervas, eram os poucos vegetais e leguminosas da época. Feijão e lentilha são ricos em ferro, vitaminas e fibras, que ajudam a eliminar a gordura. O ideal é comer de duas a três conchas por dia. O alho e a cebola contêm princípios ativos poderosos – a alicina, que beneficia o sistema imunológico, e a quercetina, antioxidante capaz de baixar os níveis do LDL, o colesterol ruim.

Azeite de oliva

Pães, sucos e pratos em geral levavam azeite de oliva. “É um dos pilares da dieta mediterrânea. Com polifenóis e vitamina B, fortalece o sistema imunológico, é antiinflamatório e um poderoso antibiótico natural. Baixa o colesterol ruim e aumenta o bom, além de diminuir a formação de placas de gordura nos vasos do coração”, diz Tércio. Para manter a forma, consuma entre 50 e 100 mililitros, no máximo, por dia.

Vinho

Don Colbert recomenda que se tome um cálice por dia. O vinho tinto, sobretudo, é poderoso. Contém polifenóis, vitaminas e carotenos, antioxidantes que evitam o fechamento das artérias e coagulações internas do sangue. “Também previne doenças cerebrais e melhora a oxidação”, assegura Tércio.”É importante ressaltar que o vinho naquela época era apenas uma mistura de casca de uva, água e mel. Por isso, vale substituí-lo por suco de uva”, argumenta o endocrinologista Ricardo Peres. A nutricionista Vanderlí Marchiori concorda: “Um copo de suco de uva vermelha e mais 30 gramas de amendoim apresentam a mesma quantidade de resveratrol – substância antioxidante e benéfica para o coração – que uma taça de vinho tinto”.

Veja também Dieta da Bíblia¹Dieta da Bíblia²

Fonte: Claudia/Abril

Publicado em Cotidiano

Evangélicos comemoram lei que regulariza terrenos de igrejas


Milhares de evangélicos aproveitaram este domingo (12) para celebrar a lei que regulariza terrenos ocupados por igrejas e entidades de assistência social no Distrito Federal. A medida atende 1.191 instituições no DF – sendo mais de 900 igrejas evangélicas.

A Celebração da Vitória foi realizada no ginásio Nilson Nelson e contou com a participação de pastores, bispos e membros do Governo do Distrito Federal.

Durante o evento, o governador José Roberto Arruda entregou dez certificados de regularização para igrejas. Os documentos das demais entidades serão entregues pelo Conselho dos Pastores. “Foram muitos anos de igrejas irregulares e pastores temendo por seus templos. Porém, depois de idas e vindas, chegamos a este momento. Isto está dentro do conceito de trazer toda cidade para legalidade”, afirmou Arruda.

De acordo com a lei, as áreas da Terracap passarão por licitação pública. A igreja, templo ou entidade ocupante do terreno terá assegurado o direito de preferência na compra. Os preços de venda serão calculados com base em valores de terra nua em dezembro de 2006 e os compradores poderão parcelar em até 240 meses.

O governador também assinou um decreto que deverá assegurar a realização de cultos em hospitais e presídios. Segundo Arruda, muitos religiosos são impedidos de entrarem nestes locais para fazerem orações. “A ideia é fazer um pré-cadastro para facilitar o trabalho destas pessoas. Tudo, é claro, respeitando todas as normas de segurança existentes”, explicou Arruda.

Fonte: Agência Brasília

Publicado em Cotidiano

René Simões faz palestra em igreja evangélica

NC+ReneSimoes.jpg

Não é só no Alto da Glória que o técnico René Simões faz preleções com histórias de sucesso e fracasso no comando de grandes equipes no Brasil e exterior. Cristão, o treinador do Coritiba também conta um pouco do que viveu na Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular através de palestras aos fiéis da congregação.

Sou evangélico e fiz uma pregação. Eles tinham me pedido para falar sobre benção, as bênçãos que tenho recebido na minha vida. Disse que preferia falar sobre os sofrimentos porque não conheço nenhuma benção que não venha precedida de um sofrimento, informou o treinador.

E o comandante alviverde citou como exemplo o próprio nascimento. Até a benção da vida é precedida pelo sofrimento do parto e se o parto é tranquilo como foi o de minha mãe, minha mãe teve 11 partos e todos foram muito normais e tranquilos, algumas gestações não foram tranquilas. A minha vida tem sido isso, muitas bênçãos, mas elas são difíceis, destacou.

Para ele, no meio de um sofrimento a pergunta a ser feita não é por que eu? e sim por que não eu? Deus é o dono do plano, ele sabe o que é melhor para nós assim como um pai. Não dou tudo o que minha filhas pedem, o que querem. Tenho que dar tudo o que elas necessitam e estar presente, aponta René.

O treinador avisa que Deus dá o que as pessoas merecem. Às vezes, você recebe algumas coisas e pensa comigo?, mas pode ter certeza que mais na frente ele mostrará a você como tendo sido uma coisa boa, garante. E na palestra, teve futebol?

A minha vida é o futebol e a gente faz essa interação do que acontece aqui (clube) e foi ótimo. Sou membro da Igreja do Rio e quando posso vou à Igreja Batista aqui, vou a essa, tem a Presbiteriana também no Batel e vou rodando, me convidam e eu vou lá e gosto muito, afirma o treinador.

De acordo com o coordenador de comunicação da Primeira IEQ, Fernando Klinger, René foi convidado para participar de um programa de tevê da congregação onde pessoas conhecidas dão testemunho de fé.

Para a gente conseguir a entrevista foi complicado, destaca. Mas, de acordo com ele, valeu a pena. Uma das passagens na Arábia, ele contou que numa preleção dele pediu a ajuda de Deus para ganhar e mesmo ganhando foi demitido. Então ele diz que todo vitorioso é um derrotado experiente, finalizou Klinger. Mais informações sobre René na igreja podem ser conseguidas no site www.primeiraieq.com.br. Mais do Coxa na página 18.

Fonte: Paraná online

Publicado em Cotidiano

Comunicação religiosa será tema de Congresso

O Fundo Global de Sociedade vai patrocinar estudantes e profissionais da comunicação que não sejam dos Estados Unidos e do Canadá para participarem do Congresso Mundial de Comunicação Religiosa, que terá lugar em Chicago de 7 a 10 de abril de 2010.

Interessados envolvidos com religião, fé e comunicação devem remeter carta de recomendação ao Fundo até o dia 15 de julho, seguindo as instruções arroladas no sítio
http://www.rccongress2010.net/globalpartners/index.shtml

O Congresso deverá reunir mais de 1,2 mil comunicadores, que terão, na programação, a escolha de 50 oficinas sobre os mais variados aspectos da comunicação diante do cenário de mudanças e desafios as novas tecnologias disponibilizam à área.

Câmbios sociais motivam novos ministérios e mudanças religiosas conclamam ao diálogo, reforça o convite dos organizadores do evento em Chicago.

Fonte: ALC

Publicado em Cotidiano, Música

Cantor André Valadão faz primeiro show gospel da Festa de Barretos

Pela primeira vez em 54 anos a Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (SP) receberá um show gospel, com André Valadão. Essa é a maior festa de peão do Brasil, pessoas de diversas partes do país e do mundo vão à Barretos todos os anos para participar da programação de shows, rodeios, parques de diversão, entre outras atividades.

Marcado para o dia 24 de agosto a noite da apresentação de André Valadão gera grandes expectativas por se tratar do primeiro show gospel da festa. Na oportunidade André Valadão destaca a importância da inserção da música gospel e cristã em festividades como estas. “A música gospel é cultura! É positiva e traz uma reflexão espiritual na vida das pessoas”, explica o cantor.

André Valadão é precursor no Brasil de apresentações em festas seculares como a Festa de Peão de Barretos. Ele foi o primeiro show gospel em várias festas e cidades do país. “Mais que entretenimento é tempo de buscar a Deus”, diz. O cantor foi pioneiro em cidades como Ourinhos (SP), Londrina (PR), Maringá (PR), Alegre (MT), Sabará (MG), Jaguariúna (SP), Cotia (SP), Mimoso do Sul (ES), Cordeiro (RJ), Resende (RJ), Manhuaçu (MG), Itaocara (RJ), Rondonópolis (MT), Araraquara (SP), Linhares (ES), Fernandópolis (SP), Governador Valadares (MG), Quissamã (RJ), Votuporanga (SP), Paty do Alferes (RJ) e Paraúna (PA) e agora chegou a vez de Barretos, a maior festa de peão do Brasil!

Serviço:
54ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (SP)
André Valadão – Turnê Fé
Data: 24 de agosto.
Local: Palco da Esplanada.
Horário: 21h.

Fonte: Site de André Valadão

Publicado em Cotidiano

Grupos evangélicos buscam relacionamentos pela internet

O dia dos namorados é a data em que os casais comemoram o amor a dois. Mas há aqueles que por timidez, falta de tempo ou por outros menores, ainda não encontraram o par ideal, ou melhor, o outro lado da laranja. Para reduzir este abismo, grupos evangélicos criaram redes relacionamentos para aproximar pretendentes.

De fato não é bom que o homem viva só, mas encontrar a metade ideal também não está lá tão fácil.  Enquanto as mulheres reclamam que os homens não querem compromisso sério, os homens soltam o verbo e falam que as mulheres só querem saber do trabalho e não pensam mais na vida  a dois.

Muitos são os problemas, até mesmo dentro das igrejas. Falta tempo, convívio para se aproximar da pessoa amada. Isto sem contar a timidez e o medo da rejeição que assombra muitas pessoas.

A geração single, de acordo com uma pesquisa divulgada pela Sepal ( Serviço de Evangelização para América Latina), em parceria com o Ministério Apoio, que acompanha solteiros adultos, viúvos e divorciados, está só, literalmente. De acordo com o levantamento, 80% das igrejas evangélicas brasileiras ainda não possuem um ministério para os grupos.

Dentre os perfis encontrados na pesquisa, 71% dos solteiros evangélicos possuem nível superior e 84% gostariam de encontrar um par ideal para o casamento, sendo que 92% acreditam ser a solução ideal para espantar de vez a solidão e tristeza. Outro dado colhido no estudo mostra que as maiores razões da “solteirice” são a falta de apoio e traumas como abuso na infância, homossexualismo e infidelidade. Sem muita opção é preciso utilizar do chamado ‘cupido’ eletrônico para buscar o perfil ideal.

Nesta tendência cresce cada vez mais as comunidades e mailings de evangélicos em busca de relacionamentos. O Ministério Apoio, por exemplo, mantém um site do gênero. Poremails eles trocam experiências, confissões e falam de seus medos e expectativas. Há também o grupo de Ministério de Jovens Solteiros que conta com 14 mil integrantes no orkut. Lá eles contam e falam do par ideal. Mas se você está sozinho, confira algumas dicas para desencalhar:

Nove dicas para desencalhar

Arranjar um namorado, ou namorada, na igreja, não é tarefa das mais penosas. Claro que há algumas dificuldades – timidez excessiva, imaturidade, excesso de concorrência etc –, mas a fé comum, no caso de pretendentes e pretendidos, costuma abrir as portas dos corações. Mas se você anda à procura de uma cara-metade e acha que a coisa está difícil, preste atenção a estas dicas:

· Evite ser um mala, do tipo que pega no pé. Se você gosta de alguém, demonstre isso, mas não seja excessivamente oferecido. Se a outra parte achá-lo inconveniente, pode dizer adeus

· Ao terminar o culto, não vá embora correndo. É naqueles happy hours gospel, tanto na cantina da igreja como na lanchonete da esquina, que as coisas costumam acontecer. O papo rola mais fácil entre um hambúrguer e um guaraná. Mas nada de sumir na hora da pregação!

· Respeitando as posturas de sua igreja quanto a usos e costumes, procure melhorar sua estampa. Não precisa gastar fortunas em roupas de grife – basta uma caprichada. No caso dos rapazes, atenção com as peças descombinadas, tipo camisa xadrez e calça listrada. Elas acham isso um crime! E, para as garotas, adereços discretos, como bijuterias elegantes e maquiagem simples, costumam fazer milagres

· Não perca os retiros. O clima, nessas ocasiões, é dos mais favoráveis.

· Limpeza e cuidados com a higiene pessoal são fundamentais para os dois sexos. Desleixo é imperdoável e reduzem suas chances a praticamente zero
· Ninguém deve cometer o absurdo de usar os ministérios da igreja para aparecer, mas se você se destacar de alguma maneira na comunidade, vai aumentar consideravelmente suas chances. Participar do grupo de louvor é um excelente caminho

· Procure observar as características espirituais de seu alvo. Se a pessoa for daquelas mais chegadas a reuniões de oração, consagrações, vigílias e jejuns, aí, meu amigo ou minha amiga, não tem jeito – você vai ter que se enquadrar e tentar acompanhar o ritmo. Mesmo se o namoro não pintar, você sai ganhando: terá colocado a vida espiritual em dia

· Fique de olho na família da pessoa paquerada. Seja sempre atencioso, mesmo com aqueles irmãos menores que insistem em ficar por perto quando tudo o que você quer é estar a sós com ele ou ela. A mãe, e quem sabe futura sogra, também é estratégica – se você conseguir convencê-la de que é uma pessoa responsável e temente a Deus, já terá meio caminho andado. O indicador de aceitação costuma ser o convite para um almoço de domingo. Mas cuidado: mesmo que lhe sirvam jiló ensopado, faça a melhor das caras!

· Finalmente, peça a Deus que lhe dê orientação e que cumpra sua vontade nesta área de sua vida. Afinal, ele o ama e quer o melhor para você

ELE PROCURA UMA GAROTA QUE:

· Seja bonita
· Seja “na dela”, isto é, discreta
· Seja crente
· Não seja muito agarrada em pai e mãe
· Estude. Mas não precisa estar trabalhando
· Goste de cinema e videogame
· Admire-o pelo que faz na igreja
· Não fale em casamento logo de cara

ELA PROCURA UM GAROTO QUE:
· Seja crente
· Não precisa ser tão bonito. Simpatia basta
· Exerça algum ministério na igreja
· Não seja muito “rodado”, isto é, namorador
· Estude, trabalhe e, de preferência, tenha carro
· Seja inteligente e possua um bom papo
· Tenha bom relacionamento com os pais dele
· Admita logo a possibilidade de casar

Por: Por: Robson Morais – Redação Creio*
Fonte: Com informações da Revista Enfoque

Publicado em Cotidiano

Pastor quer proibir que santos fiquem em capela de órgão público no Piauí

Uma disputa mais por direitos iguais do que religiosa. É o que promete o presidente da Associação Evangélica Piauiense – AEPI -, pastor Robson da Silva. Ele promete reivindicar que capelas construídas em órgãos públicos não recebam imagens sacras católicas, como santos.

O assunto, que promete polêmica, será motivo de requerimento ao Ministério Público e Procuradoria do Estado.

Para o pastor, as capelas foram criadas como ecumênicas, e com recursos de cidadãos de qualquer religião. “As repartições públicas tem as capelas ecumênicas, mas a maioria delas é tomada por símbolos religiosos da igreja católica. Uma religião que não defende os seus atos não pode ocupar essas capelas”, explica Robson, frisando que legalmente o Brasil é um Estado laico, apesar da maioria católica.

“Não é ser contra os católicos, é reivindicar nossos direitos, porque a capela foi construída com o dinheiro de todos”, acrescenta o pastor, citando exemplos como a capela da Assembléia Legislativa, do Detran, Secretaria de Educação, e até a do Hospital Getúlio Vargas, que está de reforma. “Ela não é só dos católicos, e estamos defendendo que ela não receba nenhum símbolo após a reforma. O espaço é para ser usado por todas as religiões”, afirma Robson da Silva.

O pastor consultou um advogado que deve elaborar o requerimento ainda nesta semana.

Fonte: Cidade Verde

Publicado em Cotidiano

Expocristã entra no calendário oficial do estado de São Paulo

A EXPOCRISTÃ, a maior feira de produtos cristãos da América Latina, agora é evento oficial do Estado de São Paulo. O projeto de lei, proposto pelo deputado estadual José Bittencourt (PDT), e aprovado pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), foi publicado no Diário Oficial no mês de março.

A feira, que está em sua oitava edição e que neste ano acontece de 08 a 13 de setembro no Expo Center Norte, em São Paulo, é reconhecida por movimentar a economia, a área de serviços, o turismo e o segmento evangélico.

A lei nº. 12.540 foi publicada no Diário Oficial no dia 10 de março. Segundo o autor, o deputado José Bittencourt ‘ a EXPOCRISTÃ virou uma referência e um evento anual aguardado por todos, pois através dela, são lançados no mercado as maiores novidades do seguimento’. A proposta foi endossada pelo deputado estadual Vaz de Lima, que na época presidia a Assembléia do Estado de São Paulo.

Para o organizador do evento, Eduardo Berzin Filho, o reconhecimento por parte do legislativo mostra que a EXPOCRISTÂ, além de movimentar o setor, oferece opção de entretenimento e fomenta o setor turístico/ cultural do estado. “Neste ano melhoramos a visualização dos estandes e apresentaremos uma nova formatação em áreas de interesse. A cada ano aprimoramos mais a EXPOCRISTÃ para atender as necessidades dos cristãos”, enfatizou.

A EXPOCRISTÃ já está incluída no calendário oficial de eventos da cidade de São Paulo. A proposta partiu do vereador Carlos Bezerra Júnior (PSDB) em 28 de fevereiro de 2008.

MAIS SOBRE A EXPOCRISTÃ – A maior feira de produtos e serviços para cristãos da América Latina acontece de 08 a 13 de março no Expo Center Norte. A feira está em sua oitava edição e é organizada pela EBF Eventos. Mais de 85% dos estandes já estão vendidos para o evento de 2009.

Fonte: Assessoria de Imprensa EBF

Publicado em Cotidiano

Bíblia continua sendo campeã de preferência entre brasileiros

A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil 2008, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Observatório do Livro e da Leitura e ao Ibope, traz informações preciosas para os evangélicos. Divulgada em setembro, a pesquisa investiga o hábito de leitura dos brasileiros e mostra que a Bíblia segue como o livro mais lido no país.
Os demais livros cristãos, porém, ainda ficam muito atrás. Foram 5.012 entrevistados, abrangendo um conjunto de 172 milhões de pessoas – 92% da população. Desse contingente, 95,6 milhões teriam lido pelo menos um livro nos três meses que antecederam a entrevista, e assim foram considerados “leitores”. Em plena vigência do “Ano Machado de Assis”, para a Academia Brasileira de Letras, e do “Ano da Bíblia”, para a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), os outros 77 milhões, que não teriam lido livro algum nos três meses anteriores, foram classificados como “não leitores”.

Um total de 6,9 milhões de brasileiros estaria lendo a Bíblia no momento da pesquisa, número 18 vezes maior do que o livro que aparece na segunda colocação, a ficção O Código Da Vinci, do inglês Dan Brown, cujo enredo mostra a fé cristã como uma trama conspiratória. A Bíblia também ficou na frente como “gênero” mais lido (45% dos leitores) e foi citada como “livro mais importante da vida” dos entrevistados – dez vezes mais lembrado que o segundo colocado, o Sítio do Pica-Pau Amarelo, título que na verdade não existe, mas é uma referência à literatura de Monteiro Lobato. Mesmo entre os “não leitores”, a Bíblia teria sido a última leitura de 4,5 milhões de pessoas.

Esses números não surpreendem o pastor luterano Erní Seibert, de 55 anos, secretário de Comunicação da SBB. “Não há outro livro mais lido e distribuído, com tantos grupos que se reúnam para lê-lo ou estudá-lo toda semana. É livro de referência diária para o cristão”, diz, lembrando que em 2007 a SBB distribuiu 5,16 milhões de exemplares das Sagradas Escrituras. Somadas às que teriam sido impressas por outras editoras evangélicas e católicas, chega-se a cerca de 8 milhões de bíblias distribuídas só no ano passado. “E há espaço para crescer mais”, observa Seibert, explicando que muitos dos exemplares foram parar nas mãos de gente que já costuma ler as Escrituras. “A durabilidade média de cada Bíblia é de 12 a 15 anos, se manuseada com freqüência. A pessoa, então, quer uma nova”, comenta.

A SBB também tem preocupação com quem mostra menos interesse no livro sagrado. A pesquisa Retratos da leitura no Brasil revela que entre as pessoas com menos de 25 anos a Bíblia não é o livro mais lido – perde para obras didáticas, poesias, romances e, dependendo da faixa etária, até para histórias em quadrinhos. “A gente tem feito um esforço grande nos últimos anos para desenvolver textos para essa faixa. Temos a Bíblia do Bebê, com muita ilustração, e também edições para crianças e adolescentes. A tradução precisa ser legítima, criteriosa, com uma linguagem adequada. Temos tido bastante êxito, e veremos os verdadeiros resultados daqui a dez anos”, prevê Seibert.

A Bíblia segue na dianteira, mas o mesmo não acontece com as obras evangélicas. Se O Código Da Vinci aparece em segundo lugar entre os livros mais lidos, logo atrás está o esóterico O Segredo, da australiana Rhonda Byrne, seguido do infanto-juvenil campeão de vendas, a série Harry Potter, da inglesa J.K Rowling, e de clássicos infantis, como Cinderela e Chapeuzinho Vermelho. O primeiro título evangélico citado na pesquisa é Bom dia, Espírito Santo, do televangelista americano Benny Hinn, em 20º lugar.

Expansão rápida

Mas esses números não incomodam as editoras evangélicas, que só têm visto seus lucros crescerem nos últimos anos. De acordo com a Câmara Brasileira do Livro, entre 2006 e 2007 a quantidade de títulos evangélicos no mercado saltou 27%, no mesmo ritmo do aumento do poder aquisitivo das classes C, D e E – onde se concentra a maioria dos crentes. “Em 2005, tivemos 365 mil livros vendidos; em 2008, já são mais de um milhão”, diz Renato Soares Fleischner, gerente de Produção Editorial da Mundo Cristão, sediada em São Paulo. A editora tem investido fortemente em novos canais de vendas, onde a competição é acirrada. “A população evangélica cresce muito e não dá para as igrejas e livrarias atenderem suficientemente a demanda. Hoje, 20% das nossas vendas acontecem em livrarias comuns e supermercados, além de catálogos e no sistema porta a porta”, informa Fleischner, que também é vice-presidente da Associação de Editores Cristãos (Asec).

Fleischner explica que, apesar do leque de opções de 50 títulos com que a editora trabalha – aí entram livros de auto-ajuda com receitas de sucesso, desde que guardem princípios evangélicos –, a Mundo Cristão procura se situar em uma linha editorial que não confunda a cabeça do leitor. “Não publicamos teologia da prosperidade, de um lado, nem teologia de cunho muito liberal, de outro”, afirma o gerente, marcando o terreno. A crise econômica que se avizinha, com potencial aumento do preço de insumos para a produção de livros, não chega a assustá-lo. Fleischner acredita que seja possível manter nas prateleiras o “preço mágico” de R$ 19,90 em várias publicações. E acha que uma boa saída é fomentar bibliotecas em escolas e igrejas.

“O segmento evangélico é um mercado novo e emergente. Vale a pena. Se houver crise, vem desemprego, e aí é até mais fácil achar vendedores porta a porta”, diz, por sua vez, André Peres, diretor executivo do Grupo Didática, especializado em livros escolares. A empresa criou, há dois anos, o selo Templus, dedicado a obras religiosas. Já são seis títulos, que incluem bíblias de estudos, além de atlas e dicionário bíblicos, comercializados em domicílio. “Temos um plano audacioso de, até 2011, colocar mais de 30 mil vendedores na rua”, anuncia. Em geral, os vendedores são evangélicos, e já sabem a quem oferecer os produtos. “São livros baratos e do gosto do público”, resume o diretor.

Olhar pastoral

Pastor da Igreja de Nova Vida na capital federal, Richard Werner comanda há dez anos a distribuidora MW, a maior do país, e circula incansavelmente em eventos evangélicos – vários patrocinados por ele mesmo. “Quanto mais o líder lê, mais cita o que está lendo em suas pregações, e mais a igreja lê”, ensina Richard. Se, como distribuidor, ele simplesmente atende à demanda dos leitores e aos pedidos das denominações, como editor demonstra um critério diferente, que guarda também um olhar pastoral. Ele comanda a Editora Palavra, e tem apostado em traduções de clássicos da fé cristã – como Vida de Oração, de Teresa de Ávila, e Mente em Chamas, de Blaise Pascal – e em reflexões mais aprofundadas. Entre elas, Ortodoxia Generosa, de Brian McLaren, que deu o que falar e em agosto levou o Prêmio Aretê, oferecido pela Asec, como Livro do Ano. “Muitos consideram o autor polêmico, mas sua obra é um convite ao diálogo entre os diferentes segmentos evangélicos; afinal, o que nos une é maior do que o que nos separa”, define Richard, feliz com a procura que os livros da Editora Palavra tiveram na última Expo Cristã. A feira de produtos evangélicos, pelo gigantismo – atraiu quase 150 mil pessoas na última edição, em setembro, e é a maior do gênero na América Latina –, já entrou no calendário oficial da cidade de São Paulo.

A MW fornece material das mais diversas editoras, e, para atender aos pedidos, não nega lugar em suas prateleiras a nenhuma linha teológica. A lista de mais vendidos da empresa em todo o Brasil confirma a parceria com as igrejas. E Então Virá o Fim: A Mensagem Final, de Magno Paganelli, livro premiado pela Asec em 1996 e publicado pela Bompastor, liderou as vendas no último ano, seguido pelo comentário de João Calvino I Coríntios, com 528 páginas, editado pela Parakletos. Em terceiro, mais uma obra sobre a mesma epístola paulina, desta vez com os comentários de Hernandes Dias Lopes, lançamento da editora Hagnos.

Também é fácil encontrar ali pilhas com best-sellers de pregadores eletrônicos americanos. Circulando pelos estoques da loja em Brasília, o casal Carlos Mesquita e Silvani Lopes fazem as compras do mês, levam muitas Bíblias e incluem na cesta títulos da pregadora americana Joyce Meyer e do escritor Philip Yancey. Tudo é revendido a preço de custo aos membros da Igreja Batista Família de Deus, em Planaltina (DF) – “uma igreja nova e pequena, que tem só uns 400 membros”, descreve Silvani. Além de colportora, ela é seminarista e vai às compras com a lista encomendada pelos membros da congregação, que pagam em até quatro parcelas e, segundo Silvani, estão ávidos pela leitura. “Já as bíblias são distribuídas aos novos convertidos”, afirma Carlos.

À porta da loja, Gilcélia Lopes, de 25 anos, a Ju, espera para fechar as novas compras. Para muitos fregueses, ela é mais do que uma simples vendedora. Ju dá dicas sobre as melhores obras. “Tem gente que só compra livro comigo, e que telefona para saber das novidades”, relata. “Eu tenho que ler os principais autores, para poder indicar ou não”. Crente batista, Ju demonstra preocupação com as escolhas dos clientes, ainda que não tenha preconceito contra outras denominações. “O vendedor cristão não precisa mentir. Ele fala a verdade e indica aquilo que é bom mesmo. A consciência fala mais alto”, frisa. Certa vez, vendo uma moça que se dizia nova convertida ao Evangelho fazer uma cesta de livros que incluía obras de Rebecca Brown e Mary K. Baxter, com relatos assustadores sobre batalha espiritual, Ju não teve dúvidas. Convenceu-a a trocar tudo aquilo por apenas um livro do pastor Ivênio dos Santos,Alma Nua. A compra saiu mais barata, mas ela afirma ter livrado a moça “de filmes de terror que não iriam edificar a sua vida”. Richard, dono do negócio, não se incomoda. “Ele sabe que no fim os clientes ficam gratos e voltam para comprar mais”, afirma Ju.

Base sólida

Consumidor voraz de livros teológicos, o mestre em sociologia Rômulo Corrêa, 41 anos, é um desses leitores que não tem mais onde guardar seus livros. Eles estão espalhados por todo seu apartamento e disputam espaço com as coisas da família. Mas, Rômulo não compra tudo que vê: foge dos títulos de auto-ajuda e jamais adquire obras das quais não tenha referência. Por meio de notas bibliográficas, segue a trilha de seus autores prediletos – os ligados à linha evangelical – e está sempre atento às novidades. “Muito da minha vida espiritual, devocional, está vinculado à leitura. Ao longo de todos esses anos, absorvi muito”, reconhece, advertindo que há muito livro “raso” no mercado, que oferece solução fácil e receita para tudo.

“Se eu pudesse, dava um pacote básico para cada novo convertido: obras de John Stott, Francis Schaeffer, C.S.Lewis e N.T.Wright. São livros fundamentais, base sólida para quem está começando a fé”, aconselha. Para o sociólogo, nem sempre as editoras zelam pela qualidade. “Há quem publique obras sem notas bibliográficas. Já vi até livros traduzidos mutilados, publicados no Brasil sem capítulos inteiros”. Rômulo, que também lê em inglês, lamenta a ausência de tradução para o português de muitos clássicos cristãos. “Até hoje não publicaram as obras completas de C.S.Lewis”, sublinha, confessando que tem lido pouca ficção.

Essa história, Gabriele Greggersen, autora de A Antropologia Filosófica de C.S.Lewis e O Senhor dos Anéis: Da imaginação à ética, conhece bem (veja abaixo entrevista completa). Estudiosa da obra do autor de As Crônicas de Nárnia, Gabriele, que é doutora em filosofia e pedagogia e também escreve contos, lembra que há 10 anos, no centenário do autor, bateu na porta de várias editoras com projetos voltados para aproveitar o momento e popularizar a leitura de um dos mais celebrados escritores evangélicos do mundo. “Quem lê C.S.Lewis no Brasil?”, chegou a ouvir como resposta. “O que atrai mais? Temas como liderança, casais, filhos, finanças… Mas a literatura de ficção educa a imaginação e ajuda a construir pontes e sentidos que a pessoa não compreendeu na Bíblia”, argumenta.

“No Brasil há muito sincretismo religioso, e por isso há preconceito entre os cristãos contra a literatura imaginativa”, continua a filósofa. “Tudo que não é exatamente bíblico, que é mitológico, qualquer figura fantástica, e já se liga o alerta vermelho, associando-se a algo místico, a ocultismo”, diz Gabriele. Ela não tem dúvida: um conto de fadas pode ser instrumento para disseminar verdades filosóficas e espirituais. “Quem lê a Bíblia e fica com a mente mais fechada, em vez de aberta, não está lendo direito. Jesus contava histórias”, conclui.

Alcançando quem não gosta de ler

Há bíblias para todos os gostos. Desde as populares, de R$ 7 – mais barato que muitos lanches de fast-food –, às edições de estudo ou luxuosas, que custam mais de R$ 150. Mas Erní Seibert, secretário de Comunicação da Sociedade Bíblica do Brasil, a SBB, resiste à idéia de ver o público leitor da Bíblia como um mercado consumidor. Seibert sublinha que a grande maioria das pessoas que têm um exemplar das Escrituras simplesmente o recebeu gratuitamente. Isso porque muitos crentes e igrejas têm costume de distribuir bíblias de presente. Além disso, há inúmeros grupos assistidos por programas sociais da SBB, que busca popularizar a Palavra de Deus, fornecendo-a gratuitamente, por exemplo, em presídios e hospitais.

Mas ainda há muita gente que vê as Escrituras com preconceito. “É o ‘não li e não gostei’”, observa Seibert, que também é pastor luterano. “As pessoas não têm noção da importância cultural da Bíblia, o primeiro livro a ser impresso na história”, argumenta. Para atingir esse público, a SBB monta exposições e conta com um museu em Barueri (SP), onde fica sua sede, e com um centro cultural no Rio de Janeiro. E como a Bíblia não é exatamente um livro fácil de ler, a editora se dedica também a publicar versões com a linguagem mais simples. A Nova Tradução na Linguagem de Hoje usa cerca de quatro mil palavras, metade dos vocábulos empregados na tradução de João Ferreira de Almeida. O que se perde em beleza poética, ganha-se em facilidade de compreensão. Para se ter uma idéia, em 2007 foram distribuídas 649 mil versões em linguagem moderna.

“O imaginário forma caráter e valores”

Filósofa e pedagoga, Gabriele Greggersen tem paixão por contos de fada. Estudiosa de autores como C.S.Lewis e J.R.Tolkien, que criaram verdadeiros universos paralelos e fantásticos, sem se perder da fé cristã, ela também escreve contos para o público infanto-juvenil. Seu sonho é o dia em que os cristãos brasileiros terão mais intimidade com o mundo da literatura e da imaginação.

A pesquisa Retratos da leitura no Brasil mostra que a Bíblia é pouco lida entre crianças e adolescentes. Falta material direcionado a eles?

GABRIELE GREGGERSEN – Eles estão lendo pouco. Associo isso ao quadro da educação escolar, com nível cada vez mais baixo, e à falta de preparo das igrejas no papel da educação. Em geral, as igrejas não fazem idéia de que têm um papel educacional. Há pouco material para as escolas dominicais, e a maioria é importada. As editoras poderiam se mobilizar para estimular o hábito e o gosto da leitura. Parece que contos literários não servem para nada – mas contar historias educa a criança.

Mergulhar no mundo imaginário de autores como C.S.Lewis e Tolkien ajudaria?

Esses autores perceberam o potencial do fantástico, do imaginário, para formação do caráter e dos valores. Eles não esconderam o fato de serem cristãos e conseguiram articular de forma harmônica sua literatura e sua fé. Para C.S.Lewis, a razão cuida da verdade; a imaginação, do sentido. Na escola, se um professor coloca uma fórmula abstrata na lousa, só dez por cento dos alunos compreendem. Mas, se contar uma história, se mexer com o imaginário, os alunos pegam. Jesus Cristo fazia isso. A obra de C.S.Lewis é respeitada. Há dez anos, em seu centenário, eventos na Inglaterra reuniram estudiosos para debater seus livros, e Jesus ficou no centro em tudo isso – porque, para Lewis, o caminho do imaginário era o único aberto para Deus. A via da igreja, do pastor e da pregação direta da fé não conseguiram evangelizá-lo. Mas o Tolkien conseguiu. Quem lê a Bíblia e fica com a mente mais fechada, em vez de aberta, não está lendo direito.

Mas não é simples unir imaginário e ortodoxia…

O ser é simbolico. “Tudo que sei de filosofia já estava lá no quarto de criança, nos contos de fada”, diz G.K.Chesterton em Ortodoxia. No Brasil e no mundo, os contos de fadas foram infantilizados, relegados à literatura infantil. Não são coisas de adulto. O racionalismo é um obstáculo grande, mesmo neste mundo pós-moderno. Ao contrário da literatura imaginativa, o realismo literal, da novela, é que tem efeito de alienação. A vida não é como a novela mostra. O pai cristão fica mais preocupado com o Harry Potter, mas no dia a dia das novelas da TV, vários valores distorcidos são passados o tempo todo. Interessante ver o percurso de C.S. Lewis. Seu imaginário só aflorou depois que ele se converteu a Cristo. Então, a coisa fluiu, e um conto gerou outro… Vejo Lewis como uma pessoa que foi liberta para fazer uma missão muito especial.

A senhora também escreve contos na linha do fantástico. Como é a vida de escritora no Brasil?

É muito difícil. Muitas vezes, o escritor acaba bancando a própria obra. E há muitos autores não cristãos de livros infanto-juvenis que são talentosíssimos, então a concorrência é grande. Não é fácil entrar nesse mercado, é difícil as editoras se interessarem. Escrevo por amor à arte. No Brasil, o escritor está sozinho. Nos Estados Unidos e na Europa, existem os agentes. Quem escreve geralmente não é bom vendedor.

E o que a inspira?

O artista cristão não tem outra fonte senão Deus. No caso do escritor, é a mesma coisa. Ele não precisa fazer proselitismo e citar a Bíblia toda hora. Mas deve aprender a usar seus dons para louvar a Deus e pode educar através da literatura. Esse é um projeto que o Senhor elaborou desde o início da Criação: somos um poema de Deus, como diz o texto bíblico no original hebraico, no trecho em que o homem é formado. O que faço de artístico só pode ser para a glória de Deus; é dele que colho a inspiração. A Bíblia, aliás, não é “concorrência desleal” para o escritor cristão. Pelo contrário, há troca, interação. São infinitos os espaços.

Um país que lê (ainda pouco)

De acordo com a pesquisa Retratos da leitura no Brasil 2008, a Bíblia continua sendo a campeã de preferência nas estantes do país. Dos mais de cinco mil entrevistados, 64% souberam dizer qual foi o último livro que leu ou está lendo:

• Bíblia Sagrada

• O Código Da Vinci

• O Segredo

• Harry Potter (série)

• Cinderela

• Chapeuzinho Vermelho

• Violetas na Janela

• Branca de Neve

• Os Três Porquinhos

• Sítio do Pica-Pau Amarelo (série)

Fonte: Cristianismo Hoje

Publicado em Cotidiano

Pastor metaleiro troca o Iron Maiden pela palavra de Cristo

Fanático pela banda até 2005, Marcos Motolo tem o corpo inteiro tatuado.
Convertido após uma ‘visão’, ele diz agora que é capaz de fazer milagres.

O autoproclamado fã número 1 do Iron Maiden mora em um sobrado humilde no bairro de Itaquera, zona leste de São Paulo. Fanático pelos metaleiros desde a década de 1980, Marcos Motolo, 36, diz ter feito 172 tatuagens da banda por todo o corpo e, como se o feito não bastasse para provar sua devoção, ainda registrou o filho de dez anos como Steve Harris em homenagem ao lendário baixista do grupo. Mas, da turnê recente do Maiden pelo país – que se encerra nesta terça com um show em Recife -, Motolo conta que não conseguiu ver nenhum show. Estava ocupado demais pregando a palavra de Cristo como pastor evangélico.

Personagem do documentário “Flight 666″, filme oficial da banda britânica de heavy metal que tem estreia nos cinemas prevista para o mês que vem, o pastor metaleiro não renega o seu passado. Em vez disso, tem usado sua história pessoal para “semear no deserto”, ou ainda, “levar a palavra de Deus às pessoas que não estão preocupadas com isso”.

Em um culto evangélico realizado há dez dias, em Suzano, município da Grande São Paulo, vestindo um terno preto que cobria algumas mas não todas as tatuagens, Motolo intercalava com desenvoltura versículos da Bíblia com a promoção de sua participação no documentário internacional. “Será a primeira vez que a palavra de Cristo vai chegar a países como a China ou a Rússia”, prometia entre “glórias” e “aleluias” aos fiéis, muitos dos quais provavelmente jamais haviam ouvido falar de Iron Maiden – muito menos da temática demoníaca de muitas das letras da banda.

Convertido há apenas quatro anos, Motolo não vê problemas na mistura do sagrado e do profano. “O interessante é você saber diferenciar cultura de religião. Se a pessoa é evangélica e toca numa banda de rock, ela não precisa parar de tocar. Mesmo que [a banda] fale de Satã. Aquilo é a profissão dela, lá ela é empregada”, defendeu o pastor e missionário – termo usado àqueles que não pregam apenas em uma única igreja – em entrevista ao G1 pouco antes do início da pregação.

“Se a pessoa souber curtir o heavy metal ou qualquer coisa, pode ser até funk ou futebol, sem se envolver em coisas que destruam sua saúde, é bom. Os caras do Iron Maiden, por exemplo, são inteligentes. Eles tocam heavy metal, mas quando o show acaba, eles vão tomar um Gatorade ou um suco. É por isso que estão vivos até hoje. Já o Nirvana fez dois anos de sucesso e o vocalista se matou. Por quê? Porque ele não soube diferenciar a vida particular dele da vida em cima do palco”, teoriza.

White metal

À primeira vista pode parecer estranho, mas a aproximação entre o rock pesado e os movimentos cristãos não é novidade. Não fosse pelas letras de louvor a Jesus, a banda australiana de white metal Mortification poderia ser facilmente confundida com o Sepultura. No Brasil, há bandas de rock evangélicas como a Oficina G3 e uma igreja dedicada especialmente a acolher tatuados, roqueiros e surfistas convertidos, a Bola de Neve Church. Até o performático Alice Cooper, um dos pioneiros em levar o horror aos palcos, investiu recentemente parte de seu dinheiro na construção de um centro cristão de reabilitação de jovens na cidade de Phoenix, no Arizona.

“A maldição só existe quando você acredita nela”, defende Motolo, que entre as marcas no corpo tem inscrições de 666 – “o número da Besta” -, diversas versões do monstro Eddie, o mascote do Iron Maiden, e algumas imagens de guerra e mutilação que fariam arrepiar os cabelos de fiéis mais ortodoxos. “Eu não acredito que nada que eu tenha venha me prejudicar de alguma forma. A Bíblia fala que nenhuma condenação existe quando a pessoa encontra Cristo. Por isso que você vê muito ex-matador, ex-traficante ou ex-roqueiro que vira pastor. Semana retrasada um grande líder dos Carecas do Subúrbio [tradicional gangue paulista de neonazistas] voltou para a igreja”, afirma.

fonte: G1

Via: Gospel Prime

Publicado em Cotidiano

Kaká diz que convidou Ronaldo para assistir cultos na Renascer

O meia-atacante Kaká, do Milan e da seleção brasileira, disse na quinta-feira, 26, que tem evangelizado o colega Ronaldo, o Fenômeno e que já o convidou para participar de um culto na Igreja Renascer em Cristo.
Em conversa na Granja Comary, onde o time de Dunga prepara-se para mais uma rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo, Kaká, que é evangélico militante, disse que convidou Ronaldo para participar de cultos na Igreja Renascer em Cristo, da qual é membro. “Chamei-o para ir a alguns cultos. Acredito que um dia ele irá”, disse o astro do Milan.

Após um longo período às voltas com contusões e problemas pessoais, o Fenômeno agora atravessa um bom momento. De volta aos campos, agora pelo Corinthians, o atacante tem marcado gols e feito boas atuações. Kaká disse acreditar que Ronaldo vá recuperar sua melhor forma.

Considerado um dos maiores jogadores do futebol brasileiro em todos os tempos, o Fenômeno, de 32 anos, tem no currículo dois títulos mundiais pela seleção (1994 e 2002), é o maior artilheiro da história da Copa do Mundo, com 15 gols, e foi escolhido três vezes como o melhor jogador do mundo pela Fifa.

Fonte: Cristianismo Hoje

Publicado em Cotidiano

"Eu leio a bíblia de maneira literária", diz Moacyr Scliar em entrevista

 

Em entrevista à TV Estadão, o escritor Moacyr Scliar falou de seu mais recente livro, Manual da Paixão Solitária, que trata sobre a influência da bíblia no cotidiano das pessoas. Scliar disse que a cultura bíblica é decisiva na formação do Ocidente e por explorar as paixões humanas toca as pessoas no seu cotidiano e por isso que até hoje é um best seller.


— É a captação daquilo que caracteriza o jeito de ser humano e que não muda substancialmente ao longo dos séculos ou dos milênios — declara. 

Durante a entrevista com Felipe Machado e Ubiratan Brasil, o escritor comenta sua relação com a bíblia: 

— Eu não leio a bíblia de maneira religiosa, eu leio a bíblia de maneira literária, pelo fascínio que ela exerce sobre os leitores e isso explica por que tantas vezes, ao longo do tempo, a bíblia foi o ponto de partida para escritores. 

Scliar falou de sua infância no Bom Fim e de como a experiência de ser filho de imigrantes e viver no Rio Grande do Sul influenciou sua literatura. Também comentou que sua atuação como médico o ajudou a penetrar na realidade brasileira. Porém ele diz que não não escreve de maneira realista, como um repórter: 

— A imaginação é uma coisa que deve pesar muito na literatura. 

Scliar também comenta como é a sua rotina como escritor para manter sua produção e sobre o prazer que tem com a atividade. Como leitor, o imortal da Academia Brasileira de Letras diz que sua leitura é diversificada e até um pouco “anárquica”, pois lê ficção, clássicos da literatura, história, poesia, política e conjuntura social, inclusive a bíblia: 

— A bíblia está sempre na minha mesa e eu consulto regularmente.

Fonte: NT Gospel

Publicado em Cotidiano

“Eu leio a bíblia de maneira literária”, diz Moacyr Scliar em entrevista

 

Em entrevista à TV Estadão, o escritor Moacyr Scliar falou de seu mais recente livro, Manual da Paixão Solitária, que trata sobre a influência da bíblia no cotidiano das pessoas. Scliar disse que a cultura bíblica é decisiva na formação do Ocidente e por explorar as paixões humanas toca as pessoas no seu cotidiano e por isso que até hoje é um best seller.


— É a captação daquilo que caracteriza o jeito de ser humano e que não muda substancialmente ao longo dos séculos ou dos milênios — declara. 

Durante a entrevista com Felipe Machado e Ubiratan Brasil, o escritor comenta sua relação com a bíblia: 

— Eu não leio a bíblia de maneira religiosa, eu leio a bíblia de maneira literária, pelo fascínio que ela exerce sobre os leitores e isso explica por que tantas vezes, ao longo do tempo, a bíblia foi o ponto de partida para escritores. 

Scliar falou de sua infância no Bom Fim e de como a experiência de ser filho de imigrantes e viver no Rio Grande do Sul influenciou sua literatura. Também comentou que sua atuação como médico o ajudou a penetrar na realidade brasileira. Porém ele diz que não não escreve de maneira realista, como um repórter: 

— A imaginação é uma coisa que deve pesar muito na literatura. 

Scliar também comenta como é a sua rotina como escritor para manter sua produção e sobre o prazer que tem com a atividade. Como leitor, o imortal da Academia Brasileira de Letras diz que sua leitura é diversificada e até um pouco “anárquica”, pois lê ficção, clássicos da literatura, história, poesia, política e conjuntura social, inclusive a bíblia: 

— A bíblia está sempre na minha mesa e eu consulto regularmente.

Fonte: NT Gospel

Publicado em Cotidiano

Casa de André Valadão é roubada em Belo Horizonte

Confira aqui as declarações de André Valadão ao divulgar em seu blog oficial o roubo de sua residência localizada em Belo Horizonte-MG.

Fui roubado! Mas não levaram minha paz…

Hoje [20/03]por volta das 9:30 cheguei no Rio de Janeiro, vim me encontrar com o Missionário RR Soares, gravar vários programas de TV, rádio e me preparar para o evento que irei ministrar amanhã em Campo Grande, RJ.

Foi quando por volta das 19 horas eu recebo uma ligação do meu cunhado Felippe dizendo que minha casa foi arrombada e que os ladrões levaram “tudo“, na hora minha primeira pergunta: E A CASSI, E O LORENZO!!!!?????

Graças a Deus ninguém estava em casa! Realmente os ladrões levaram “tudo”: televisão, rádios, telefone, relógios, roupas, computador, etc… MAS NAO LEVARAM NOSSA FE, NAO LEVARAM NOSSA ALEGRIA NO SENHOR, NAO LEVARAM NOSSA VONTADE DE LOUVAR MESMO NA DOR E NA APARENTE PERDA.

O mais importante da vida é a própria vida, o mais valioso bem que temos é a presença de Deus em nós, e isso ninguém pode roubar.

Confesso que te escrevo com lágrimas, só de pensar em como minha esposa entrou em casa com meu filho no colo e se deparou com este abuso, meu Deus, me revolto… Por favor orem por mim, pela Cassi e pelo meu filho Lorenzo, minha cunhada Thaisa também está conosco e também foi roubada.

Nossos corações, nossa fé está firmada no Senhor… e que Deus abençoe estes ladrões para que um dia recebam da salvação em Jesus.

Com tristeza,

AV.

Fonte: Amenidades da Cristandade

Publicado em Cotidiano

Após prisão Dado Dolabella toma calmantes e chora em culto evangélico

 

Na quarta-feira (18), exatamente às 21h05, o advogado de Dado Dolabella finalmente conseguiu receber o habeas corpus para a liberação de seu cliente. A chegada do documento, aliás, foi uma aventura. O oficial de justiça, responsável pelo documento, precisou sair do carro e seguir caminhando até a Polinter da Pavuna, na Baixada Fluminense. Tudo por causa de uma forte chuva que congestionou o trânsito carioca.

Ansioso por chegar em casa, onde é aguardado por sua mãe Pepita Rodrigues, o ator demorou a conseguir sair do estacionamento da Polinter, devido ao caos do trânsito no Rio de Janeiro.

Apesar de toda a confusão, Dado declarou a O Fuxico que está aliviado:

“Acredito na Justiça, sempre acreditei. Ela tarda, mas não falha. Estou aliviado!”, disse ele.

O habeas corpus que garantiu a liberdade de Dado Dolabella foi assinado esta tarde, pela Desembargadora Giselda Leitão, que revogou a prisão de Dado Dolabella, devido ao seguinte fato: Luana a requisitou recentemente, alegando que Dado não poderia estar no mesmo camarote que ela, durante o Carnaval, nem frequentar o Bailinho, uma badalada festa no Rio. Mas, segundo Giselda, nos autos consta que Dado só estava proibido de frequentar os arredores do Teatro do Leblon, onde a ex estava em cartaz com a peça Pássaro da Noite.

Dado foi preso na noite de terça-feira (17), quando estava em uma clínica, no Leblon, na zona sul do Rio, para tratar de um machucado no joelho.

Segundo o advogado do ator, Dado Dolabella precisou de calmantes para dormir, de tanta ansiedade. Depois, participou de um culto evangélico, ocasião em que ficou bastante emocionando, chegando a chorar.

Fonte: O Fuxico / Overbo

Publicado em Cotidiano

Mauricio de Sousa entrega ilustração ao Fenômeno no treino

O Desenhista, apesar de não ser corintiano, é um grande fã de Ronaldo.

O desenhista Mauricio de Sousa, conhecido pelos quadrinhos da “Turma da Mônica”, foi até o CT do Parque Ecológico nesta terça-feira para entregar ao atacante Ronaldo uma ilustração que fez do jogador. Apesar de não ser torcedor do Corinthians, ele disse que é um grande fã do Fenômeno e torceu muito por seu retorno. 

Mauricio de Sousa entregou o presente ao atacante, tirou fotos e pegou autógrafos ao lado de amigos e familiares. Antes, acompanhou os atletas fazendo embaixadinhas e tentando acertar a bola no travessão.

Fonte:  Globo Esporte