Publicado em Brasil, Política

Assembleia de Deus mobiliza 40 mil pastores na coleta de assinaturas para fundar seu partido

Partido-republicano-cristao-e1424266016110O plano da Assembleia de Deus de criar um partido político que reúna todos os fiéis que atuam nos poderes Legislativo e Executivo está sendo posto em prática com a ajuda de um exército de pastores e obreiros.

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) mobilizou, através dos ministérios filiados, um contingente de mais de 40 mil pastores, recolhendo assinaturas de fiéis em aproximadamente 100 mil locais de culto em todo o país.

A CGADB assumiu o projeto de criação do Partido Republicano Cristão (PRC) como forma de dar legitimidade à sigla, congregando as diversas correntes políticas da denominação, e pôs o plano em prática a partir da última eleição. A eventual legenda já conta com um site, onde apresenta suas aspirações.

“Existe um pensamento em nos concentrarmos em um único partido, para que a nossa ação seja mais direcionada e eficaz. Como a lei eleitoral cria restrições para a migração de partido, as assinaturas para se criar uma nova sigla estão sendo providenciadas”, disse o pastor Lélis Marinho, responsável pela coleta de assinaturas, de acordo com informações do jornal Valor Econômico.

Dentre os pastores assembleianos com mandatos parlamentares a nível federal estão Marco Feliciano (PSC-SP), Eurico da Silva (PSB-PE), Silas Câmara (PSD-AM), Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ), Paulo Freire (PR-SP) – filho do presidente da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa -, entre outros.

Com 18 milhões de fiéis, os diferentes ministérios da Assembleia de Deus formariam uma força política significativa se o projeto do PRC for levado adiante.

A denominação vem avançando em um projeto de solidificação entre os evangélicos, e tem posto em prática ações de exploração do potencial econômico que esses fiéis representam.

No começo deste ano, foi anunciado o lançamento da primeira operadora de celular do país ligada à Assembleia de Deus. A Alô Serviços vai operar na rede da Vivo e oferecer planos de telefonia aos membros da igreja.

Fonte: Gospel +

Anúncios
Publicado em Brasil, Cinema, Cotidiano, Filmes, Literatura

Fiéis da Assembleia de Deus protestam contra “50 Tons de Cinza”: “Esse filme vai destruir muitos jovens”

evangelicos-protestam-contra-50-tons-de-cinzaDefinitivamente os evangélicos não permitiram que o filme “50 Tons de Cinza” passasse em branco e alimentaram a polêmica em torno do longa-metragem baseado no best-seller homônimo.

Na última segunda-feira, 16 de fevereiro, aproximadamente 200 fiéis da Assembleia de Deus protestaram contra o filme em Erechim (RS). A ideia dos organizadores era se manifestar contra o sadomasoquismo presente na história erótica da franquia.

“Eu não acho que é saudável como o filme apresenta uma mulher depois da relação, jogada no chão sangrando de machucada. Fica aqui então nossa crítica através da nossa visão de sexualidade. Acho que esse filme vai destruir muitos jovens”, disse o pastor Geraldino Junior, um dos responsáveis pelo protesto.

A ideia de marchar em protesto contra o filme surgiu durante um congresso de jovens realizado nos dias anteriores. Durante o evento, o tema discutido foi “sexualidade saudável, pureza e romance”, segundo informações do G1.

Motivados pelas ideias trocadas durante o evento, os jovens evangélicos se propuseram a confeccionar cartazes e caminhar pelas ruas da cidade gaúcha anunciando Jesus e criticando o filme soft-porn.

Polêmicas e piada

Os livros que deram origem ao filme venderam mais de 100 milhões de cópias ao redor do mundo. Há expectativa de que “50 Tons de Cinza” se torne o filme de maior bilheteria da história, muito por conta da repercussão que está causando.

No Brasil, a maior polêmica envolvendo as críticas de um líder religioso envolveu o bispo Edir Macedo, que publicou em seu blog um artigo que classifica o filme como uma “perversão demoníaca.

O humorista e apresentador Rafinha Bastos aproveitou o episódio para fazer piada com o caso: “O bispo Edir Macedo falou que ’50 Tons de Cinza’ é um filme do demo. Ele pode até estar certo, mas se você quer ver o capeta, não precisa ir até o cinema… é só ligar a TV”, escreveu em sua página no Facebook, fazendo referência à já conhecida tradição da Igreja Universal do Reino de Deus em mostrar exorcismos em seus programas.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Pesquisa

Assembleia de Deus terá operadora de celular

celular-assembleianoA empresa vai vender chips da Vivo e poderá oferecer planos e serviços exclusivos para ganhar dinheiro dos assembleianos.

A Alô Serviços de Telefonia Móvel, empresa ligada à Igreja Assembleia de Deus, recebeu a autorização da Anatel para atuar como credenciada de celular da rede da Vivo.

A decisão foi anunciada na sexta-feira passada (30) no Diário Oficial da União autorizando o início dos trabalhos. A empresa tem licença de MVNO (sigla em inglês para Mobile Virtual Network Operator) revendendo chips da Vivo e agora poderá oferecer aos clientes serviços e tarifas próprias, sendo a primeira licença do tipo a ser concedida.

Segundo o jornal Valor Econômico, a nova MVNO pretende atrair 1,2 milhão de clientes no primeiro ano de operação vendendo chips entre R$ 8 e R$10. Mas o público alvo da empresa são os 18 milhões de assembleianos espalhados pelo país. Não se sabe ainda a qual ministério assembleiano a empresa está vinculada.

Quem formulou a estratégia de operação da Alô Serviços foi Ricardo Knoepfelmacher, ex-presidente da Brasil Telecom, em conjunto com Raul Aguirre, consultor com muitos anos de experiência em telecomunicações. Juntos conseguiram aprovação da Assembleia de Deus e transformaram a empresa em Alô AD, dando à igreja uma parte do resultado do negócio.

Entre os serviços oferecidos pela Alô AD estão: canal com pastor de sua região, Salmo do Dia através do telefone, consultar agenda da igreja local, encontrar o templo mais próximo, e ainda alguns jogos temáticos e uma central de atendimento formada por pessoas da comunidade.

O Brasil conta com quatro empresas de MVNO operando. Além da Alô AD, temos a Porto Seguro e Datora Telecom – esta última incorporada pela Vodafone do Brasil – e a Terapar. As primeiras atuam na rede da TIM e da Vivo, e a última atua na rede da CTBC.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Política

Aécio diz a líderes evangélicos que tem “compromisso com a moralidade” e combaterá a corrupção

Tucano garante assumir segundo lugar isolado nas pesquisas de opinião em 20 dias (Foto: Dida Sampaio/AE)
Tucano garante assumir segundo lugar isolado nas pesquisas de opinião em 20 dias (Foto: Dida Sampaio/AE)

O candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves, participou de um encontro com lideranças evangélicas em São Paulo e afirmou que, caso seja eleito, seu governo será baseado no combate à corrupção.

Acompanhado do governador reeleito do estado, Geraldo Alckmin (PSDB) e do senador eleito José Serra (PSDB), Aécio se comprometeu com a criação de parcerias com as igrejas evangélicas em projetos sociais.

O evento contou com a presença de aproximadamente 300 representantes das igrejas Renascer em Cristo, Universal do Reino de Deus, Ministério Internacional da Restauração e Assembleia de Deus.

A cerimônia foi conduzida pelo pastor Everaldo Pereira (PSC), quarto colocado no primeiro turno das eleições presidenciais e apoiador declarado da campanha do tucano contra a reeleição de Dilma Rousseff (PT).

Aécio Neves afirmou que tem “compromisso com a moralidade” e que seu objetivo é “governar para todos”, priorizando a educação.

Entre os presentes estava o pastor Marco Feliciano (PSC), líder da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento e deputado federal reeleito com quase 400 mil votos. Representantes da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) também compareceram ao encontro com o presidenciável.

À Folha de S. Paulo, o pastor Everaldo Pereira afirmou que Aécio Neves “foi bem recebido” pelos líderes evangélicos que estiveram presentes no evento e “participou das orações” realizadas durante o encontro.

Pesquisas

Os institutos de pesquisa Ibope e Datafolha divulgaram novos levantamentos da intenção de voto dos eleitores neste segundo turno, e Aécio Neves permanece numericamente à frente de Dilma Rousseff, mas o cenário caracteriza empate técnico devido à margem de erro. Os índices das pesquisas destes dois institutos diferem significativamente dos cenários mostrados pelo Instituto Sensus e o Paraná Pesquisas.

Segundo o Ibope, Aécio teria 45% das intenções de voto, contra 43% de Dilma. Votos brancos e nulos somam 7%, e os indecisos, 5%. Se levado em conta apenas as intenções de votos válidos, Aécio teria 51%, contra 49% da candidata à reeleição.

O Datafolha mostrou um cenário semelhante ao do Ibope, com diferença que os votos brancos e nulos neste levantamento somam 6%, e os indecisos os mesmos 6%. Considerando apenas os votos válidos, os candidatos repetiram o desempenho apresentado pelo Ibope: Aécio 51%, contra 49% de Dilma.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Apoiando Aécio, Silas Malafaia diz que não influencia voto dos fiéis: “Não tenho essa autoridade”

pastor-silas-malafaia-teste-para-presidenteO apoio do pastor Silas Malafaia ao candidato tucano Aécio Neves na disputa com a presidente Dilma Rousseff (PT) começou a ser destacado pela mídia.

Após publicar um vídeo com “cinco motivos para não votar em Dilma”, Malafaia afirmou que, agora que o pastor Everaldo Pereira (PSC) está fora da disputa, ele é “Aécio desde criancinha”.

O pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) justifica essa postura em nome da “alternância de poder”, ressaltando que seu voto não será apenas por discordar de Dilma Rousseff, mas também porque o PSDB foi o partido que iniciou a “estabilidade [econômica] para esse país”.

“Eu não preciso declarar meu voto. Sou um cidadão, não é porque sou pastor que deixei de ser um cidadão. Eu desconfio que não tenho essa autoridade para influenciar o voto evangélico, mas tenho o feeling de que o voto evangélico será despejado no Aécio”, comentou o pastor em uma entrevista ao jornal O Globo.

No mesmo contexto, Malafaia afirmou que embora não se sinta tão influente entre os evangélicos, se valeu dos meios que tem para alertar os que quiserem ouvi-lo sobre os pontos que considera essenciais para o futuro da sociedade brasileira.

“Sou Aécio desde criancinha. Gravei um vídeo com cinco motivos para não votar na Dilma. Motivo um: a alternância de poder, importante para o estado democrático. O Lula meteu o pau nos programas sociais do Fernando Henrique Cardoso. Eles [PT] não conhecem uma coisa: quem deu estabilidade econômica para esse país foi o PSDB”, argumentou o líder assembleiano.

Além de Silas Malafaia, o pastor Everaldo Pereira também declarou apoio ao senador mineiro, assim como o pastor Marco Feliciano, todos eles integrantes de ramificações da Assembleia de Deus.

A denominação pentecostal, como sempre, está dividida no apoio aos candidatos à presidência. O bispo Manoel Ferreira declarou seu apoio a Dilma Rousseff, ainda no primeiro turno, tecendo críticas à missionária Marina Silva (PSB), que também é da denominação.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Música

Funkeira Rafaela Felizardo afirma ser evangélica e frequentadora da Assembleia de Deus

rafaela-felizardo-e1412776254397A funkeira Rafaela Felizardo, ex-dançarina do grupo de Valesca Popozuda, concedeu entrevista afirmando ser evangélica e frequentadora da Assembleia de Deus em São João de Meriti, apesar das letras explícitas sobre sexo que canta nos bailes.

A vocalista do grupo Rafaela e as Malvadas admite que as roupas que usa no palco abusam da sensualidade, mas diz que para ir ao culto, muda o figurino: “Vou com roupas mais comportadas, claro. Mas todos sabem que sou do funk e me recebem muito bem”, diz a cantora, referindo-se aos fiéis da denominação.

Rafaela vive com o pai, Paulo César, e durante a adolescência, ajudou na criação do irmão mais novo, Daniel. “Sinto que minha missão foi cumprida”, conta a funkeira, que fez as vezes de irmã e mãe, depois da morte por acidente vascular cerebral (AVC) da verdadeira mãe de Daniel.

“Ganhei uma responsabilidade imediata e tive que aprender tudo rápido. Criei o meu irmão e tive que cuidar do meu pai, que sempre foi uma criança grande”, contou ao jornal Extra.

Com a ascensão nos bailes funk, Rafaela conseguiu trabalho como modelo e agora estrela a campanha de uma marca de roupas no Rio de Janeiro, substituindo a dançarina Gracyanne Barbosa, esposa do cantor Belo.

Agora, Rafaela pretende construir uma família para ela, e pretende ser mãe. “Tenho muita vontade de ser mãe, mas estou construindo o meu nome e ainda preciso trabalhar muito antes de ter um filho”.

No relacionamento anterior, a funkeira viveu por cinco anos com um rapaz evangélico, e a união chegou ao fim porque ele gostaria que ela abandonasse a carreira no funk. “Eu sempre fui independente e não gostaria de viver em função dele. O tempo dele com Deus foi diferente do meu”, disse a artista.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Manoel Ferreira questiona conversão de Marina e diz que Dilma é a melhor escolha

manoel-ferreira-e-dilma-rousseff-320x200Bispo esquece das promessas quebradas pela candidata-presidente e as diversas declarações cristãs de Marina Silva.

Embora seja missionária da Assembleia de Deus, Marina Silva (PSB) não conta com o apoio de todos os segmentos dessa denominação. Diferentes líderes evangélicos já declararam seu voto em Marina, ainda que alguns só o farão no segundo turno.

Ao mesmo tempo, Dilma Rousseff angariou poucos aliados de peso entre os evangélicos. Com exceção de Edir Macedo, que tem no PRB seu braço político e faz parte da base de governo desde os tempos de Lula, apesar de não ter manifesto apoio à reeleição de Dilma este ano. Surgiu ainda um movimento espontâneo de apoio de evangélicos na internet, mas cujos resultados beiram o cômico.

Agora, o bispo Manoel Ferreira, da Assembleia de Deus Ministério Madureira, entrou de vez na campanha de Dilma. O canal oficial da presidente publicou um vídeo de dois minutos com uma fala contundente do bispo. O presidente vitalício da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil inicia questionando se Marina realmente é evangélica, dizendo nunca tê-la visto declarar isso publicamente.

Em seguida, usa de ironia ao dizer “E se é, o programa dela contraria tremendamente”. Afirmou que Marina não foi uma boa ministra, mas que, mesmo assim, poderia escolhê-la para pastorear uma das igrejas da convenção que dirige. Uma declaração que lança dúvidas sobre os critérios para a escolha dos líderes dentro de sua denominação.

Para Ferreira, “as obras [de Dilma] falam mais que as palavras”. Em um rompante de lealdade, comparou a sucessão de obras inacabadas do governo (prometidas pelos PACs elaborados por Dilma) à criação do mundo relatada em Gênesis. Dizendo-se satisfeito com o governo atual, Ferreira posiciona-se claramente a favor da continuidade do PT no poder.

Ignora assim, todas as críticas que Dilma recebeu por ter traído as promessas feitas aos evangélicos durante a campanha de 2010. Na ocasião, ela afirmou que caso fosse eleita não iria abordar temas polêmicos como o casamento gay, a legalização do aborto, ou qualquer tipo de restrição à liberdade de culto.

Também destoa do coordenador político da CGADB, Lélis Marinho, que escreveu recentemente sobre eleições no jornal “Mensageiro da Paz”. O artigo tinha como objetivo orientar o voto dos fiéis e combater a reeleição da presidente Dilma Rousseff mostrando as “terríveis propostas” do PT que vão contra a crença dos evangélicos.

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Culto na Assembleia de Deus do Brás vira comício e tem até “pesquisa eleitoral”

samuel

portal Terra denunciou que no último domingo, antes do culto na Assembleia de Deus do Brás – Ministério Madureira (ADBrás), em São Paulo, membros da igreja faziam abertamente campanha.

Dentro do templo, uma funcionária apresentava um formulário e realizava uma espécie de “pesquisa eleitoral”, com a justificativa de “saber como está o desempenho do pastor aqui da casa”. No caso, o candidato é o pastor Cezar Freire (Cezinha), que está concorrendo a deputado estadual pelo DEM.

As cerca de 5 mil pessoas que foram ao culto receberam uma espécie de cartão-postal assinado pelo pastor Samuel Ferreira, presidente da ADBrás, e sua esposa, pastora Keila Ferreira. A mensagem era clara: “O Cezar hoje é projeto de Deus e de nossa comunidade e precisamos dele na Assembleia Legislativa de São Paulo”. Trazia ainda o nome e o número do candidato. O material pedia ainda votos para o deputado federal Jorge Tadeu (DEM), que deseja a reeleição.

“Apresento-lhe também nosso irmão Jorge Tadeu, para deputado federal. Com ele em Brasília teremos a certeza da defesa e luta pelos nossos ideais”. A mensagem enfatizava: “Peço a você que nos ajude agora com seu voto e sua influência junto aos seus familiares, amigos e conhecidos para conseguirmos mais votos”.

Segundo o portal Terra, a pesquisa informal de intenção de voto não teria problema do ponto de vista legal. Mas a prática de distribuição de material dentro do templo configura crime eleitoral, pois a legislação proíbe “propaganda de qualquer natureza” em locais “de uso comum” (por exemplo: estádios de futebol, bares, restaurantes, cinemas e igrejas).  A multa prevista é entre R$ 2 mil e R$ 8 mil.

“O pastor não pode colocar a igreja a serviço da campanha eleitoral de ninguém. Quem está sujeito à multa, neste caso, é o pastor. Se ficar comprovado que os candidatos tinham conhecimento, todos devem pagar”, afirmou o advogado Arthur Rollo à reportagem.

Contudo, durante o culto o pastor Samuel Ferreira apresentou aos fiéis “um cara muito simpático, de uma família tradicional, filho de um desembargador do Tribunal de Justiça, que ajuda a igreja em momentos de dificuldade”. Apresentou então Guilherme Sartori e pede que os presentes agradeçam a Deus e orem pela família, além de gritarem em uníssono: “Guilherme Sartori”.

Contudo, não revelaram abertamente que Guilherme Sartori é candidato a deputado federal pelo PTB. Em dado momento, Guilherme recebe o microfone e afirma estar à disposição da igreja e dos fiéis.

Procurado pelo Terra, defende-se: “Ele (pastor) é meu amigo, fui apresentado como amigo. Sou uma pessoa boa, que quer ajudar as pessoas, ajudar o País. Não tem constrangimento nenhum… Não pedi voto, não fiz panfletagem. Isso é antiético, não se pode fazer isso (na igreja). Como eu sou jovem, tenho que ir (ao culto) para fazer o meu nome ser conhecido. A gente é muito ético. Fica difícil concorrer com esses candidatos que têm muito dinheiro”, justifica.

Arthur Rollo explica que essa prática “não é vedada, mas antiética”.  “É claro que fazem isso com o objetivo de conseguir votos. Então não configura ilícito do ponto de vista eleitoral, mas, do ponto de vista ético, é absolutamente condenável. E do ponto de vista religioso também”.

Segundo o Terra, a Assembleia de Deus e pastor Cezinha foram procurados mas não se manifestaram. A assessoria de Jorge Tadeu informa que o deputado “desconhece qualquer prática de propaganda eleitoral irregular em sua campanha”, e que “tomará as providências cabíveis” caso encontre irregularidades.

Assista:

Fonte: Gospel Prime

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Convenção das Assembleias de Deus organiza coleta de assinaturas para criar partido político próprio

cgadbCiente do potencial de seu capital político, a Assembleia de Deus está articulando a criação de um partido próprio para abrigar os líderes evangélicos que já tenham carreira política e os que aspirem mandatos eletivos.

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) é quem está à frente do projeto, a fim de dar legitimidade e união às diversas correntes políticas que existem nos variados ministérios assembleianos.

O processo de coleta de assinaturas já foi iniciado, e o responsável por conduzir o projeto é o pastor Lélis Marinho, coordenador do Conselho Político da CGADB.

“Existe um pensamento em nos concentrarmos em um único partido, para que a nossa ação seja mais direcionada e eficaz. Como a lei eleitoral cria restrições para a migração de partido, as assinaturas para se criar uma nova sigla estão sendo providenciadas”, disse Marinho, de acordo com informações do jornal Valor Econômico.

O pastor destacou ainda que apesar de Marina Silva (PSB) ser uma missionária assembleiana, ela não acatou prontamente as demandas apresentadas pela CGADB, dando mostras de que valorizará o cumprimento de propostas contidas em seu programa de governo.

 “Vejo a ascensão de Marina como um avanço. É uma possibilidade de diálogo com o governo dentro de outro ponto de vista, mas com ela ainda estamos estabelecendo um diálogo. É curioso, mas temos que buscar interlocução com uma de nossas seguidoras. Ela não assumiu compromissos”, pontuou Marinho, antes de ponderar que muito provavelmente a candidata terá o voto dos fiéis da denominação: “A tendência do voto assembleano ir para ela é completamente natural. Somos a favor do Estado laico, mas um governante precisa ser alguém que tema a Deus. A falta de crença faz toda a diferença”, concluiu o pastor.

Em todo o Brasil, a Assembleia de Deus congrega diversos pastores que tentam a carreira política e muitos acabam eleitos, como é o caso do pastores Marco Feliciano (PSC-SP) e Eurico (PSB-PE), que são os sacerdotes pentecostais eleitos deputados federais que tivera maior repercussão na mídia no último ano.

Fonte: Gospel +

 

Publicado em Brasil, Política

Pastor conselheiro de Marina Silva destaca que candidata acredita que o “casamento é entre homem e mulher”

Marina-SilvaO pastor Luiz Gonzaga de Lima, de 57 anos, amigo pessoal de Marina Silva (PSB) e apontado como um dos conselheiros espirituais que a ex-senadora mantém próximos, afirmou que a candidata é “inflexível, mas coerente” em suas convicções.

Procurado pelo jornal O Estado de S. Paulo para comentar as posturas de Marina Silva durante a campanha, o pastor afirmou que a errata divulgada pela coligação Unidos pelo Brasil sobre as propostas feitas para as reivindicações do movimento LGBT mostra o compromisso da ex-senadora com suas convicções.

“[Marina defender o casamento gay seria] totalmente, completamente [contra seus princípios. Ela tem como fundamento que casamento é entre um homem e uma mulher. Isso é bíblico e constitucional. Marina leva isso ao pé da letra”, disse o pastor Lima.

Em caso de vitória de Marina na disputa presidencial, Lima diz que ainda não tem certeza se irá à posse, mas acha “bem capaz” que ela a visite ou telefone na véspera. Líder de uma Assembleia de Deus em Rio Branco (AC), o pastor frisa que conhece a candidata desde os tempos em que ela era uma jovem e militava ao lado de Chico Mendes, nos anos 1970.

Nas vezes que Marina vai à cidade, ela e o pastor trocam ideias e comungam: “Conversamos, oramos, às vezes ela participa do culto, prega aqui e se sente daqui”, resumiu.

Em 2010, o pastor a aconselhou a ir em frente na disputa, a fim de tornar-se conhecida nacionalmente, e ressaltou a ela que a um ano do centenário das Assembleias de Deus no Brasil, seria importante ter uma fiel da denominação no páreo. Como resposta, ouviu de Marina um agradecimento efusivo: “Pastor, estou muito aliviada e indo em paz”, disse a então candidata pelo PV.

Após o acidente aéreo que vitimou Eduardo Campos, Marina procurou Lima e pediu “cobertura espiritual” para estar preparada para os embates que viriam pela frente. “Ela não é uma onda. Construiu um alicerce sólido de 20 milhões de votos em 2010, agora multiplicado”, finalizou o pastor.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Marina Silva costuma recorrer a Bíblia para tomar decisões

Foto: Tereza Hezim
Foto: Tereza Hezim

Em momentos difíceis, a presidenciável Marina Silva (PSB) costuma recorrer em seu processo decisório à orientação de uma companheira que esteve ao seu lado em boa parte de seus 56 anos de vida, a Bíblia.

Católica que quase se tornou freira na adolescência, ela converteu-se à fé evangélica no fim da década de 1990. Adotou o pentecostalismo, corrente que professa a intervenção direta do Espírito Santo na vida das pessoas, após receber de médicos “a terceira sentença de morte” devido a problemas de saúde.

Curada, segundo diz, graças a uma mensagem divina, Marina Silva é, desde 2004, missionária da Assembleia de Deus do Plano Piloto (Novo Dia), na capital federal. Antes, pertenceu à Assembleia Bíblica da Graça, de Brasília.

Em pelo menos dois momentos serviu-se da chamada “roleta bíblica” para tomar decisões. Trata-se de uma escolha aleatória de versículos das escrituras para obter orientação espiritual.

Uma delas, conforme um auxiliar próximo, foi na madrugada de 4 de outubro de 2013, horas antes de surpreender o mundo político com o anúncio da adesão ao projeto presidencial de Eduardo Campos (PSB).

O então governador de Pernambuco, morto em um acidente aéreo no último dia 13, também relatou à Folha, na ocasião, que a união decorrera de uma inspiração bíblica.

A outra experiência é descrita em sua biografia autorizada, “Marina, a Vida por uma Causa”, de Marília de Camargo César (Editora Mundo Cristão, 2010).

Antes de concordar com o livro, Marina precisou “ouvir a opinião de outra pessoa”. “Levantou-se do sofá e foi buscar uma Bíblia”, descreveu a autora. O aval para o projeto veio após “um recado pessoal de Deus”, expresso no salmo obtido na abertura aleatória.

“Ela, para tomar uma decisão, santo Deus, demora, porque, além de consultar a terra, ela tem que consultar o céu. Tem de ouvir todo mundo, aí amadurece”, afirma a pastora Valnice Milhomens, da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, amiga de oração há mais de uma década. “Ela nunca [misturou fé e política], não faz parte da bancada evangélica.”

Apesar da forte religiosidade, Marina sofre resistência de setores da igreja por não se posicionar firmemente em questões como aborto e casamento gay. Entretanto, desidratou sua proposta para a comunidade LGBT em meio a críticas do pastor Silas Malafaia na internet no sábado (30).

Nos tempos de ministra do Meio Ambiente (2003-2008), além de frequentar cultos junto a servidores nas dependências do ministério, costumava levar pastores para orar pelo então presidente Lula. Sobre o acidente de Eduardo Campos, atribuiu à “providência divina” o fato de não ter embarcado no avião.

REVELAÇÃO

A relação de Marina com a religião começou no catolicismo, pelas mãos da avó paterna, quando vivia no paupérrimo seringal Bagaço (AC), a 70 km de Rio Branco.

Vítima seguidas vezes de malária, hepatite, leishmaniose e contaminação por metais pesados (como mercúrio) que a levam até hoje a ter uma dieta bastante restrita, a presidenciável diz ter tido a epifania que a levaria a se tornar evangélica após mais um problema de saúde, em 1997.

Foi seu médico quem a colocou em contato telefônico com um jovem pastor da Assembleia de Deus, André Salles. “Achava que aquilo era uma coisa fora do prumo para um médico”, relatou Marina em um vídeo de pregação disponível na internet. “Aí o pastor André falou para mim: Olha, eu tenho o dom de revelação do Espírito Santo’.”

O pastor André Salles hoje está em uma igreja de São Paulo, a Plenitude do Trono de Deus, que tem como um de seus principais pregadores convidados o deputado Marco Feliciano (PSC-SP), protagonista de polêmicas com ativistas LGBT na Comissão de Direitos Humanos.

Marina então se converteu à Assembleia de Deus e, dois anos depois, ainda doente, disse ter tido uma revelação divina na fila da unção para os enfermos da igreja. Veio à sua mente as letras “DMSA”. Lembrou-se mais tarde se tratar de um remédio dos EUA que se recusara a tomar anos antes. Ela tomou a droga, e o mercúrio em seu corpo foi reduzido.

O atual pastor presidente da igreja de Marina, Hadman Daniel, afirma que a ex-senadora não precisa de guia espiritual. “Ela tem o relacionamento dela com Deus, ela conhece Deus.” Segundo ele, Marina recorre à igreja em momentos difíceis, como quando aceitou ser vice de Campos e quando um incêndio se abateu sobre a região Norte ainda na gestão dela no ministério. “Nós oramos. Choveu no mesmo dia, em um tempo que não era de chuva”, conta Daniel.

Fonte: Folha de São Paulo

Publicado em Brasil, Política

Marina Silva evangélica: conheça as posturas da candidata e as opiniões sobre ela das pessoas à sua volta

marina-silva1Marina Silva tem sido criticada por setores da sociedade que simpatizam com as exigências da militância homossexual e que entendem que as mudanças que a presidenciável exibiu em seu programa de governo são resultado de sua fé evangélica.

Porém, a própria candidata fala abertamente sobre sua fé e explica que não se aproveita de sua condição de missionária da Assembleia de Deus do Plano Piloto, em Brasília, para alavancar sua carreira política.

“Não faço de palanques púlpitos, nem de púlpitos, palanques. Minhas decisões políticas são elaboradas, discutidas e implementadas nos espaços da institucionalidade da política […] Nunca instrumentalizei minha crença religiosa para um fim político”, disse à Folha de S. Paulo.

No entanto, Marina reforça que sua fé em Deus norteia seus passos: “A vida é uma oração, um processo constante e intenso de relacionamento com Deus”, disse a candidata do PSB, que frisou ainda que não há nenhuma doutrinação cristã que ponha em xeque a cidadania de quem professa a Jesus como Salvador: “Para os cristãos de qualquer corrente teológica, a Bíblia é a base de sua fé. O exercício da fé é um direito de ordem pessoal, assegurado pela Constituição do Brasil. Apenas aqueles que se pautam pela intolerância religiosa encaram esse direito como elemento que conspira contra o Estado laico e o Estado de Direito”.

Assim como outros presidentes que ocuparam o cargo no Planalto, Marina diz que se eleita, continua sendo mais uma das cidadãs brasileiras protegida pelo direito constitucional de fé e crença: “O presidente tem direito de vivenciar espaços de sua vida num ambiente restrito à sua pessoalidade sem a obrigatoriedade de compartilhar essa experiência com a chamada opinião pública”, pontuou.

A parceria com Eduardo Campos

A decisão tomada por Marina Silva de integrar a chapa que Eduardo Campos liderada no PSB foi tomada após muita oração, dizem seus assessores.

Na madrugada do dia 04 de outubro de 2013, quando precisava decidir a qual partido se filiaria para poder concorrer nas eleições deste ano Marina recorreu à Bíblia, pedindo para que Deus falasse com ela através de um versículo e assim, a ajudasse a tomar a decisão correta.

“Ela, para tomar uma decisão, santo Deus, demora, porque, além de consultar a terra, ela tem que consultar o céu. Tem de ouvir todo mundo, aí amadurece [a ideia] Ela nunca [misturou fé e política], não faz parte da bancada evangélica”, afirmou a pastora Valnice Milhomens, da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, amiga de oração há mais de uma década de Marina Silva.

O próprio Eduardo Campos já havia confirmado numa entrevista à Folha que Marina havia dito a ele que a escolha de filiar-se ao PSB e juntar-se como vice na sua candidatura tinha sido inspirada na Bíblia Sagrada.

A conversão

Marina foi criada no catolicismo e em 1997, estava doente e consultou um médico que, durante a conversa, a colocou numa ligação com o pastor André Salles, à época da Assembleia de Deus.

“Achava que aquilo era uma coisa fora do prumo para um médico. Aí o pastor André falou para mim: ‘Olha, eu tenho o dom de revelação do Espírito Santo’”, afirmou Marina Silva. A declaração pode ser vista num vídeo em que a candidata fala de sua conversão.

Desde então, Marina que quase se tornou freira, é convertida ao cristianismo evangélico, e nas oportunidades que tem para falar de sua fé, explica de forma incisiva que suas ideias sobre política não são pautadas pelos interesses políticos de líderes religiosos.

Fanatismo?

O reverendo Caio Fábio possui um longo relacionamento de amizade com Marina e numa entrevista à Folha afirmou que a presidenciável não possui “nenhum resquício de fanatismo” religioso.

“Seus dogmas são pessoais. A fala dela é a do bom senso”, descreveu Caio Fábio. “É uma coisa idiota alguém pensar que o Brasil pode se tornar um Irã, um califado evangélico, um país evangélico taleban. Isso é idiotice, loucura e insanidade”, acrescentou o líder do movimento Caminho da Graça.

As críticas feitas a Marina Silva por líderes evangélicos por conta de suas posturas políticas são na verdade, queixas de quem gostaria de ver alguém com tanto capital eleitoral hasteando as bandeiras da bancada evangélica, diz Caio: “Eles querem dela um grito de ruptura, que ela proponha um movimento evangélicos contra isso ou aquilo’. Aí ela vira persona non grata’ por ser uma pessoa infinitamente superior à mentalidade desses trogloditas”.

Direitos civis a homossexuais

Numa entrevista concedida ontem, 01 de setembro, Marina ressaltou que o Supremo Tribunal Federal (STF) assegurou aos homossexuais o direito à união civil, e que respeita a autoridade da Justiça.

“Num estado laico devem ser respeitado todos os brasileiros, nos seus direitos públicos e privados. Essa é uma conquista da sociedade brasileira e que qualquer governante deve defender”, afirmou.

Fonte: Gospel +

 

Publicado em Brasil, Política

Analistas políticos listam vantagens e dificuldades na candidatura da “evangélica Marina Silva” à presidência; Confira

Foto: Fábio Motta/AE
Foto: Fábio Motta/AE

A candidatura de Marina Silva (PSB) à presidência da República após a trágica morte do ex-governador Eduardo Campos deverá ser oficializada na próxima quarta-feira pela direção do partido, com a revelação do novo candidato à vice.

A ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora deverá superar os desafios da campanha para manter o desempenho registrado na primeira pesquisa após a morte de Campos, segundo editorial publicado pela emissora de TV britânica BBC.

No primeiro levantamento, Marina surge como a segunda colocada nas pesquisas para o primeiro turno, e aparece à frente da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, podendo vencer as eleições.

“A ex-ministra do Meio Ambiente também enfrentará desafios, como o pouco tempo de TV e uma possível falta de palanques regionais”, pontuou a BBC, que destacou os “19,6 milhões de votos” que Marina obteve na eleição de 2010, quando foi a terceira colocada com maior número de votos da história do país.

No editorial, os analistas políticos que assessoraram a BBC dizem que “uma incerteza é quanto os eleitores estão influenciados, neste momento, pelo impacto da morte trágica de Eduardo Campos”, o que levanta também a dúvida de quanto “a imagem de uma candidata ‘de luto’ poderá influenciar a votação”.

O fato de Marina Silva ser membro da Assembleia de Deus é destacado pelo editorial, que destacou algumas posturas da candidata que agradam ao público evangélico: “Marina já disse publicamente que é contra o aborto”, informou a BBC, que não ignorou a candidatura do pastor Everaldo Pereira (PSC). “A maior parte das igrejas evangélicas se associou, neste ano, à candidatura do pastor Everaldo, do PSC. Mas, com a entrada de uma evangélica na linha de frente da disputa, parte dos votos pode migrar para ela”, opina o editorial.

Os analistas políticos destacam que “Marina terá cerca de dois minutos diários na propaganda eleitoral na TV – menos que seus adversários Dilma Rousseff e Aécio Neves” e que isso pode ser um problema para a campanha, mas ponderam: “Por outro lado, Marina terá mais tempo agora do que tinha em 2010, quando concorreu pelo PV” e ficou em 3º lugar.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Televisão

Programação de igrejas é intocável na grade da Rede TV!, afirma jornalista

rede tvA programação produzida por igrejas representa hoje uma boa parte da grade de programação da Rede TV!. A emissora veicula diariamente programas de denominações como Igreja Internacional da Graça de Deus e Igreja Universal do Reino de Deus e tem nos fins de semana programas da Igreja Bola de Neve, Assembleia de Deus do Bras, Assembleia de Deus Vitória em Cristo e Igreja São Judas Tadeu.

Esses horários religiosos na programação da emissora reflete, consequentemente, nas finanças da emissora. Quadro que, segundo o jornalista Flávio Ricco, não tem perspectivas de mudança. Em sua coluna no UOL, Ricco afirma que a ordem na emissora é não provocar a ira das igrejas que ocupam espaços na programação.

– É terminantemente proibido mexer com elas. Principalmente aquelas que pagam em dia, como a Universal, por exemplo – afirma o jornalista.

De acordo com Flávio Ricco, os novos investimentos feitos pela emissora em sua grade de programação passam obrigatoriamente pelo crivo de não interferir na programação religiosa. Ele afirma que “qualquer lançamento que possa avançar ou interferir nos horários dos religiosos, precisa, antes de tudo, ser muito bem pensado, discutido nos mínimos detalhes, para evitar transtornos”.

Ao opinar sobre o tema, Flávio Ricco afirma que o principal motivo para fazer com que a programação religiosa da emissora seja “intocável” é o financeiro.

– A emissora não pode em hipótese nenhuma se dar ao luxo de perder esse “santo” dinheiro, vital para os seus compromissos – afirma.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Política

Em busca de apoio, Marina Silva vai a culto e apresenta Eduardo Campos a 2 mil pastores da Assembleia de Deus

marina-silva-eduardo-camposMarina Silva, candidata à vice-presidência na chapa de Eduardo Campos (PSB), apresentou o ex-governador pernambucano a um grupo de 2 mil pastores na última segunda-feira, 04 de agosto.

A reunião, realizada na sede da Assembleia de Deus Ministério do Belém, em São Paulo, aconteceu depois que o pastor Everaldo Pereira (PSC) deixou o local. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, Marina, Eduardo e o pastor Everaldo só se encontraram no saguão do templo.

O pastor Everaldo Pereira e a missionária Marina Silva são os dois únicos evangélicos que disputam as eleições presidenciais de 2014. Everaldo é apoiado por líderes evangélicos como Manoel Rodrigues, Silas Malafaia, Magno Malta e Marco Feliciano, este último o principal crítico de Marina Silva entre os assembleianos.

Na reunião com os 2 mil pastores, Marina falou sobre o Evangelho e os princípios ensinados por Jesus, e apresentou Eduardo Campos, católico, que falou sobre a agenda de governo que ambos construíram para o país, em caso de vitória.

O pastor Lélis Marinho comentou o encontro dizendo que a dupla “foi muito bem recebida” pelos participantes da reunião, e que o fato de Marina pertencer à denominação confere uma “identidade maior” da chapa PSB/Rede com a igreja.

No entanto, comenta-se nos bastidores que a visita de Marina Silva e Eduardo Campos à Assembleia de Deus visava na verdade a conquista do apoio dos pastores e fiéis assembleianos para um eventual segundo turno, caso Campos e Marina ultrapassem Aécio Neves (PSDB) e enfrentem Dilma Rousseff (PT).

Há uma quase certeza de que o apoio formal da Assembleia de Deus será dado a Everaldo Pereira, que é “prata da casa”. Os correligionários da campanha do pastor já contam como certo o apoio do presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), pastor José Wellington Bezerra da Costa.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Esporte, Evento, Missões

Torcida ecumênica: líderes de seis religiões diferentes se reúnem para torcer pela Seleção Brasileira

torcida-ecumenica-200x130Separados pela fé, unidos pela paixão à Seleção Brasileira. É dessa forma que líderes de seis religiões se reunirão na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), para torcer pelo Brasil durante a Copa do Mundo.

O estádio fica no centro de uma grande e diversificada concentração de templos religiosos. Num raio de um quilômetro, existem uma sinagoga, um centro islâmico, a sede da convenção da Assembleia de Deus, oito “terreiros” de religiões afro-brasileiras e alguns templos católicos.

De acordo com o site iBahia, o encontro entre os religiosos aconteceu de forma descontraída e selou a torcida ecumênica pela Seleção. O padre Ângelo Magno; o pai de santo Duchu D’Ogum; o pastor Márcio Braga; o rabino Uri Lam; o sheik Ahmad Abdul; e o espírita Ricardo Carvalho conversaram sobre a torcida pela Seleção comandada por Luiz Felipe Scolari à beira do gramado da Arena Fonte Nova.

“Na Copa se aproveitará o esporte para promover a boa convivência e a tolerância. Essa mistura que a gente vê na nova era está muito ligada à doutrina espírita, de que não existe uma verdade ou religião absoluta, mas que todas as religiões têm a possibilidade de nos atender, a depender de cada demanda”, disse o espírita Carvalho.

A opinião foi compartilhada pelo pai de santo Duchu, que sugeriu um ritual para que a participação brasileira seja bem-sucedida: “O povo da Seleção tem como obrigação procurar um terreiro para preparação de banhos cheirosos para entrar no campo com energia positiva, fazer um trabalho de odú para que tenha união e entre com o pé direito”.

O pastor Márcio disse que vai “botar o joelho no chão” e pedir a Deus que dê a vitória ao Brasil como forma de compensar os efeitos do alto investimento – sob suspeita de corrupção – no evento: “Nós oramos pela nossa Seleção, estamos nesse propósito. É preciso pedir a Deus as bênçãos que queremos. Depois de todo esse investimento (no Mundial), seria vexatório perder”, disse.

Fonte: Gospel +

Publicado em Brasil, Cotidiano, Internet, Vídeos

Stefhany Absoluta diz que se converteu na Assembleia de Deus e abandonou carreira secular: “Quero cantar gospel”

Stefhany-AbsolutaA cantora Stefhany Absoluta anunciou que não vai mais cantar as músicas de sua fase secular, e irá se dedicar apenas à carreira gospel depois de ter se convertido ao Evangelho numa igreja Assembleia de Deus.

O primeiro CD gospel infantil de sua carreira, “Stefhany Absoluta – Filha do Rei e sua Turma”, ainda não chegou às lojas, mas a música de trabalho, “Lobo Mau”, já ganhou um clipe.

“Não vou voltar a cantar as músicas de antes. No show, ainda canto ‘Eu sou Stefhany (Crossfox)’, mas é só. Agora quero também lançar um disco gospel adulto”, adiantou a cantora ao jornal Extra.

Stefhany diz que no momento certo irá compartilhar sua história de vida e testemunho de conversão: “As pessoas têm curiosidade para saber do meu testemunho. Penso em dar, sim, mas não agora. Vou falar sobre tudo que aconteceu comigo, como o acidente com o Crossfox e quando eu recebi uma macumba. Hoje me sinto outra pessoa. Deus é maravilhoso!”, afirmou.

A conversão de Stefhany incluiu uma mudança de visual, o que desagradou os antigos fãs: “Uma vez publiquei uma foto no Instagram em que estava com uma saia longa, e alguns fãs começaram a me criticar, a falar que nunca deveria ter mudado. Para mim, eles não são fãs. Quem gosta do seu trabalho vai continuar curtindo independente da sua religião”, finalizou.

“Lobo Mau”

Fonte: Gospel +