Publicado em Brasil

Brasil ganha Observatório da Liberdade Religiosa

observatorio-da-liberdade-religiosaA entidade não tem ligações políticas e nem está associada a organizações religiosas.

Para combater a intolerância religiosa e promover a laicidade do Estado, surge o Observatório da Liberdade Religiosa (OLIR). A entidade nasce seguindo conselhos formados em países como França, Itália e Portugal, permitindo a análise de dados para facilitar e incentivar a produção científica a respeito do direito de liberdade religiosa.

“Por ser independente, teremos condições de fazer uma análise isenta”, garante Bernardo Pablo Sukiennik, presidente do OLIR.

Em nota enviada à imprensa, Sukiennik deixa claro que o Observatório não promoverá o diálogo inter-religioso, ecumênico ou discussões sobre rituais, tradições e práticas religiosas.

Seu papel, como entidade sem fins lucrativos e sem subordinação a partidos políticos e organizações religiosas, será o de servir de instrumento para o Poder Público e para a sociedade civil.

Um dos papéis do OLIR será questionar a crença popular de que no Brasil não existe perseguição religiosa, mostrando casos onde a diversidade não é tratada com respeito e tolerância.

“Nos próximos anos, o Supremo Tribunal Federal deverá decidir questões importantes sobre Liberdade Religiosa. O resultado dessas demandas poderá restringir conquistas históricas”, diz trecho do texto divulgado pela entidade.

Fonte: Gospel Prime

Anúncios

Autor:

Jornalista por profissão e discípula por vocação com o compromisso de ser relevante para o Reino de Deus!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s